A dor no tendão de Aquiles acontece principalmente em pessoas que costumam fazer corridas em subidas, que praticam ballet ou que treinam diariamente sem que seja possível descansar a musculatura, resultando em microlesões e inflamação do tendão, causando a dor.

Além da dor no calcanhar, é possível que surjam outros sintomas, como rigidez do movimento, dificuldade para andar, inchaço no local e aparecimento de nódulo no local do tendão, em alguns casos.

Na presença de sinais e sintomas indicativos de dor no tendão de Aquiles, é importante que o ortopedista seja consultado para que seja feito o diagnóstico e iniciado o tratamento mais adequado, que pode envolver o uso de remédios, pomadas anti-inflamatórias e exercícios de alongamento.

Dor no tendão de Aquiles: causas e o que fazer

Principais causas

A dor no tendão de Aquiles acontece quando essa estrutura é submetida a um esforço maior do que o habitual e não há descanso suficiente, resultando em uma resposta de cura incompleta, o que faz com que ocorram pequenas lesões microscópicas no tendão, incluindo a deposição de fibrina e uma desorganização das fibras de colágeno, resultando na dor, inflamação e rigidez de movimentos. 

A dor no tendão de Aquiles são mais frequentes de acontecer em pessoas entre 30 e 50 anos como consequência de algumas situações, sendo as principais:

  • Corridas em subidas;
  • Ballet;
  • Spinning em pé;
  • Falta de alongamento da panturrilha;
  • Treino diário sem conseguir permitir a recuperação dos músculos e ligamento;
  • Uso de sapato que faz pressão no tendão de Aquiles;
  • Contusão local;
  • Esporão no calcanhar;
  • Bursite.

Nestas atividades, o movimento da ponta do pé e do calcanhar é muito rápido, forte e frequente o que faz com que o tendão possa sofrer uma lesão de ‘chicote’, que favorece a sua inflamação. Além disso, a ausência de alongamento e/ ou descanso favorece também a formação de microlesões no tendão, resultando na dor.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico da dor no tendão de Aquiles deve ser feito pelo ortopedista por meio da realização de exame físico, em que são realizados movimentações no pé com o objetivo de avaliar a intensidade da dor. Além disso, é indicada a realização de exames de imagem, como raio-X ou ultrassom, que ajudam a confirmar o diagnóstico e avaliar a extensão da inflamação.

O que fazer

Em caso de dor no tendão de Aquiles, algumas estratégias indicadas, são: 

  • Medicamentos anti-inflamatórios e analgésicos orais ou tópicos;
  • Repouso: Evitar esforço, mas não é necessário ficar de repouso absoluto, basta não praticar atividade física durante alguns dias;
  • Calçado adequado: Usar tênis ou sapato confortável, evitando os sapatos muito duros e também o salto alto, as sandálias do tipo Anabela podem ser usadas desde que o salto não tenha mais que 3 cm de altura, nenhum outro tipo de sapato ou sandália com salto é recomendada;
  • Compressas de gelo: Colocar gelo picado dentro de um pé de meia e enrolar em volta do tornozelo e deixar atuar por 15-20 minutos, várias vezes ao longo do dia, tendo sempre atenção à pele.

Além disso, a acupuntura pode também ser realizada para promover o combate da dor e da inflamação de forma alternativa.

Fisioterapia para dor no tendão de Aquiles

Na fisioterapia podem ser usados outros recursos da eletroterapia com ultrassom, tens, laser, infravermelho e galvanização, por exemplo, com o objetivo de promover o alívio da dor e a inflamação. Os exercícios de alongamento da panturrilha, massagem local e depois os exercícios de fortalecimento, excêntricos, com a perna esticada e também com o joelho dobrado são de grande ajuda para curar a inflamação do tendão de Aquiles.

Para alongar os músculos da perna, o fisioterapeuta pode indicar a realização do seguinte exercício:

  • Subir num degrau e apoiar o pé na ponta do degrau;
  • Apoiar o peso do corpo e abaixar o calcanhar o máximo que conseguir;
  • Manter-se nessa posição por 30 segundos à 1 minuto;

Repetir o mesmo exercício com a outra perna. Realizar 3 alongamentos com cada perna, duas vezes ao dia, durante 1 semana. Após esse período pode ser indicado realizar exercícios de fortalecimento com estes mesmos músculos, e nesse caso pode-se utilizar o mesmo degrau, da seguinte forma:

  • Apoiar os pés na ponta do degrau;
  • Elevar o calcanhar o máximo que conseguir. Fazer 3 séries de 10 repetições. 

Outros exercícios podem ser recomendados pelo fisioterapeuta, de acordo com a necessidade, sendo estes apenas alguns exemplos dos que podem ser feitos em casa.

Fonte tuasaude.com

Recommended Posts

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *