Placa de acrílico: o que é e para que serve?

placa de acrílico

dentista2

Placa de acrílico são acessórios de acrílico moldados na arcada dentária para o tratamento de distúrbios como o bruxismo. É por elas que sintomas decorrentes, como o ranger de dentes, são aliviados.

Mesmo sendo de uso questionável por sua aparência simples, sua utilização é amplamente indicada nesses casos, que requerem a mediação de um odontologista.

Saiba mais sobre a placa de acrílico e suas particularidades. Boa leitura!

Aqui você vai encontrar:

Placa de acrílico, o que é?

A placa de acrílico, também chamada de placa miorrelaxante ou de mordida, se trata de um dispositivo móvel de encaixe exato no formato da arcada do paciente.

Tem como principal recomendação o tratamento do bruxismo, evitando complicações que envolvam desgastes dentários, a dor e tensão da boca, mandíbula e cabeça.

O seu uso é bem prático e acessível, sendo comum durante a noite, período em que os surtos se mostram mais frequentes. A placa visa a perda de contato da arcada superior com a arcada inferior, fazendo com que elas percam contato.

Através desse tratamento, pode se evitar outras consequências do ranger de dentes, como problemas de mordida aberta anterior, migrações dentárias e extrusões.

A placa de bruxismo, além de ser confeccionada em acrílico, que é o caso mais comum, pode também ser feita por silicone. Entretanto, a resina acrílica continua ganhando em termos de rigidez e espessura.

A placa de silicone, por sua vez, não é capaz de impedir que os dentes se colidam, podendo se danificar facilmente, perdendo a sua funcionalidade quanto a mastigação e a estabilização da ATM-articulação temporomandibular.

dentista1
placa de acrílico odontológico
Na odontologia, a placa de acrílico está relacionada ao bruxismo e seus sintomas.

Placa de acrílico e o tratamento odontológico do bruxismo

O bruxismo se trata de uma atividade parafuncional ou desordem funcional que está diretamente relacionada ao hábito de ranger os dentes e de serrar a mandíbula. Entre os resultados dessa desordem estão dores de cabeça, na musculatura da mandíbula e o afrouxamento da dentição.

Demais consequências do bruxismo pode-se incluir o impacto estético e funcional que o desgaste dos dentes causa, dificultando até mesmo a fala e a mastigação.

Mesmo não possuindo uma causa específica evidente, o bruxismo está comumente relacionado a constância de momentos estressantes.

Geralmente, as crises do bruxismo ocorrem à noite, o que dificulta a sua percepção. Com isso, se reforça a importância de visitas regulares ao médico e ao dentista para um diagnóstico e tratamento precoce.

Uma vez que o diagnóstico confirme o bruxismo, o dentista indicará o uso da placa de acrílico, que deve ser feito de forma adequada para atingir o resultado. Nesse sentido, essa película tem a finalidade de proteger a dentição e amenizar a pressão e os danos impostos.

Deve-se ter a noção de que o tratamento indicado do bruxismo requer uma abordagem multidisciplinar, que além da odontologia, pode envolver a psicologia, a neurologia, a prática de esporte e a adesão de práticas de relaxamento. A medicação prescrita pelo profissional também é uma das formas de tratamento.

Como funciona o tratamento com a placa de acrílico?

O tratamento do bruxismo pela placa de mordida se baseia, primeiramente, na realização da moldagem dos dentes, que logo após é enviada para um laboratório de prótese. No laboratório ela pode ser criada em silicone ou acrílico, dependendo das particularidades do caso.

Mesmo que a placa de silicone seja a mais confortável e eficiente ao tratamento da DTM-Disfunção da Articulação Temporomandibular, não é tão efetiva quanto. Sua característica porosa permite que microorganismos se proliferem, o que pode influenciar a halitose. Isso faz com que a placa de acrílico seja a mais indicada.

Com a escolha e o acessório pronto, a manutenção deverá ser feita em uma nova consulta. As orientações do dentista devem ser seguidas durante todo o tratamento. Deve-se levar em conta que o distúrbio pode ocorrer também no período diurno e também em decorrência do apertamento dentário.

Consequências da falta do tratamento

Adiar ou ignorar o tratamento, além de intensificar o problema principal, pode influenciar negativamente em uma série de fatores da saúde geral. As dores de cabeça tensionais, por exemplo, são bastante recorrentes em função do bruxismo. São advindas da contração que os músculos da mastigação realizam em excesso.

As dores de cabeça, sem o tratamento específico, podem atingir a face, ouvido, pescoço e ombros. Normalmente, o período em que essas dores são mais intensas é o da manhã, isso tendo em vista que a contração predomina à noite ou à tarde.

Demais complicações relacionadas à evolução do bruxismo estão a dor da articulação da mandíbula, que pode acarretar estalos, o travamento e a restrição do movimento de abertura, fechamento e de deslize para o lado da boca. Ademais, o ranger de dentes constante leva a quebra da dentição.

Quanto aos danos bucais, o bruxismo não possui cura e sim o tratamento, incluindo o pela a placa de acrílico. Dessa forma, subestimar os sinais característicos do bruxismo não é uma opção.

Finalidade da placa de acrílico personalizada

Em suma, as placas de bruxismo de acrílico tem como principal estimulo a proteção contra o desgaste dentário. No entanto, também ajuda quanto ao relaxamento da musculatura da mandíbula e aliviando as articulações têmporo-mandibulares, que estão localizadas em frente aos ouvidos, dos fortes impulsos vindos do estado de não relaxamento da mordida.

O sucesso do tratamento com a placa de acrílico pode determinar o desaparecimento das dores características do bruxismo e das demais disfunções envolvidas.

placa de acrílico preço
O preço da placa de acrílico varia de acordo com a abordagem que o dentista selecionar.

Placa de acrílico, qual o preço?

Por fim, as placas de miorrelaxantes, além dos materiais, também variam de preço justamente por essa escolha. A faixa de preço em que a placa de acrílico se encontra é de R$ 500,00, enquanto a de silicone é de R$ 250,00.

O valor mais elevado da de resina acrílica vem de seu melhor resultado e de sua maior facilidade quanto a higienização, que são perceptíveis na maioria dos casos.

Entretanto, além do preço da placa de acrílico, considere também o valor das consultas, não só com o dentista, e o da manutenção do tratamento.

Bem como, a troca do acessório deve ser a cada seis meses, além de que o paciente deve realizar a sua higienização seguindo as orientações do odontologista, assim como guardá-la em um local propício.

Essa atitude evita que haja a proliferação de bactérias e o surgimento de problemas bucais vindos da formação da placa bacteriana.

Higiene adequada

Logo, tomar os cuidados devidos quanto a limpeza dos dentes ou da placa, é fundamental para evitar que ainda mais complicações apareçam no processo do tratamento.

Especialistas recomendam que se faça o uso de uma escova macia, sendo preferível a aquisição de uma específica para a higienização da placa de bruxismo.

Por conseguinte, a higienização da proteção deve ser feita com um detergente neutro, uma vez que o creme dental possui em sua composição propriedades que podem degradar o acessório.

Além disso, podem-se aderir à rotina limpadores antibacterianos específicos para próteses, devendo a placa ficar de molho por cerca de alguns minutos em uma frequência de uma vez na semana.

Considere que assim como a higiene bucal completa, deve se manter a higiene desse dispositivo móvel diariamente. Ademais, a placa de acrílico deve ser conservada sempre seca e limpa depois de sua remoção.  

Visitas regulares ao dentista

Assim como a higiene bucal completa, com as técnicas adequadas de escovação e o uso diário do fio dental e do enxaguante bucal, e como a higiene devida da placa miorrelaxante, as visitas ao dentista devem ser periódicas para que haja a manutenção da saúde bucal.

É somente por essas visitas que se é feita a avaliação geral da zona bucal, e assim o diagnóstico de problemas e a percepção de complicações no tratamento. O acompanhamento odontológico é essencial para que o tratamento que o profissional requerer seja feito o quanto antes.

Assim sendo, se alcança um sorriso mais bonito e ainda mais saudável.

Garanta mais saúde e qualidade para seu sorriso agendando em uma de nossas clínicas odontológicas OralDents.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

dentista

Fonte clínica odontológica OralDents

Pericoronarite: conheça seu tratamento e sintomas

pericoronarite

dentista2

Pericoronarite se trata de uma inflamação dentária que atinge o dente que se encontra coberto parcialmente pela gengiva. Esse estado muitas vezes é resultado da falta de cuidados, que é circunstancial ao dente, também parcialmente irrompido, que está dentro do osso. 

Assim sendo, a pericoronarite é bem mais comum nos dentes sisos, reforçando a importância dos cuidados com os molares.

Saiba mais sobre essa condição e suas demais particularidades. Boa leitura!

Aqui você vai encontrar:

Pericoronarite, o que é?

A pericoronarite no mundo odontológico, se remete a um processo inflamatório, infeccioso ou não, que se desenvolve ao redor da coroa de um dente que não se encontra erupcionado; coberto de forma parcial pela gengiva e que ainda está se desenvolvendo abaixo dela.

Isso acontece quando a coroa dentária está na zona bucal e o resto de seu corpo abaixo da gengiva, fazendo com que uma parte relevante ainda esteja no interior do osso alveolar, osso que faz parte da sustentação da dentição.

O acúmulo de restos de alimentos nessa região e o fato dela ser de difícil acesso, faz com que a escovação não seja suficiente para a remoção. É por meio da debilidade na higienização que a infecção e inflamação acontecem.

Nessas consequências, os principais sintomas desse quadro são inchaço na região e dor intensa, além de influenciar a halitose, mau hálito.

pericoronarite siso
Os sintomas da pericoronarite são diversos e podem ir além da zona bucal.

Quais são os sintomas da Pericoronarite no siso?

