Amigdalite: quais os seus tipos e como tratar?

Amigdalite se trata de uma inflamação das amígdalas. Por sua vez, as amígdalas são gânglios ovais que estão localizados na parte inferior da garganta. Essas estruturas, por sua vez, possuem a finalidade de manter bactérias e demais microrganismos longe de demais partes do organismo, evitando suas complicações. Entretanto, é ao evitar a incidência de infecções …

O post Amigdalite: quais os seus tipos e como tratar? apareceu primeiro em Clinica OralDents.

Fonte clínica odontológica OralDents

Resina dental: o que é e quando é usada?

Resina dental se trata de mais uma das colaborações da tecnologia e a odontologia, podendo ser utilizada para vários casos de reabilitação da arcada dentária. Esse material odontológico, por sua vez, otimiza esse procedimento e proporciona a maior satisfação do cliente. Possui diversas formas de aplicação e pode ter sua abordagem feita em outros vários …

O post Resina dental: o que é e quando é usada? apareceu primeiro em Clinica OralDents.

Fonte clínica odontológica OralDents

Anestesia de dentista: descubra se dói e quais os sintomas

Anestesia de dentista tem como objetivo principal amenizar a dor que alguns procedimentos odontológicos podem causar. Essa invenção é o motivo do pânico de alguns pacientes, mas em alguns casos, como em uma raspagem, não é necessária. É usada em procedimentos mais invasivos, como em um tratamento de canal ou de extração de dentes. Saiba …

O post Anestesia de dentista: descubra se dói e quais os sintomas apareceu primeiro em Clinica OralDents.

Fonte clínica odontológica OralDents

Sorriso: um guia completo sobre a importância da saúde bucal

Sorriso é uma das partes mais notadas pelas pessoas, é como um cartão de visitas e é capaz de transmitir confiança e esbanjar autoestima. Estar bem consigo mesmo é um dos desejos mais comuns das pessoas e na maioria das vezes está ligado a aparência. Se você gostaria de ter um sorriso mais atraente, confira …

O post Sorriso: um guia completo sobre a importância da saúde bucal apareceu primeiro em Clinica OralDents.

Fonte clínica odontológica OralDents

Dentista: qual a melhor escolha para o seu procedimento?

Dentista se refere ao profissional formado em odontologia, especialidade em que se enfoca a saúde bucal. Assim como a medicina, a odontologia se divide em atuações e especializações, cada uma com foco em áreas e problemas específicos. É o dentista o responsável pela ação preventiva da zona bucal, pela realização do diagnóstico e dos tratamentos …

O post Dentista: qual a melhor escolha para o seu procedimento? apareceu primeiro em Clinica OralDents.

Fonte clínica odontológica OralDents

Tylenol: para que serve e como usá-lo?

tylenol

dentista2

Tylenol é um tipo de medicamento utilizado por muitas pessoas para tratar de dores, entre outros problemas, assim como o paracetamol.

Assim como com outros medicamentos, não é necessário um diagnóstico por um dentista ou médico, para utilizá-lo, porém quando usado de forma indevida, pode resultar em problemas.

Por isso, conheça aqui todas as informações necessárias sobre o tylenol e como ele pode ser essencial para ajudar a aliviar dores.

Aqui você vai encontrar:

Para que serve tylenol?

É um tipo de medicamento mais indicado para adultos, já que o objetivo dela é o de reduzir a febre e o alívio temporário de dores leves a moderadas, dentre elas: dores relacionadas à resfriados comuns, dor de cabeça, dor no corpo, dor de dente, dor nas costas, dores musculares, dores leves relacionadas a artrites e cólicas menstruais.

Tylenol serve para dor de dente?

Pelo fato que a dor de dente pode ter inúmeros motivos é preciso que antes de procurar uma farmácia para comprar qualquer tipo de analgésico, seja feito primeiro uma visita ao dentista.

Com isso, o Tylenol, assim como outros remédios tem em sua composição, à base de paracetamol, de maneira que não necessita de receita para serem comprados.

