Descubra alguns dos diversos benefícios do abacate

Descubra alguns dos diversos benefícios do abacate

Ao contrário do que se propaga hoje em dia, o abacate era geralmente associado como um dos inimigos da descoberta da perda de peso, isto se devia a seu alto índice de gordura e alto teor calórico.

No entanto, estas características têm a possibilidade de dar um impacto medicinal e este fruto pode dar por meio delas uma sequência de benefícios que vão desde um maior brilho no cabelo até uma ação preventiva contra certos tipos de câncer.

Com isso, foi realizada uma pesquisa sobre abacates e um dos resultados mostra que o consumo de abacates pode até mesmo combater patologias cardiovasculares.

Entretanto, apesar de todos esses benefícios e como todos os tratamentos têm suas instruções, tais como implante dentário, seu consumo deve ser moderado e não deve ser considerado como um substituto para as refeições.

Estas são algumas das vantagens dos abacates e seu custo nutricional:

A estrutura do abacate

O abacate é uma rica fonte de frutose, com apenas 2 gramas de carboidratos cada. Além disso, possui uma proporção gigantesca de gorduras monoinsaturadas, glutationa, carotenóides, micronutrientes, com poucos carboidratos.

Com o progresso da pesquisa, temos agora o raciocínio de que é por meio de antioxidantes naturais que o chamado “estresse oxidativo” e uma sequência de outras patologias são confrontados. É através desta fonte de energia que está neste alimento que o desempenho do intestino é otimizado, assim como há uma maior ajuda para a síntese óssea e uma maior ação anti-inflamatória.

Glutationa e impacto antioxidante

As descobertas atuais mostram que os abacates possuem adicionalmente uma proporção gigantesca de glutationa, conhecida como o antioxidante mais eficiente que existe em nosso corpo humano.

Este antioxidante é chamado adicionalmente de GSH, e é uma das substâncias mais procuradas para fins nutricionais e estéticos, devido ao fato de ter uma predominância profunda na guarda de células no processo de seu “rejuvenescimento”.

Outra função do glutatião é contribuir para fortalecer o sistema imunológico, neutralizando e degenerando os radicais livres. Também atua em custódia celular contra substâncias cancerígenas e peroxidação lipídica, entre outras.

A desmistificação da “desvantagem

Durante muito tempo, os abacates foram considerados um alimento gorduroso, inimigo da perda de peso e responsável por uma série de problemas de saúde. Entretanto, com os novos estudos feitos sobre este fruto, estas informações foram desmistificadas e contrariadas.

Os abacates não causam ganho de peso e trazem vários benefícios para nossa saúde.

Os verdadeiros vilões da perda de peso são alimentos processados, carboidratos, açúcares, sem integrar gorduras naturais. Ao contrário do que muitas pessoas suspeitam, o elemento importante não é a proporção de calorias ingeridas, mas sua origem.

Portanto, o abacate é uma rica fonte de nutrientes e energia, capaz de dar diferentes vantagens à nossa saúde. Como outros alimentos de origem natural, está rodeado de desinformação que valoriza um tipo definido de dieta restrita.

O consumo desta fruta é benéfico e saudável, mas como nada em excesso é bom para o organismo, ela não deve ser excedida.

Anemia: causas, tipos e prevenção

Anemia

A anemia é definida pela incidência da hemoglobina do sangue está abaixo do nível considerado normal pela medicina. Pode ser motivada pela ausência de nutrientes considerados fundamentais pelo organismo, e não possui restrição de infectados.  Entretanto, crianças e mulheres grávidas ou em período de amamentação.

Assim como tratamentos e procedimentos estéticos, como o implante dentário, necessitam de um reconhecimento da área para serem executados, saiba a seguir quais fatores levam a anemia e como se policiar contra essa complicação:

Anemia e a falta de vitamina

O ferro é uma vitamina que auxilia no processo de sintetização dos glóbulos vermelhos da corrente sanguínea, além de ajuda na locomoção do transporte de oxigênio e na sua chegada a todas as células do corpo. É através da ausência do consumo de alimentos com ferro e nutrientes essenciais para o sangue, que a anemia se desenvolve, contribuindo com que o oxigênio não chegue a todos os lugares necessários que ocorre pela falta de hemoglobina suficiente.

Na maioria dos casos a anemia se desenvolve pela falta do ferro no organismo, porém, não é apenas a sua carência que a influencia, podendo ser a falta de proteínas, da vitamina B12 ou de ácido fólico (B9).

Quais são os tipos de anemia?

A anemia possui 4 definições, são elas crônica, aguda, hereditária e adquirida. As anemias crônicas são causadas pela doença de base, algumas genéticas e outras que foram adquiridas, como é o caso da falta de nutrientes.

Esse tipo de anemia quando desencadeado na gestação pode ser motivado pela carência de ferro (anemia ferropriva) ou de ácido fólico. As agudas estão relacionadas a perda de sangue que geralmente é devida a cirurgias e acidentes.

Principais causas

Baixos níveis de ferro

O ferro é um dos nutrientes essenciais para a nossa saúde e atua na concepção da hemoglobina, a proteína que compõe cerca de 30% de cada glóbulo vermelho. Devido ao baixo nível de ferro, a medula óssea não atua na sintetização de hemoglobinas da maneira ideal, fazendo com que se desenvolva a anemia.

Com isso, é necessário ressaltar a importância de consumir alimentos que contenham ferro em sua composição. Pessoas adeptas de uma dieta vegetariana podem encontrar esse nutriente em certas leguminosas, verduras de folhas escuras e frutas, mesmo que em quantidade reduzida.

Fatores hereditários

A anemia hereditária ou falciforme, se remete as mutações genéticas que envolvem a fabricação das hemácias. Essas mudanças podem se ocasionar na membrana responsável por esse processo, ou nas substâncias existentes em seu interior, como as proteínas e hemoglobinas.

Portanto, sabendo disso, procure uma alimentação rica em nutrientes e vitaminas, é somente através do cuidado com a sua dieta que essa problemática será evitada. Para gerir e suprir a necessidade que seu organismo possui por essas substâncias de forma certeira, consulte um nutricionista. E caso você esteja com sintomas que se assemelhem aos da anemia, procure já por um acompanhamento médico, atrelado a reeducação alimentar necessária.

A prática de esporte para crianças e adolescentes

A prática de esporte para crianças e adolescentes

A prática de atividade física, como a do esporte, é recomendada para qualquer idade, já que é um dos pilares de uma vida saudável juntamente a uma boa alimentação. A prática do esporte como uma das opções proporciona uma série de benefícios ao nosso corpo, ajudando na manutenção do físico, promovendo uma sensação de bem-estar e atuando na melhora da produtividade e qualidade de vida do praticante. Além disso, atua diretamente na aparência, e permite uma melhor imagem juntamente a procedimentos estéticos, como a aplicação da lente de contato dental.

Com as crianças e jovens, não seria diferente. Para essa faixa etária os benefícios não se limitam a apenas os citados, abrangendo vários outros. Veja quais sãos esses benefícios diferenciados:

Melhor coordenação motora

A prática do esporte possui um papel importante na coordenação motora das crianças. A frequência das atividades esportivas na rotina, quanto maior, influencia mais em seu desempenho, e é por esse motivo que os profissionais da saúde recomendam essa prática desde os primeiros anos.

É essencial abordar uma variedade de atividades esportivas no cotidiano dos alunos, uma vez que durante essa fase eles possuem uma maior facilidade de aprendizado e para desenvolver novas habilidades. O resultado da prática equilibrada de exercícios físicos, sem exagerar, equivale a formação de adultos mais saudáveis e de melhor desempenho.

Fortalecimento físico

As atividades esportivas estão relacionadas ao nosso desenvolvimento físico. Muitas pessoas buscam por uma atividade que resulte no emagrecimento ou para começar uma vida mais ativa. Se tratando do público infanto-juvenil, além de prevenir futuros problemas de saúde, o esporte colabora com o fortalecimento do corpo, já que sua prática age no desenvolvimento da massa muscular da criança. Por esse motivo, alunos que praticam esportes desde pequenos possuem músculos e estruturas ósseas em melhor conservação.