Entre os sinais e sintomas mais comuns à pericoronarite estão o inchaço; edema, dor no local, mau hálito, febre e dificuldade ao engolir certos alimentos. A pericoronarite em certas intensidades pode influenciar um estado em que os movimentos realizados pela mandíbula se tornam difíceis, chamado Trismo.

O trismo pode se desenvolver gradualmente e acabar por atingir casos mais intensos. Nesse caso, é necessário que o paciente seja internado quando os cuidados ambulatoriais não se mostram suficientes.

dentista1

Entre os demais sintomas estão: a inflamação gengival por um abcesso ou edema, sangramento gengival, tecidos moles ao redor da área afetada, dor durante a mastigação, difusão da dor para a garganta, ouvido e cabeça, sangramento gengival, formação de pus, aumento dos gânglios do pescoço, mal-estar, além de casos de adenopatia ou hipertrofia.

Os sintomas da pericoronarite aparecem geralmente na faixa-etária dos 20 e os 30 anos, já que é o período em que os dentes sisos aparecem acima da gengiva. Esta fase é demarcada pelo incomôdo e pelas dores no local.

Quais as causas da Pericoronarite?

A Pericoronarite, como dito, se inicia pela má escovação e pela ausência dos bons hábitos complementares, que são o fio dental e o enxaguante bucal. O dente que por sua vez está incluso, tende a ser o ambiente ideal para a proliferação de bactérias.

A dificuldade de acesso dos sisos permite que essa condição se desenvolva, mesmo que esses componentes da arcada se encontrem irrompidos em sua totalidade, como é o caso dos sisos da proximidade do ângulo mandibular.

Doenças gengivais ou Pericoronarite 

A Pericoronarite pode ser confundida com a gengivite e a periodontite, isso porque seus sintomas se assemelham em certo ponto. Entretanto, a pericoronarite se trata de um processo inflamatório especificamente nos tecidos moles do dente semi-incluso ou incluso perto do ângulo mandibular.

No entanto, a gengivite se desenvolve no mesmo local, mas de forma mais abrangente. A doença periodontal, que é a evolução da gengivite, por sua vez, compromete os tecidos duros, esses que estão relacionados aos elementos dentários que também estão relacionados a infecção por bactérias.

pericoronarite tratamento
A higiene bucal deve ser completa, indo da escovação ao uso do fio dental e do antisséptico bucal.

Como é feito o tratamento da Pericoronarite?

Nessas circunstâncias, o tratamento é de acordo com as indicações e orientações do dentista, que comumente solicita a medicação por analgésicos e anti-inflamatórios, como o Paracetamol e o Ibuprofeno, para amenizar a dor.

Em casos de infecção aparente, se indica um antibiótico para combater a infecção, como a Amoxicilina.

Em casos em que o paciente não percebe os sinais da infecção, o odontologista o encaminha para um processo cirúrgico para remover o excesso de gengiva; gengivectomia, ou extrair o siso após o dente desinflamar. A execução da gengivectomia tem como finalidade facilitar a saída do dente.

O mais relevante nesses casos de extração é que se remova o tecido pericoronário, o enviando para a avaliação de um patologista bucal.  O dentista, então, analisa o material do dente em função da possível evolução do ceratocisto odontogênico, um dos tumores que podem se desenvolver no local.

Agora, na falta de necessidade da extração e na presença da inflamação constante, o tratamento será feito pelo acompanhamento de um estomatologista, que realizará o controle da situação.

Por fim, o tratamento da pericoronarite perdura por alguns dias, mas, uma vez que não realizado da maneira adequada, e na falta da higiene bucal devida, complicações podem aumentar o seu tempo de duração.

Tratamento para o inchaço dos sisos

O tratamento se casos não tão graves pode ser feito por uma abordagem com água oxigenada, com clorexidina; uma substância antimicrobiana, e com o consumo de analgésicos.

Já nos graves, os sintomas identificados são a dor mais forte, que pode evoluir para o ouvido e cabeça, a febre, rosto inchado e dificuldade no movimento de abertura da boca.

Cabe ao dentista analisar qual procedimento será feito e como o paciente deverá se prostrar durante o processo do tratamento. Quanto mais rápido realizar a visita ao especialista, se consegue evitar que o estágio evolua para um mais grave, assim como casos raros de hospitalização.

Qual o tratamento caseiro para a Pericoronarite?

Quanto ao tratamento desse tipo de inflamação de modo caseiro, é feito visando somente ao alívio dos sintomas. Desse modo, os métodos não substituem a visita ao dentista, devendo ser apenas soluções no meio tempo.

Logo, é feita a colocação de uma compressa com água gelada na pele acima do dente afetado, devendo durar cerca de 15 minutos para ter efeito.

Ademais, pode-se ser feito um bochecho com água morna e sal, já que colaboram na eliminação dos agentes infecciosos no local, além de ajudar na cicatrização.

Entretanto, o paciente só pode aderir essa técnica se a fizer sob a orientação do odontologista, uma vez que pode gerar risco de agravamento ao seu quadro clínico.