Isso quer dizer que caso haja dor, o paciente pode se automedicar, no entanto, é preciso ficar atento em quem pode usar o medicamento, porque caso contrário, pode apresentar quadros graves.

Por isso, mesmo que sinta a presença de dor intensa, sempre é válido consultar seu dentista para identificar o real problema, seus motivos e a partir disso buscar o tratamento adequado.

Segundo a matéria da BBC Brasil sobre o uso de ibuprofeno x paracetamol, o paracetamol reduz a dor de dente porque afeta a parte química chamada de prostaglandinas, que é uma substância liberada pelo corpo em resposta a doenças ou lesões.

dentista1

Diante disso, o paracetamol tem efeito bloqueador, de maneira que para a produção de prostaglandinas e faz com que o corpo sinta menos a dor ou a lesão.

Dessa forma, o fármaco, por ser um princípio ativo do Tylenol, é possível usá-lo para aliviar diferentes tipos de dores, como a dor de dente, que é possível apresentar febre, já que o paracetamol também funciona como analgésico e reduz a temperatura do corpo.

Porém, caso a dor não suma e persistir por mais de 3 dias, procure seu dentista. Ademais, nunca tome mais do que quatro doses em 24 horas e sempre siga as orientações da bula.

Por conta de efeitos colaterais, é indicado que o paciente não aumente sua própria dosagem, mesmo se a dor for severa.

Medicamentos semelhantes ao Tylenol

Embora haja outras formas de se encontrar o paracetamol, ele está presente em outros remédios, por exemplo, os Paracetamol, Vicky Pyrena®,Dorfen®, entre outros.

Da mesma forma, o fármaco também pode ser encontrado em outros remédios que o associam a relaxantes musculares, outros anti-inflamatórios, antigripais e antipiréticos – remédios que combatem a febre.

Composição do tylenol

O fármaco é contém os seguintes compostos químicos:

Quando em 500 mg, cada comprimido que é revestido, contém mais 500 mg de paracetamol. Dessa forma, em sua composição está água purificada, amido, amido pré-gelatinizado, amidoglicolato de sódio, celulose microfina, estearato de magnésio, hipromelose e macrogol.

Enquanto que o comprimido de 750 mg, também revestido de paracetamol. A partir disso, sua composição está: ácido esteárico, água purificada, amido pré-gelatinizado, hipromelose, macrogol e povidona.

Da mesma forma que em sua versão de referência, é preciso respeitar as dosagens indicadas pelo fabricante, médico, farmacêutico ou dentista que indicá-lo, para não haver excesso da substância no organismo.

Por fim, outra recomendação é a de que ao iniciar o uso desse medicamento, começar com as menores dosagens, e deixar as maiores para situações mais graves.

Tylenol, como funciona

Tylenol, como funciona?

O paracetamol possui uma excelente farmacocinética, ou seja, sua absorção é feita de forma rápida pelo organismo e distribuído pelos tecidos, até chegar no seu alvo. Quando feito, ele irá efetuar a ação.

A partir disso, o fármaco irá se transformar excreção por causa do processo metabólico, e termina sua função saindo do organismo pela via renal.

De volta as funções do paracetamol, ele age como um bloqueador nos processos orgânicos que causam a dor e a febre.

Tylenol vantagens e desvantagens do seu uso?

Quando o assunto é dor, o tylenol é a primeira escolha de muitos, principalmente quando o assunto é o tratamento de em procedimentos odontológicos.

Há também outros casos que utilizam do medicamento, como gestantes e os pacientes com anemia falciforme, que é um tipo de anemia rara e hereditária.

Dessa forma, uma das vantagens do tylenol é sua fácil facilidade em ser encontrado.

Ao comparar o paracetamol com outros fármacos, nota-se que ele não tem a mesma potência que os outros fármacos usados para o mesmo fim.

Outro fator que precisa ser levado em consideração é de que o paracetamol é contraindicado para pessoas com insuficiência renal ou hepática, etilistas crônicos – pessoas que ingerem grandes quantidades de álcool – por causa do seu alto poder de toxidade (hepatotoxicidade).