Bom funcionamento do metabolismo

Outro fator positivo da prática de esportes é que nosso metabolismo possui um bom funcionamento na infância. O metabolismo é o encarregado pela produção de energia que permite uma maior atenção e um melhor condicionamento durante o percurso do dia e ajudando no desemprenho escolar. O funcionamento ideal do metabolismo é essencial para o controle de calorias.

Formação integral

Outro benefício da inclusão do esporte na infância e juventude é o desenvolvimento de competências técnicas e habilidades cognitivas e emocionais, colaborando assim para sua formação integral.

Os estudantes de qualquer idade desenvolvem um melhor relacionamento com os professores e demais colegas durante a prática esportiva grupal, além de oferecer iniciativa e melhorarem a capacidade de memorizar.

Aplique diferentes técnicas de escolha

Um fator importante para incentivar o contato da criança com o esporte é ajuda-lo durante o processo de escolha. É necessário ter nas mangas diversos métodos para que a decisão seja feita, visionando que seja tomada a melhor opção.

A criatividade na hora de abordar as modalidades é importante, uma vez que a criança ainda não possui uma noção e ainda não teve contato com a prática esportiva. Não se limite aos previsíveis como a televisão e o YouTube. O melhor a se fazer é trazer essa experiência no ambiente familiar, para que ao realmente praticar e vivenciar o esporte, a escolha venha certeira.

Com a tecnologia cada vez mais presente no nosso dia-a-dia, é fundamental que a criança veja o esporte um momento de lazer e de socializar. Além disso, as modalidades devem ser mostradas como uma solução a uma vida mais saudável e ativa, e ao combate ao sedentarismo. Leve em conta que o esporte para atrair uma criança deve ser abordado de forma lúdica e acolhedora.

Opções de esportes

São várias as opções de esportes disponíveis e todas elas podem ser praticadas na infância. A natação, por exemplo, é um dos mais escolhidos pelas crianças, na maioria das vezes pelo contato com a água ser algo bastante agradável e divertido ao público. O futebol e futsal, por serem a modalidade mais popular em nosso país, podem inspirar e no final influenciar na escolha. Outras opções são: vôlei, basquete, handebol, artes marciais e danças.

Portanto, não deixe de incentivar seu filho a prática de esportes, são vários os benefícios e resultados positivos a serem colhidos no futuro. A prática de atividade física é decisiva em casos de adoecimento por viroses e enfermidades, atuando no fortalecimento do corpo e na melhora de sua imunidade. Então, preocupe e zele pela saúde da criança, uma série de danos pode ser evitados, e nada melhor do que ver em primeira mão o seu bom crescimento e desenvolvimento.

Alergia, intolerância e sensibilidade alimentar: saiba os efeitos de cada um

sensibilidade alimentar

A alergia, a intolerância e a sensibilidade alimentar são complicações alimentares que podem ser difíceis de serem identificados e diferenciados entre si. A alergia alimentar se trata de uma resposta imunológica que se desenvolve aleatoriamente e, comumente, é causada por proteínas. É o caso onde se tem uma tolerância xero a determinado alimento.

A intolerância alimentar é uma reação adversa não imunológica que ocorre quando um determinado nutriente não é totalmente digerido por causa da ausência de enzimas digestivas ou a demasia do nutriente no trato gastrointestinal. A sensibilidade alimentar é a rejeição do organismo a certo organismo, apresenta sintomas como os gastrointestinais, dor de cabeça, distensão abdominal, alteração no humor, pele e a incidência de afta na boca.

A identificação dessas complicações é realizada somente pela exclusão dos alimentos, pois, cada indivíduo possui suas preferências, resposta imunológica, comportamento alimentar, simbologia, comportamento alimentar e história clínica, ou seja, sua identidade alimentar. Leia mais:

Alergia e intolerância alimentar

Pessoas com pré-disposição à alergia dever estar sempre atentas quanto ao consumo de alimentos com potencial alergênico. Alguns alimentos que possuem potencial alergênico são: clara de ovo, soja, amêndoas, crustáceos, cereais compostos por glúten, leite de vaca, castanhas, amendoim e carne de peixe. Esses alimentos influenciam em 90% das alergias alimentares. As demais alergias alimentares que compõem os 10% estão ligadas à presença de corantes, pesticidas e conservantes.