Pericoronarite pode matar?

Como qualquer outra infecção dentária, caso não seja devidamente tratada, a pericoronarite é capaz de levar o paciente ao óbito. Não se trata de uma consequência comum, mas caso as dores dessa condição sejam subestimadas, o seu estágio mais grave pode causar danos graves ao paciente, e assim, a morte.

Uma infecção bucal é capaz de, até mesmo atingir o cérebro, se não receber o tratamento, chegando ao ponto de ser intratável.

Dessa forma, se atende desde a fase inicial do problema com o dente rachado, não deixando que a infecção aconteça e evolua. O abscesso dental é capaz de evoluir rapidamente, requerendo o apoio profissional enquanto antes.

A importância de uma higiene bucal adequada

Ainda para o tratamento da pericoronarite, a adesão dos bons hábitos de higiene bucal se tornam ainda mais decisivos. Essa importância se enfatiza ainda mais diante dos casos de pericoronarite de curto período, que ocorre quando os dentes sisos começam a nascer.

Logo, a técnica de escovação correta, o uso do fio dental e do enxaguante bucal se tornam ainda mais relevantes.

A escovação deve ser feita ao menos duas vezes ao dia, sendo ao acordar, nos intervalos entre refeições e ao se deitar. A passagem do fio dental deve ser diária, assim como o bochecho com o antisséptico bucal, que deve durar ao menos 30 segundos.

Assim, se ameniza o desconforto e se reverte a situação.

Visitas regulares a clínica odontológica

Assim como os cuidados com a higiene bucal, as visitas regulares ao dentista são capazes de evitar e tratar o problema. É pela análise feita pelo odontologista que se percebe as rachaduras e se realiza o tratamento precoce da infecção.

O diagnóstico leva em conta os sintomas que a pessoa apresenta, além da avaliação feita do tecido gengival e dos exames de imagem requeridos. Nesses exames de imagem, se observa ainda a posição dos dentes e como está o desenvolvimento do siso. É assim que o especialista define o tratamento ideal.

Portanto, a manutenção da saúde bucal e um sorriso mais bonito dependem dessa ação preventiva.

Garanta mais saúde e qualidade para seu sorriso agendando em uma de nossas clínicas odontológicas OralDents.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

dentista

Fonte clínica odontológica OralDents

Escova de dente para aparelho: como escolher a ideal

Escova de dente para aparelho deve ser escolhida com atenção. Todo mundo sabe da importância da rotina de higiene bucal para a saúde da boca, no entanto, saber escolher os produtos é igualmente importante. Ainda mais para quem usa o aparelho ortodôntico.  Um dos principais motivos que estão por trás do desânimo sobre o uso …

O post Escova de dente para aparelho: como escolher a ideal apareceu primeiro em Clinica OralDents.

Fonte clínica odontológica OralDents

Como uma cobertura apropriada pode te livrar de doenças de pele?

cobertura apropriada pode te livrar de doenças de pele

As altas temperaturas estão aí e quem esquece de se proteger da ação do solar pode sofrer com os seus impactos tanto de forma imediata quanto com o passar dos anos. Por esse motivo, é mais do que necessário cuidar do sol e recorrer a tudo que pode te ajudar a ficar livre de doenças de pele.

De fato, o verão é a estação do ano que exige maior atenção com os cuidados da pele, porque a exposição ao sol é mais frequente. Por esse motivo, uma maneira muito eficaz de se proteger é usar muito protetor e mais do que isso, recorrer aos toldos que protegem.

Se você está na rua, por exemplo, é fundamental procurar caminhar embaixo de uma proteção ou cobertura, porque tal barreira vai impedir que os raios solares incidam diretamente sobre o seu rosto e demais partes do corpo.

Toldos que protegem são capazes de resguardar as pessoas da ação dos raios solares

Em casa, a aposta em coberturas e toldos que protegem também é uma forma de se resguardar do sol. Como? Você sabia que o toldo é uma barreira muito eficaz diante da ação dos raios ultravioletas? É fato que esses raios são essenciais para que a vida no planeta terra exista, porém eles também podem causar problemas como câncer de pele, queimadura ocular chamada de foto ceratite e catarata.

Por esse motivo, quem tem um espaço aberto em casa deve apostar na cobertura, pois assim será possível evitar que as pessoas sofram com insolação, queimaduras e outros problemas causados pelo sol como rugas, envelhecimento precoce e manchas na pele. Seja uma área de lazer ou de churrasqueira, os toldos que protegem devem ser instalados.

Apostar em uma cobertura em janelas também é uma maneira efetiva, pois assim os raios solares terão uma barreira e não incidirão da mesma forma em um quarto, por exemplo, assim quem dorme naquele ambiente além de ter uma temperatura local mais agradável também estará mais protegido e os móveis do quarto também estarão.

Nenhum tipo de pele está imune as ações dos raios solares. Use filtro solar!