Tylenol, principais dúvidas

Pacientes com o histórico de alergia aos AINES ou a outro analgésico, ou mesmo que tenha tido conhecimento de que alguém de sua família apresenta ou apresentou esse tipo de problema, devem evita-lo.

Para facilitar, abaixo listo quais pacientes precisam ter atenção ao utilizar o tylenol, confira:

Crianças e idosos

De modo geral, esses grupos podem usá-lo, no entanto, para cada grupo há recomendações específicas. Nesse caso, há contraindicação para as menores de 12 anos.

Entretanto, para usar o medicamento é preciso ter orientação médica. O mesmo serve para pacientes com insuficiência renal ou hepática.

Bem como já citado acima, etilistas crônicos, que são pessoas que ingerem grandes quantidades de álcool, tabagistas (fumantes), bebês com tempo de vida inferior a 3 meses.

Grávida

Esta pergunta é uma dúvida de muitas gestantes, por isso, a resposta é SIM, porém seu uso só pode ser feito quando indicado pelo médico.

O uso de forma indicada pelo médico se dá pelo fato de que há evidências científicas até hoje disponíveis não mostraram efeitos sobreo feto nem sobre as lactantes.

Mas para haver garantia a segurança no consumo do fármaco, a indicação é que ele seja feito por um período breve de tempo e sob supervisão de um médico ou dentista.

Pacientes com dengue

Outra dúvida comum, é esta e a resposta também é sim, desde que haja a devida indicação de alguém especializado.

O mesmo serve para outras arboviroses (doenças transmitidas pelo Aedes Egypti).

Lembrando que ao sentir quaisquer sintomas da doença, procure por ajuda médica imediatamente.

E por último, evite o uso de ácido acetilsalicílico (AAS), anti-inflamatórios e anticoagulantes sem a devida orientação médica.

Dor de dente é um problema bucal recorrente e que afeta diversas pessoas. Por isso, visite uma de nossas Clínicas OralDents e garanta mais saúde para o seu sorriso.

Se gostou do texto, tem alguma dúvida ou qualquer outra ação, deixe aqui seu comentário, até a próxima!

dentista

Fonte clínica odontológica OralDents

Placa de acrílico: o que é e para que serve?

placa de acrílico

dentista2

Placa de acrílico são acessórios de acrílico moldados na arcada dentária para o tratamento de distúrbios como o bruxismo. É por elas que sintomas decorrentes, como o ranger de dentes, são aliviados.

Mesmo sendo de uso questionável por sua aparência simples, sua utilização é amplamente indicada nesses casos, que requerem a mediação de um odontologista.

Saiba mais sobre a placa de acrílico e suas particularidades. Boa leitura!

Aqui você vai encontrar:

Placa de acrílico, o que é?

A placa de acrílico, também chamada de placa miorrelaxante ou de mordida, se trata de um dispositivo móvel de encaixe exato no formato da arcada do paciente.

Tem como principal recomendação o tratamento do bruxismo, evitando complicações que envolvam desgastes dentários, a dor e tensão da boca, mandíbula e cabeça.

O seu uso é bem prático e acessível, sendo comum durante a noite, período em que os surtos se mostram mais frequentes. A placa visa a perda de contato da arcada superior com a arcada inferior, fazendo com que elas percam contato.

Através desse tratamento, pode se evitar outras consequências do ranger de dentes, como problemas de mordida aberta anterior, migrações dentárias e extrusões.

A placa de bruxismo, além de ser confeccionada em acrílico, que é o caso mais comum, pode também ser feita por silicone. Entretanto, a resina acrílica continua ganhando em termos de rigidez e espessura.

A placa de silicone, por sua vez, não é capaz de impedir que os dentes se colidam, podendo se danificar facilmente, perdendo a sua funcionalidade quanto a mastigação e a estabilização da ATM-articulação temporomandibular.

dentista1
placa de acrílico odontológico
Na odontologia, a placa de acrílico está relacionada ao bruxismo e seus sintomas.