O consumo em excesso de determinado alimento pode induzir a sensibilidade alimentar. Tenha atenção quanto as dietas do momento que são muito regradas e promovem a restrição de determinados grupos de alimentos, elas podem trazer efeitos negativos em vez de benéficos.

A alergia alimentar possui uma reação imune que age instantaneamente e pode resultar na compressão da garganta, inchaço, manchas avermelhadas, dor abdominal, diarreia, vômito, urticária e anafilaxia. Até mesmo uma pequena quantidade pode influenciar esses sintomas. Já a intolerância alimentar é comum ser retratada como uma reação demorada que pode gerar problemas intestinais ou demais sintomas.

Ambas implicações podem ter relação com a grande quantidade de conservantes que ingerimos e do constante crescimento do setor industrial alimentício. Com isso, há no momento uma série de pesquisas sendo realizadas abordando nosso sistema imunológico e demais mecanismos biológicos.

Glúten e lactose

É muito comum ouvimos falar que a retirada de glúten e lactose da nossa alimentação leva ao emagrecimento, o que ainda não foi comprovado cientificamente. O ato de emagrecer se trata da matemática do que consumimos e do que queimamos, fazendo com que necessitamos de diminuir o consumo calórico dos alimentos e/ou praticar exercícios físicos mais frequentemente (gasto energético), contribuindo assim para a carga negativa do equilíbrio energético.

Só se deve se preocupar quanto a substituição de alimentos que possuem lactose ou glúten quando for o caso de incidência de alergias e intolerâncias alimentares diagnosticadas, buscando amenizar os sintomas. O valor calórico dos alimentos que podem substituir o trigo, a aveia, o centeio e a cevada não é menor e é até mesmo semelhante, logo, não colaboram para a redução das calorias.

Como minimizar os riscos de sensibilidade e intolerância alimentar?

A diversidade alimentar é essencial para a garantia do consumo equilibrado de macro e micronutrientes, menor presença de um mesmo alimento, prevenindo assim as sensibilidades, proporcionando um maior prazer e a menor restrição de alimentos que possui uma menor correlação com compulsão alimentar.

Outras medidas a serem tomadas é evitar a monotonia alimentar, procurando variar os pratos consumidos, se preocupar quanto a leitura de rótulos, procurar sempre por alimentos orgânicos e optar por cozinhar do que comprar alimentos prontos.

O tratamento da intolerância alimentar

O tratamento para a intolerância alimentar não existe. O indicado é a renovação da dieta, retirando por completo o alimento causador da intolerância. Para que o processo seja realizado da forma correta, é necessário o acompanhamento de um nutricionista, já que ao mudar a alimentação é importante saber quais são as melhores combinações e substituições para não haja a perda de nutrientes.

Em caso da incidência de alguma dessas complicações é importante ter o costume de anotar o que consome e sente para uma melhor análise do profissional. O uso de medicamentos com enzimas auxiliadoras na digestão dos causadores da intolerância pode complementar o tratamento. Lembre-se que a alimentação deve ser sempre saudável e sustentável, não caia na tentação de modismos estruturados.

Os benefícios e as desvantagens do café

café

Existem muitas dúvidas e toda uma polêmica em volta do consumo do café. Uns defendem que uma xícara pela manhã ajuda o corpo despertar, assim como ficar em alerta e vigiante. Outros defendem que a sua ingestão ajuda na incidência de doenças crônicas e o vício. Contudo, muitas pessoas não conseguem nem imaginar começar o dia sem o café.

A cafeína é a substância psicoativa mais consumida no mundo, e o componente mais conhecido do café, para muitos o único. Enquanto alguns estudos apontam que o café descafeinado e com cafeína podem afetar igualmente a saúde, outros relatam que a cafeína não é a responsável pela maioria dos benefícios à saúde relacionados.

O café já foi o culpado da impotência e insanidade, ao mesmo tempo que foi considerado a cura da preguiça. Foi culpado como a causa do amarelamento dos dentes e o maior inimigo, e motivação da aplicação da lente de contato dental. Porém, afinal de contas quais são as suposições que foram comprovadas nos dias de hoje? Leia sobre a seguir:

Os benefícios do café à saúde

Aumento do desempenho físico 

Para uma maior disposição no treino, uma xícara de café preto uma hora antes de realizá-lo é capaz de o melhorar cerca de 11 a 12%. A cafeína é responsável pelo aumento da taxa de adrenalina no sangue, substância do hormônio de “combate ou desistência” do corpo, que ajuda no preparo para o esforço físico.