É comum, as pessoas acharem que os negros estão imunes a ação solar e, por esse motivo, podem andar livremente sem a necessidade de fazer uso de qualquer tipo de proteção. No entanto, isso é errado!

Eles não estão imunes a queimadura de forma completa. De fato, eles têm mais melanina na pele que é o pigmento responsável por tornar a pele escura, porém eles devem sim fazer uso de protetor solar.

Mesmo recorrendo aos toldos que protegem, o filtro solar deve ser considerado como o melhor amigo de todas as pessoas. Mesmo filtro solar fator 30 deve ser usado a cada quatro horas por pessoas que não apresentam problemas como: doenças de pele, lesões pré-câncer, manchas e problemas com queimadura.

No entanto, se ficarem muito suadas ou forem tomar banho, o filtro solar deve ser reaplicado, pois na água os protetores só duram até 40 minutos.

A acessibilidade na estética

acessibilidade na estética

A acessibilidade na estética | A estética pode ser vista como uma extensão da saúde por tratar de partes do corpo humano. Procedimentos estéticos ajudam na correção de falhas e na elevação da autoestima das pessoas, atuando assim em sua saúde mental e no bem-estar consigo mesmo. Todos precisamos de nos sentir bem e satisfeitos com nossa aparência e temos o direito de conseguir ter acesso a jovialidade que a estética proporciona.

Pessoas com deficiência ou com alguma dificuldade financeira/geográfica devem ter acesso a esses recursos, respostas de perguntas como: quanto custa um implante dentário? podem ser agradáveis a todos os ouvidos. Assim como na saúde, a acessibilidade na estética é de estrema importância, veja os motivos:

Diversidade do público

O público do setor de estética é amplo e atinge, mesmo com exceções de perfis, toda a população. O público que frequentam clínicas e consultórios estéticos é diverso, fortalecendo ainda mais a ideia de acessibilidade na área.

A diversidade seja de gênero, idade, raça, classe social ou condição física e metal; não interfere na ampla ideia de que todos nós nos preocupamos com nosso exterior tanto quanto nosso interior. Não se trata somente de vaidade, mas na autoconfiança que interfere diretamente no posicionamento social e nas relações interpessoais.

Influência das mídias

A grande mídia e a as redes sociais hoje em dia atingem grande parte da população. O impacto em que atingem as pessoas é tão forte e de influência tão poderosa que fazem ações e pensamentos virarem tendências dentro e fora da internet. Com a valorização estética, padrões de belezas foram estabelecidos e muitos que não se encaixavam em algum deles recorreram a ajuda profissional.

Acessibilidade financeira

É muito importante, que assim como procedimentos na saúde, os de fins estéticos não possuam valores exorbitantes. Tratamentos como o clareamento dental e o aparelho ortodôntico devem possuir uma maior acessibilidade, já que os problemas que solucionam, se agravados, podem resultar em problemas de saúde que poderiam ser evitados.

Existem projetos sociais que oferecem certos serviços estéticos para a população mais carente, e quando associados a uma marca, tomam grandes proporções e afetam positivamente a vida das pessoas.

Deficiência no Brasil

Segundo dados do IBGE, estipula-se que cerca de 23,9% da população brasileira possui alguma deficiência seja motora ou intelectual. Essas estimativas só evidenciam a importância de integrar toda a população a todos os tipos de serviço, e fortalecer ainda mais a igualdade em todos os setores, essa que não sai do papel na maioria dos países democráticos.

A parcela de idosos e gestantes também apresentou um aumento nos últimos anos, até mesmo a de pessoas que apresentam alguma insuficiência temporária.

Normativa Brasileira e a acessibilidade na estética

A NBR 9050 informa que todas as localidades construídas ou planejadas, devem possuir acessibilidade a todos. Há regido nas normas de acessibilidade que espaços públicos devem ser idealizados e estabelecidos respeitando os limites e requerimentos do desenho universal. Com esse modelo, se atende todas as ramas da população através das características sensoriais e antropométricas.

Com segurança, conforto e permitindo que qualquer um consiga ser autônomo, a acessibilidade é alcançada e assim uma distribuição de serviços mais justa. Segue ações simples que podem fazer com que os espaços de estética se tornem ambientes mais democráticos:

Planejamento – Sempre busque a opinião profissional de um arquiteto quando for realizar o planejamento do espaço, evidenciando a sua preocupação quanto à acessibilidade e funcionalidade.

Vão de acesso –O vão de acesso recomendado deve possuir uma largura mínima de 80 cm, tendo todas as portas dos banheiros uma largura mínima de 90 cm.

Rampas e elevadores – Para se ter um ambiente acessível as escadas estão fora de cogitação. As rampas devem ser suaves e possuir uma inclinação máxima de 12,5%, já os elevadores devem ser bem posicionados e espaçosos.

Mobiliário – O mobiliário também deve ser adequado e confortável, prestando atenção na distância entre eles para que o ambiente tenha um bom fluxo.