Placa de acrílico e o tratamento odontológico do bruxismo

O bruxismo se trata de uma atividade parafuncional ou desordem funcional que está diretamente relacionada ao hábito de ranger os dentes e de serrar a mandíbula. Entre os resultados dessa desordem estão dores de cabeça, na musculatura da mandíbula e o afrouxamento da dentição.

Demais consequências do bruxismo pode-se incluir o impacto estético e funcional que o desgaste dos dentes causa, dificultando até mesmo a fala e a mastigação.

Mesmo não possuindo uma causa específica evidente, o bruxismo está comumente relacionado a constância de momentos estressantes.

Geralmente, as crises do bruxismo ocorrem à noite, o que dificulta a sua percepção. Com isso, se reforça a importância de visitas regulares ao médico e ao dentista para um diagnóstico e tratamento precoce.

Uma vez que o diagnóstico confirme o bruxismo, o dentista indicará o uso da placa de acrílico, que deve ser feito de forma adequada para atingir o resultado. Nesse sentido, essa película tem a finalidade de proteger a dentição e amenizar a pressão e os danos impostos.

Deve-se ter a noção de que o tratamento indicado do bruxismo requer uma abordagem multidisciplinar, que além da odontologia, pode envolver a psicologia, a neurologia, a prática de esporte e a adesão de práticas de relaxamento. A medicação prescrita pelo profissional também é uma das formas de tratamento.

Como funciona o tratamento com a placa de acrílico?

O tratamento do bruxismo pela placa de mordida se baseia, primeiramente, na realização da moldagem dos dentes, que logo após é enviada para um laboratório de prótese. No laboratório ela pode ser criada em silicone ou acrílico, dependendo das particularidades do caso.

Mesmo que a placa de silicone seja a mais confortável e eficiente ao tratamento da DTM-Disfunção da Articulação Temporomandibular, não é tão efetiva quanto. Sua característica porosa permite que microorganismos se proliferem, o que pode influenciar a halitose. Isso faz com que a placa de acrílico seja a mais indicada.

Com a escolha e o acessório pronto, a manutenção deverá ser feita em uma nova consulta. As orientações do dentista devem ser seguidas durante todo o tratamento. Deve-se levar em conta que o distúrbio pode ocorrer também no período diurno e também em decorrência do apertamento dentário.

Consequências da falta do tratamento

Adiar ou ignorar o tratamento, além de intensificar o problema principal, pode influenciar negativamente em uma série de fatores da saúde geral. As dores de cabeça tensionais, por exemplo, são bastante recorrentes em função do bruxismo. São advindas da contração que os músculos da mastigação realizam em excesso.

As dores de cabeça, sem o tratamento específico, podem atingir a face, ouvido, pescoço e ombros. Normalmente, o período em que essas dores são mais intensas é o da manhã, isso tendo em vista que a contração predomina à noite ou à tarde.

Demais complicações relacionadas à evolução do bruxismo estão a dor da articulação da mandíbula, que pode acarretar estalos, o travamento e a restrição do movimento de abertura, fechamento e de deslize para o lado da boca. Ademais, o ranger de dentes constante leva a quebra da dentição.

Quanto aos danos bucais, o bruxismo não possui cura e sim o tratamento, incluindo o pela a placa de acrílico. Dessa forma, subestimar os sinais característicos do bruxismo não é uma opção.

Finalidade da placa de acrílico personalizada

Em suma, as placas de bruxismo de acrílico tem como principal estimulo a proteção contra o desgaste dentário. No entanto, também ajuda quanto ao relaxamento da musculatura da mandíbula e aliviando as articulações têmporo-mandibulares, que estão localizadas em frente aos ouvidos, dos fortes impulsos vindos do estado de não relaxamento da mordida.

O sucesso do tratamento com a placa de acrílico pode determinar o desaparecimento das dores características do bruxismo e das demais disfunções envolvidas.

placa de acrílico preço
O preço da placa de acrílico varia de acordo com a abordagem que o dentista selecionar.