Ajuda na perder peso

O café possui magnésio e potássio como componentes, o que auxilia na utilização da insulina, que regula os níveis de açúcar no sangue e reduz a vontade de lanches ricos em açúcar e doce.

Ajuda na queima de gordura

A cafeína auxilia as células adiposas na decomposição da gordura corporal e no seu uso como motivador para o treinamento.

Ajuda na concentração e a ficar alerta 

O consumo moderado da cafeína, no máximo seis xícaras por dia, é capaz de auxiliar na concentração e na melhora da atenção mental.

Reduz o risco de morte

Pesquisas indicam que o risco de ir ao óbito prematuro de quem consome café é 25% menor do que aqueles que não são favoráveis.

Reduz o risco de câncer

Segundo um estudo, o café consegue amenizar o risco da incidência de câncer de próstata em homens e a de câncer endométrio em mulheres em 25%. As pessoas que estavam sob o estudo ingeriam cerca de quatro xícaras de café por dia. A cafeína também é capaz de barrar o desenvolvimento do tipo mais comum de câncer de pele, o carcinoma basocelular.

Reduz o risco de derrame

O consumo aceitável de café, entre duas a quatro xícaras por dia, está relacionado a uma menor probabilidade de derrame.

Reduz o risco de doença de Parkinson

Pesquisadores descobriram que a ingestão regular de café diminui a chance de desenvolver a doença de Parkinson em cerca de 25%. Há evidências de que o café leve ao funcionamento na região do cérebro atingida pela doença.

Proteção do corpo

O café apresenta uma grande quantidade de antioxidantes, que atuam como defensores e nos protegem contra os invasores nocivos presentes no organismo.

Diminui o risco de diabetes tipo II

A cafeína faz com que a vulnerabilidade do corpo a insulina caia, assim como a tolerância à glicose, amenizando a possibilidade de incidência de diabetes tipo 2.

Protege seu cérebro

A grande quantidade de cafeína no sangue diminui o risco de adquirir a doença de Alzheimer, assim como o risco de demência.

Melhora do humor

A cafeína incentiva o sistema nervoso central e influencia no crescimento da produção de neurotransmissores como a serotonina, a noradrenalina e a dopamina, responsáveis pela elevação do humor. Assim, ingerir duas xícaras de café por dia pode atuar no combate a depressão e reduzir o risco de suicídio em 50%.

Desvantagens do café e possíveis danos

Café de má qualidade pode ser nocivo

O café quando está em mal estado pode abranger várias impurezas, que podem levar a doenças, mal estar e dores de cabeça. Isso acontece principalmente em casos que o café é preparado por grãos que foram despedaçados e destroçados, mas se você investe em um café especial de alta qualidade não precisa se preocupar.

Pode levar ao óbito

Em caso de exagero no consumo, e se há a ingestão de cerca de oitenta a cem xícaras (23 litros) em um período curto. Tomar essa dosagem de café em um período curto é letal. Sintomas como ânsia de vômito são sentidos, já que o líquido está em excesso em seu organismo.  Até mesmo beber 23 litros de água é capaz de levar a pessoa a morte.

Pode causar insônia e agitação

Outro efeito da cafeína é a insônia e inquietação extrema. A quantidade máxima de cafeína indicada é 400 miligramas, aproximadamente 4 xícaras de café. Contudo, a quantidade ideal de consumo vária para cada pessoa, já que há organismos mais adaptáveis ao consumo e outros mais vulneráveis.

Beber apenas um copo por dia em gravidez

Pesquisas sobre as reações do café no feto estão em processo, mas caso você estiver grávida, a cafeína entrará em contato com o embrião que é altamente sensível a substância. Então não arrisque, se você tem o costume de consumir grande quantidade de café e acha que não conseguirá conter o vício, reduza para apenas uma xícara por dia.