Livre circulação –O chão do local deve ser liso e sem elementos que possam contribuir para uma queda. Itens aveludados, como os tapetes, podem ser usados em lugares de espaço maior de modo que não cubra todo o espaço de locomoção.

Portanto, a acessibilidade vai muito além do arquitetônico e da mobilidade, ela abrange até mesmo o contextual e a comunicação. Sempre idealize sua clínica e consultório buscando acolher a todos e providenciar um espaço acolhedor a seu cliente e a sociedade. Ao realizar um papel social você está também agregando valor a seu negócio.

Os efeitos do cigarro nos dentes

efeitos do cigarro nos dentes

O tabaco é um dos principais vilãos da qualidade do sorriso. Esse consumo pode causar uma série de danos como: mau hálito, manchas no dente, cor amarelada, inflamações e consequentemente sua perda, e em situações mais graves, pode colaborar para o desenvolvimento de um câncer. Para a prevenção de todos esses danos é necessário consultar com um dentista e ficar atento quanto ao consumo deliberado do cigarro.

A lente de contato dental é um dos procedimentos que o odontologista irá tomar, fazendo com que a cor do dente fique mais natural. Em casos de perda dos dentes a solução serão os implantes, que através dos problemas de cicatrização, deve ser supervisionado após o tratamento. Antes e depois desses procedimentos, é necessário um tempo determinado sem fumar para que não interfira em seus resultados, mas, para resultados ainda melhores e promissores o ideal seria abandonar o vício.

O tabagismo enfraquece as células das mucosas, e assim diminui a sua capacidade de cicatrização e defesa. Com as células frágeis, há a fácil proliferação de vírus, fungos e bactérias. Leia os danos desse vício:

Mau hálito

O mau hálito é a consequência mais frequente e instantânea do ato de fumar. O fumo resseca a área da boca e impede a produção de saliva. Com isso, algumas das substâncias que ingerimos continua na nossa boca e é consumida, o que leva aos odores da halitose. Ademais, as mesmas substâncias que formam pela queima do tabaco se instalam na garganta, nos pulmões e no nariz, colaborando no aumento dos odores indesejados do mau hálito.

Dentes e gengivas escuras

Um dos principais compostos químicos do cigarro, é a nicotina, que se junta facilmente ao esmalte do dente e o escurece. Um outro efeito desse composto é sua influência no crescimento da produção de melanina do corpo, afetando os tecidos da boca, como as bochechas e a gengiva, e os deixando escuros e manchados (melanose de fumante).

Problemas na gengiva e de perda dentária

O uso do tabaco impacta fortemente a região da gengiva, influenciando assim na perda dos dentes. O cigarro colabora com o aumento da temperatura média da boca e faz com que a região se torne ideal para o desenvolvimento de bactérias, do tártaro e da placa bacteriana.

Essas características favorecem também à perda óssea, a doenças periodontais, como a periodontite e a gengivite, e a danos de maior gravidade que levam à perda de dentes.  As doenças periodontais são infecções na gengiva, nos ossos e na região envolta dos dentes. É a consequência da proliferação de bactérias prejudiciais na boca e pode causar a perda dentária.

Doenças

O cigarro pode colaborar com o desenvolvimento de mais de 50 doenças diferentes. Consumidores de tabaco possuem entre duas a três vezes maior possibilidade de adquirir uma doença do que quem não fuma. Ainda há a fumaça do tabaco que age na mucosa da boca e atrapalha a cicatrização e a eficiência do sistema imunológico, desprotegendo o organismo e o deixando indefeso aos microrganismos.

Problemas no paladar

A fumaça do cigarro atinge as pupilas gustativas e causa a diminuição do paladar e da sensibilidade.

Câncer

O câncer é o efeito mais grave e danoso do tabagismo no organismo, podendo se desenvolver em diversas regiões, inclusive na boca. Afeta o sistema cardíaco, nervoso, respiratório e também o digestivo. O cigarro também age em todas as áreas da boca e se relaciona diretamente ao câncer de lábio, laringe, faringe e esôfago.

O cigarro transforma a composição genética das células e apresa seu período reprodutivo. Essa situação colabora com o risco de desenvolvimento do câncer nos fumantes, em conjunto às milhares de substâncias nocivas do tabaco. Há diferentes sintomas que podem indicar que o fumante tenha alguma das variações do câncer bucal como:

  • Feridas ou ulcerações com problemas na cicatrização a mais de 15 dias;
  • Inchaço na boca e/ou no pescoço;
  • Nódulos;
  • Manchas ou placas brancas ou vermelhas.

Acompanhamento profissional

A nicotina do cigarro pode levar a um vício extremo, deixando ainda mais difícil de a pessoa se livrar dele. Se a pessoa for dependente do fumo, deixar esse hábito de lado mudará totalmente sua qualidade de vida. É realmente um passo importante, e pode ser supervisionado por um médico especialista.