Placa de acrílico, qual o preço?

Por fim, as placas de miorrelaxantes, além dos materiais, também variam de preço justamente por essa escolha. A faixa de preço em que a placa de acrílico se encontra é de R$ 500,00, enquanto a de silicone é de R$ 250,00.

O valor mais elevado da de resina acrílica vem de seu melhor resultado e de sua maior facilidade quanto a higienização, que são perceptíveis na maioria dos casos.

Entretanto, além do preço da placa de acrílico, considere também o valor das consultas, não só com o dentista, e o da manutenção do tratamento.

Bem como, a troca do acessório deve ser a cada seis meses, além de que o paciente deve realizar a sua higienização seguindo as orientações do odontologista, assim como guardá-la em um local propício.

Essa atitude evita que haja a proliferação de bactérias e o surgimento de problemas bucais vindos da formação da placa bacteriana.

Higiene adequada

Logo, tomar os cuidados devidos quanto a limpeza dos dentes ou da placa, é fundamental para evitar que ainda mais complicações apareçam no processo do tratamento.

Especialistas recomendam que se faça o uso de uma escova macia, sendo preferível a aquisição de uma específica para a higienização da placa de bruxismo.

Por conseguinte, a higienização da proteção deve ser feita com um detergente neutro, uma vez que o creme dental possui em sua composição propriedades que podem degradar o acessório.

Além disso, podem-se aderir à rotina limpadores antibacterianos específicos para próteses, devendo a placa ficar de molho por cerca de alguns minutos em uma frequência de uma vez na semana.

Considere que assim como a higiene bucal completa, deve se manter a higiene desse dispositivo móvel diariamente. Ademais, a placa de acrílico deve ser conservada sempre seca e limpa depois de sua remoção.  

Visitas regulares ao dentista

Assim como a higiene bucal completa, com as técnicas adequadas de escovação e o uso diário do fio dental e do enxaguante bucal, e como a higiene devida da placa miorrelaxante, as visitas ao dentista devem ser periódicas para que haja a manutenção da saúde bucal.

É somente por essas visitas que se é feita a avaliação geral da zona bucal, e assim o diagnóstico de problemas e a percepção de complicações no tratamento. O acompanhamento odontológico é essencial para que o tratamento que o profissional requerer seja feito o quanto antes.

Assim sendo, se alcança um sorriso mais bonito e ainda mais saudável.

Garanta mais saúde e qualidade para seu sorriso agendando em uma de nossas clínicas odontológicas OralDents.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

dentista

Fonte clínica odontológica OralDents

Pericoronarite: conheça seu tratamento e sintomas

pericoronarite

dentista2

Pericoronarite se trata de uma inflamação dentária que atinge o dente que se encontra coberto parcialmente pela gengiva. Esse estado muitas vezes é resultado da falta de cuidados, que é circunstancial ao dente, também parcialmente irrompido, que está dentro do osso. 

Assim sendo, a pericoronarite é bem mais comum nos dentes sisos, reforçando a importância dos cuidados com os molares.

Saiba mais sobre essa condição e suas demais particularidades. Boa leitura!

Aqui você vai encontrar:

Pericoronarite, o que é?

A pericoronarite no mundo odontológico, se remete a um processo inflamatório, infeccioso ou não, que se desenvolve ao redor da coroa de um dente que não se encontra erupcionado; coberto de forma parcial pela gengiva e que ainda está se desenvolvendo abaixo dela.

Isso acontece quando a coroa dentária está na zona bucal e o resto de seu corpo abaixo da gengiva, fazendo com que uma parte relevante ainda esteja no interior do osso alveolar, osso que faz parte da sustentação da dentição.

O acúmulo de restos de alimentos nessa região e o fato dela ser de difícil acesso, faz com que a escovação não seja suficiente para a remoção. É por meio da debilidade na higienização que a infecção e inflamação acontecem.

Nessas consequências, os principais sintomas desse quadro são inchaço na região e dor intensa, além de influenciar a halitose, mau hálito.

pericoronarite siso
Os sintomas da pericoronarite são diversos e podem ir além da zona bucal.