Portanto, faça uma análise de consumo e perceba como o seu organismo reage a essa bebida. A ingestão pode ser favorável, mas tudo em excesso é capaz de causar um grande dano ao nosso corpo, nossa saúde e qualidade de vida. Seja consciente e faça um consumo controlado.

Quais os cuidados com nossa saúde devemos ter em dias quentes?

cuidados com a saúde em dias quentes

Quais os cuidados com a nossa saúde devemos ter em dias quentes? Em nosso cotidiano são vários os compromissos e as preocupações que passamos, desde chegar no horário no serviço, conseguir render fisicamente e psicologicamente durante as atividades, de conseguir visitar aquele amigo, de passar para fazer compras e pagar as contas. Infelizmente, costumamos deixar o mais importante de escanteio: a saúde. Uma alimentação saudável e equilibrada, fazer uma avaliação com o médico e com um dentista, cumprir com os exames requeridos e com a documentação ortodôntica, praticar exercícios e se proteger da luz solar, também devem estar entre nossas programações.

O sol pode ser fonte de benefícios como a vitamina D, mas, a exposição intensa e frequente pode trazer diversos danos e os cuidados não se limitam ao verão. Veja como se cuidar em dias quentes:

Alimentação nos dias quentes

Em dias de calor mais intenso, geralmente nos alimentamos pouco e com menores intervalos, escolhendo sempre alimentos mais leves e de fácil ingestão. Isso acontece, pois nosso corpo possui uma temperatura em torno de 36º C, e em períodos quentes, conter a temperatura não é algo complicado. Assim, nosso organismo não necessita de digerir uma maior quantidade de alimentos como em tempos frios.

Além disso, no calor a circulação do sangue cresce na pele, fazendo com que o corpo compartilhe esse calor com o ambiente. Após nos alimentarmos, o sangue tende a se locomover para o aparelho digestivo, ajudando na digestão e recebendo nutrientes.

À medida que ingerimos alimentos, o sistema digestivo necessita de mais sangue. Tendo em vista que a quantidade que ele precisa é muito grande, pode levar a pessoa a ter tontura, ao cansaço e ao sono extremo, motivando a pouca ingestão de alimentos e de apenas mais leves quando feita.

Se ingerimos um alimento bastante quente no calor, começamos a transpirar, e isso é devido ao suor e o nervo vago. O nervo vago transita pelo sistema digestivo, reage com os alimentos e influencia na produção do suor, que equilibra nossa temperatura interna. Esse é um dos motivos que precisamos ingerir uma boa quantidade de água, precisamos compensar o suor perdido, esse que é composto por água e sais minerais.

Os sais minerais podem ser restituídos com a alimentação, pois o cloro e o sódio estão entre os componentes do sal de cozinha e assim, nos alimentos salgados. O potássio está presente em frutas como as laranjas, uvas, abacates, bananas e também na água de coco, e o magnésio é obtido nos grãos como a lentilha, o milho, o grão de bico, e também nas nozes e amêndoas.

Cuidados com a pele em dias quentes

Em dias quentes, o cuidado com a pele pode evitar uma série de doenças graves. À proporção que as atividades ao ar livre aumentam, o tempo de exposição ao sol também, sendo o ambiente ideal para o desenvolvimento dessas doenças.

Queimaduras, câncer de pele, e outros tipos de enfermidades podem surgir se não houver uma atenção as precauções necessárias. O uso diário do protetor solar deve ser aplicado 30 minutos antes de se expor ao sol. O filtro solar de fator 30 ou superior é indicado para exposições maiores como em passeios a praias, cachoeiras, piscinas, para lagoas, seja para banho, pesca e outros fins.

A aplicação deve ser feita de maneira uniforme em todas as partes do corpo, podendo ser repassado a cada duas horas em casos de transpiração intensa e se for entrar na água. O uso de um bom hidratante corporal também auxilia na manutenção de água na pele. A hidratação frequente no dia-a-dia com a ingestão de líquidos, seja água, água de coco ou suco de frutas, é muito importante e promove a melhor qualidade da pele.