Ao longo do processo, o suporte e o apoio é indispensável, e o dentista também pode ser essa fonte de apoio. O incentivo profissional é muito importante para evidenciar os prejuízos do cigarro e os benefícios que serão alcançados sem o seu consumo. Nunca é tarde para começar um melhor e mais saudável estilo de vida.

O futuro da tecnologia e inovação odontológica

tecnologia odontológica

Como será a tecnologia odontológica no futuro? Durante décadas, ir ao dentista foi considerado uma experiência indesejável. Envolvia sentar-se sob uma luz forte e ter sua boca invadida por uma variedade de ferramentas. Embora a saúde bucal seja muito importante para a sua saúde geral e para ter um sorriso bonito, entre outros benefícios, muitas pessoas optam por evitar as consultas ao dentista por serem incômodas para elas.

Felizmente, os novos avanços tecnológicos estão tornando as idas ao dentista mais rápidas, fáceis, menos dolorosos e mais confiáveis. Devido a esses avanços, a indústria odontológica está crescendo rapidamente e parecendo muito diferente do que era nos últimos anos. Uma maior ênfase no tratamento e prevenção significará menos cáries nos pacientes e menos risco de doença periodontal. Semelhante à inovação em outras profissões da área de saúde, essas novas tecnologias terão um grande impacto sobre como os profissionais de odontologia tratam seus pacientes e como as pessoas cuidam de sua saúde bucal em casa.

Prótese dentária não será mais a mesma

Historicamente, a prótese dentária foi criada ao longo de um período de tempo e as pessoas que precisavam dela e tinham que fazer várias viagens ao dentista. Esse era um processo um tanto quanto árduo e muitas vezes exigia tentativa e erro para obter o ajuste perfeito.

Demorava semanas e várias visitas ao dentista para produzir e colocar um par de dentaduras. Agora, as próteses digitais oferecem um novo sistema para a criação de próteses com encaixe preciso em uma fração do tempo muito menor. O processo usa software, dispositivos e materiais avançados para criar próteses com facilidade. O design e a manufatura auxiliada por computador (CAD / CAM) é o que torna esse novo processo possível. Ele permite que dentistas e técnicos dentais fabricarem um novo par de próteses usando discos de material para fazer próteses. Um par completo de próteses pode ser fabricado em apenas algumas etapas.

Diagnóstico e tratamento de última geração

Os lasers estão sendo usados ​​tanto no diagnóstico quanto no tratamento. Os dentistas estão usando “lasers de tecido mole” para pequenas cirurgias na gengiva. No entanto, no futuro, eles podem entregar esses procedimentos aos computadores. Os “lasers de tecido duro” poderiam, em última instância, substituir as brocas dentais de alta velocidade, removendo a cárie dentária com a ajuda de pequenos espelhos controlados digitalmente. No entanto, o alto preço desses dispositivos terá que cair antes de serem amplamente usados.

Novos avanços estão criando “biomateriais” para preencher cavidades. Por exemplo, um projeto conjunto entre duas universidades criou um biomaterial sintético que poderia essencialmente permitir que uma cavidade se curasse, um desenvolvimento com o potencial de reduzir significativamente a deterioração dentária que leva a canais radiculares dolorosos e caros.

A detecção precoce do câncer de boca. A sexta forma mais letal de câncer, agora é possível. O dispositivo “VELscope” usa luzes azuis no estilo CSI para captar alterações de tecido que não podem ser vistas a olho nu, destacando problemas potenciais que podem exigir uma biópsia.

Uma visão mais futurística poderia incluir nano robôs. Algumas dessas máquinas microscópicas poderiam restaurar ou endireitar os dentes, aplicar anestesia durante a cirurgia oral, diagnosticar diabetes e outras doenças ou tratar câncer de boca. Outros poderiam combater bactérias com produtos como uma “pasta de dente vestível” feita de nanotubos de carbono antimicrobianos. Mas a pesquisa da nanotecnologia é complexa, e esses desenvolvimentos estão em um futuro distante, já que os testes clínicos em humanos seriam necessários para determinar a eficácia e a segurança.

Democratizando a assistência em meio a tecnologia odontológica

Alguns avanços da tecnologia odontológica, será possível fazer uma varredura inicial em casa ou em uma clínica de saúde comunitária por meio de um smartphone. Essas tecnologias democratizarão o atendimento odontológico, permitindo o diagnóstico rápido de problemas básicos para pessoas em qualquer lugar. Mesmo aquelas que moram em áreas remotas ou em locais onde há poucos dentistas.

Com o aparecimento dessas inovações tecnológicas, imagens básicas e outros diagnósticos não precisarão ser feitos por profissionais altamente treinados. Em breve, os tecnólogos se tornarão parte integrante da prática odontológica e os dentistas se concentrarão nos procedimentos complexos e difíceis que exigem sua especialização. Em última análise, isso deve reduzir os custos.

O futuro da odontologia parece muito diferente da prática de hoje: sem brocas, sem injeções, acesso mais fácil e menor tempo de tratamento. No geral, haverá uma maior ênfase na prevenção que se traduz em menos cáries e menos doença periodontal. As previsões são que a odontologia fornecerá cada vez mais sorrisos bonitos, brancos e saudáveis.