Quais são os sintomas da Pericoronarite no siso?

Entre os sinais e sintomas mais comuns à pericoronarite estão o inchaço; edema, dor no local, mau hálito, febre e dificuldade ao engolir certos alimentos. A pericoronarite em certas intensidades pode influenciar um estado em que os movimentos realizados pela mandíbula se tornam difíceis, chamado Trismo.

O trismo pode se desenvolver gradualmente e acabar por atingir casos mais intensos. Nesse caso, é necessário que o paciente seja internado quando os cuidados ambulatoriais não se mostram suficientes.

dentista1

Entre os demais sintomas estão: a inflamação gengival por um abcesso ou edema, sangramento gengival, tecidos moles ao redor da área afetada, dor durante a mastigação, difusão da dor para a garganta, ouvido e cabeça, sangramento gengival, formação de pus, aumento dos gânglios do pescoço, mal-estar, além de casos de adenopatia ou hipertrofia.

Os sintomas da pericoronarite aparecem geralmente na faixa-etária dos 20 e os 30 anos, já que é o período em que os dentes sisos aparecem acima da gengiva. Esta fase é demarcada pelo incomôdo e pelas dores no local.

Quais as causas da Pericoronarite?

A Pericoronarite, como dito, se inicia pela má escovação e pela ausência dos bons hábitos complementares, que são o fio dental e o enxaguante bucal. O dente que por sua vez está incluso, tende a ser o ambiente ideal para a proliferação de bactérias.

A dificuldade de acesso dos sisos permite que essa condição se desenvolva, mesmo que esses componentes da arcada se encontrem irrompidos em sua totalidade, como é o caso dos sisos da proximidade do ângulo mandibular.

Doenças gengivais ou Pericoronarite 

A Pericoronarite pode ser confundida com a gengivite e a periodontite, isso porque seus sintomas se assemelham em certo ponto. Entretanto, a pericoronarite se trata de um processo inflamatório especificamente nos tecidos moles do dente semi-incluso ou incluso perto do ângulo mandibular.

No entanto, a gengivite se desenvolve no mesmo local, mas de forma mais abrangente. A doença periodontal, que é a evolução da gengivite, por sua vez, compromete os tecidos duros, esses que estão relacionados aos elementos dentários que também estão relacionados a infecção por bactérias.

pericoronarite tratamento
A higiene bucal deve ser completa, indo da escovação ao uso do fio dental e do antisséptico bucal.

Como é feito o tratamento da Pericoronarite?

Nessas circunstâncias, o tratamento é de acordo com as indicações e orientações do dentista, que comumente solicita a medicação por analgésicos e anti-inflamatórios, como o Paracetamol e o Ibuprofeno, para amenizar a dor.

Em casos de infecção aparente, se indica um antibiótico para combater a infecção, como a Amoxicilina.

Em casos em que o paciente não percebe os sinais da infecção, o odontologista o encaminha para um processo cirúrgico para remover o excesso de gengiva; gengivectomia, ou extrair o siso após o dente desinflamar. A execução da gengivectomia tem como finalidade facilitar a saída do dente.

O mais relevante nesses casos de extração é que se remova o tecido pericoronário, o enviando para a avaliação de um patologista bucal.  O dentista, então, analisa o material do dente em função da possível evolução do ceratocisto odontogênico, um dos tumores que podem se desenvolver no local.

Agora, na falta de necessidade da extração e na presença da inflamação constante, o tratamento será feito pelo acompanhamento de um estomatologista, que realizará o controle da situação.

Por fim, o tratamento da pericoronarite perdura por alguns dias, mas, uma vez que não realizado da maneira adequada, e na falta da higiene bucal devida, complicações podem aumentar o seu tempo de duração.

Tratamento para o inchaço dos sisos

O tratamento se casos não tão graves pode ser feito por uma abordagem com água oxigenada, com clorexidina; uma substância antimicrobiana, e com o consumo de analgésicos.

Já nos graves, os sintomas identificados são a dor mais forte, que pode evoluir para o ouvido e cabeça, a febre, rosto inchado e dificuldade no movimento de abertura da boca.

Cabe ao dentista analisar qual procedimento será feito e como o paciente deverá se prostrar durante o processo do tratamento. Quanto mais rápido realizar a visita ao especialista, se consegue evitar que o estágio evolua para um mais grave, assim como casos raros de hospitalização.

Qual o tratamento caseiro para a Pericoronarite?

Quanto ao tratamento desse tipo de inflamação de modo caseiro, é feito visando somente ao alívio dos sintomas. Desse modo, os métodos não substituem a visita ao dentista, devendo ser apenas soluções no meio tempo.

Logo, é feita a colocação de uma compressa com água gelada na pele acima do dente afetado, devendo durar cerca de 15 minutos para ter efeito.

Ademais, pode-se ser feito um bochecho com água morna e sal, já que colaboram na eliminação dos agentes infecciosos no local, além de ajudar na cicatrização.

Entretanto, o paciente só pode aderir essa técnica se a fizer sob a orientação do odontologista, uma vez que pode gerar risco de agravamento ao seu quadro clínico.

Pericoronarite pode matar?

Como qualquer outra infecção dentária, caso não seja devidamente tratada, a pericoronarite é capaz de levar o paciente ao óbito. Não se trata de uma consequência comum, mas caso as dores dessa condição sejam subestimadas, o seu estágio mais grave pode causar danos graves ao paciente, e assim, a morte.

Uma infecção bucal é capaz de, até mesmo atingir o cérebro, se não receber o tratamento, chegando ao ponto de ser intratável.

Dessa forma, se atende desde a fase inicial do problema com o dente rachado, não deixando que a infecção aconteça e evolua. O abscesso dental é capaz de evoluir rapidamente, requerendo o apoio profissional enquanto antes.

A importância de uma higiene bucal adequada

Ainda para o tratamento da pericoronarite, a adesão dos bons hábitos de higiene bucal se tornam ainda mais decisivos. Essa importância se enfatiza ainda mais diante dos casos de pericoronarite de curto período, que ocorre quando os dentes sisos começam a nascer.

Logo, a técnica de escovação correta, o uso do fio dental e do enxaguante bucal se tornam ainda mais relevantes.

A escovação deve ser feita ao menos duas vezes ao dia, sendo ao acordar, nos intervalos entre refeições e ao se deitar. A passagem do fio dental deve ser diária, assim como o bochecho com o antisséptico bucal, que deve durar ao menos 30 segundos.

Assim, se ameniza o desconforto e se reverte a situação.

Visitas regulares a clínica odontológica

Assim como os cuidados com a higiene bucal, as visitas regulares ao dentista são capazes de evitar e tratar o problema. É pela análise feita pelo odontologista que se percebe as rachaduras e se realiza o tratamento precoce da infecção.

O diagnóstico leva em conta os sintomas que a pessoa apresenta, além da avaliação feita do tecido gengival e dos exames de imagem requeridos. Nesses exames de imagem, se observa ainda a posição dos dentes e como está o desenvolvimento do siso. É assim que o especialista define o tratamento ideal.

Portanto, a manutenção da saúde bucal e um sorriso mais bonito dependem dessa ação preventiva.

Garanta mais saúde e qualidade para seu sorriso agendando em uma de nossas clínicas odontológicas OralDents.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

dentista

Fonte clínica odontológica OralDents

Escova de dente para aparelho: como escolher a ideal

Escova de dente para aparelho deve ser escolhida com atenção. Todo mundo sabe da importância da rotina de higiene bucal para a saúde da boca, no entanto, saber escolher os produtos é igualmente importante. Ainda mais para quem usa o aparelho ortodôntico.  Um dos principais motivos que estão por trás do desânimo sobre o uso …

O post Escova de dente para aparelho: como escolher a ideal apareceu primeiro em Clinica OralDents.

Fonte clínica odontológica OralDents