Boca saudável: dicas de como manter sua boca em dia

Boca saudável

Escovar os dentes, usar fio dental e enxaguar são os ABCs de uma boca saudável, mas essas praticas são apenas o começo. Uma boca maravilhosa leva mais do que espremer a pasta de dentes e escova-los – pense em melhorar sua técnica de escovação de dentes, abandonar o hábito diário de refrigerantes e dizer adeus aos cigarros.

Neste post iremos descrever oito mostos de higiene bucal para uma boca saudável .

Visite regularmente o dentista

Se você é propenso a abandonar o dentista, está entre a maioria dos adultos que não procuram um dentista anualmente por causa de fobia dentária , finanças ou simplesmente negligência. Mas visite regularmente o seu dentista (duas vezes por ano, é o recomendável), e você terá problemas como cáries, gengivite , traumas ou câncer em um estágio inicial quando forem tratáveis, sem mencionar mais acessível para cuidar.

Conte os anos

Crianças pequenas e idosos tendem a voar sob o radar da saúde bucal, mas precisam de manutenção da boca, assim como o resto de nós. As crianças devem consultar um dentista quando completarem 1 anos e, até que estejam coordenadas o suficiente para amarrar os próprios sapatos, precisarão de ajuda para limpar os dentes. Os idosos têm seus próprios problemas orais. A artrite pode fazer a escovação e uso do fio dental ser desafiador, e como as pessoas idade, a quantidade de saliva que produzem diminui, o que significa mais dente em decadência e também desconforto para aqueles que usam dentaduras.

Refrigerante e o seu mal

Efervescente é divertido, mas também faz parte da razão pela qual o refrigerante é tão ruim para os dentes. Dois ingredientes – ácido fosfórico e ácido cítrico – dão ao refrigerante sua “mordida”, mas também corroem a superfície dos dentes. Embora o refrigerante ocasional não doa, uma lata ou mais por dia torna o esmalte do dente mais macio e mais suscetível a cáries. Alterne para a água, acrescentando sabor com frutas cítricas fatiadas ou bagas esmagadas ou folhas de hortelã.

Não abuse do açúcar

O açúcar é o principal culpado pela cárie dentária. Ele alimenta bactérias e acidez na boca, fazendo com que a placa se forme e corra o esmalte e as gengivas. Seus brancos perolados são atingidos com até 20 minutos de produção de ácido para cada festival de açúcar em que você participa, desde café adoçado pela manhã até sorvete à noite. Para evitar estar entre as pessoas que enfrentam esse problema, tentar reduzir guloseimas açucaradas, e tem como objetivo escove os dentes após cada refeição ou lanche e use fio dental pelo menos uma vez ao dia.

Pare de fumar agora!

Você já ouviu isso antes: pare de fumar. Mas desta vez, é o seu dentista falando. A nicotina e o alcatrão nos cigarros não apenas deixam seus dentes com um tom feio de amarelo, mas corroem suas gengivas, além de fazer mal para toda a saúde do corpo. Fumar cria um ambiente maduro para bactérias e placas nos dentes e ao longo da linha da gengiva. Isso prejudica o tecido, degrada o osso que suporta os dentes e, eventualmente, aumenta o risco de perda de dentes. Pior ainda, os produtos químicos do tabaco podem levar ao câncer de boca .

Use a escova de dentes certa

Você deve escolher uma escova de dentes com cerdas macias. Com a técnica correta, deve durar de dois a três meses. Quando você notar cerdas dobradas a escova deverá ser substituída, e não espere muito tempo. Mesmo uma ponta de cerda reta pode ficar embotada em vez de arredondada e causar ferimentos nos dentes e gengivas.

Escove os dentes da maneira correta

Embora você provavelmente saiba que deve escovar os dentes pelo menos três vezes por dia, se você é como a maioria das pessoas, não liga muito para a maneira correta de escovar. Segure a escova de dentes em um ângulo de 45 graus, apontado para a linha da gengiva e use movimentos suaves, curtos e circulares. Escove cada dente 10 a 15 vezes, mas não exagere. Escovar excessivamente e colocando muita força pode danificar os dentes e corroer a linha da gengiva.

Use o fio dental

É simples: o uso do fio dental promove dentes e gengivas mais saudáveis. Mas, como na escovação, existe um caminho certo e errado, porque falhas no fio dental podem causar atrito e danificar a linha da gengiva. Enrole um fio de algodão em volta dos dedos indicadores, mantendo cerca de duas polegadas entre os dedos para trabalhar. Desenrole uma nova seção de fio dental para cada dente e mantenha-o firme contra o dente para romper a placa bacteriana, deixando as gengivas em boa forma.

Seguindo essas dicas você sempre terá uma boca saudável e limpa. E não será pego de surpresa caso venha a aparecer algum problema futuro nos dentes.

Fonte: www.webmd.com