Calor e procedimentos médicos

Após passar por algum procedimento médico, seja ou não cirúrgico, o processo inflamatório do pós-cirúrgico tem como principais consequências o inchaço, a coloração avermelhada do local, forte dor, e algumas vezes, um alto relevo. Muitos pensam que fazer qualquer um desses procedimentos em períodos mais quentes pode levar a um maior desconforto, mas não é bem isso.

Em períodos mais frios, como no inverno, o clima e a temperatura favorecem para que os edemas (inchaço pela conservação do líquido) não fiquem maiores. Contudo, a recuperação total tende a ser retardada.

Em tempos quentes, o uso das compressas de gelo no local compensa o inchaço maior nas primeiras horas. Após essa situação, há o início da recuperação do organismo, porém, para que o líquido siga o percurso oposto é necessário que os vasos se ampliem, fazendo com que as altas temperaturas beneficiem a recuperação.

Mesmo seguindo os cuidados precisos, procure um especialista para uma avaliação e para conhecer mais as suas necessidades e carências quanto ao calor. Há vários casos de alergias e surgimento de manchas na pele que se desenvolvem apenas durante esse período e variam de pessoa a pessoa; essa mesma particularidade atinge os processos cirúrgicos. Em cada caso e cada pessoa, há um organismo diferente que reage o ambiente de forma distinta e individual.

Dicas de uma alimentação saudável, para manter seu coração em dia

dicas de uma alimentação saudável
O que é uma dieta saudável? Antigamente a resposta seria, uma dieta baixa em colesterol e baixa gordura. Infelizmente, essa resposta acabou desmoronando. Acontece que comer alimentos com colesterol provavelmente não tem muita influência nos seus níveis de colesterol; mas comer alimentos processados ​​e embalados com um rótulo de “baixo teor de gordura” tem sido terrível para a nossa saúde. Então, iremos dar algumas dicas de uma alimentação saudável para o coração em dia.Hoje, a resposta para a questão da dieta saudável do coração é mais controversa. É baixo carboidrato? De origem vegetal, vegana, mediterrânea, sem glúten, DASH? A lista continua, e cada dieta tem seus advogados. Mas quem está certo? Infelizmente, os “especialistas” não foram muito úteis. Cada um parece ter pesquisa e motivos para “provar” por que sua dieta é melhor.Aqui estão algumas dicas que para uma alimentação saudável para o coração (e, por dieta, quero dizer o tipo de alimentos que você costuma comer, não a restrição de comer para perder peso).

6 regras simples para uma alimentação saudável

dicas de uma alimentação saudável

1. Não existe uma dieta “certa” para todos. A beleza – e o desafio – da medicina é o quão diferentes somos e como o mesmo tratamento pode levar a respostas diferentes em pessoas diferentes. Um medicamento que salva a vida de uma pessoa pode causar um efeito colateral com risco de vida em outra.O mesmo princípio se aplica à dieta. Embora uma pessoa possa ter resultados surpreendentes com uma certa dieta, isso não significa que você terá os mesmos resultados. E apenas porque uma dieta não funciona para você, não significa que você falhou – pode significar que a dieta não era adequada para você.
2. Você deve gostar (ainda melhor se você o ama). Mesmo se tivéssemos pesquisas que provassem que uma dieta é a melhor (e não a consumimos), se você não a comer, não fará nenhum bem. Não nos saímos bem quando nos sentimos privados, e se você está comendo comida de que não gosta, está se preparando para falhar.Encontre um estilo de alimentação saudável que você ame e que te ame de volta. Há muitas opções saborosas e saudáveis ​​para se contentar com alimentos que você não gosta.

3. Evite alimentos altamente processados

Se você seguir apenas uma dessas 6 regras, faça esta. Cerca de 70% da dieta da grande maioria são alimentos altamente processados ​​e é um dos principais contribuintes para as epidemias de obesidade, diabetes e pressão alta e riscos de doenças cardíacas.

O que são alimentos altamente processados? Existem várias definições, mas aqui está uma que eu gosto. Alimentos processados ​​são alimentos manufaturados, geralmente ricos em açúcares adicionados (como xarope de milho com alto teor de frutose) ou grãos refinados (por exemplo, farinha branca ou arroz branco). Esses alimentos geralmente contêm muitos ingredientes que você não reconheceria como alimentos, como conservantes e outros produtos químicos.

4. Inclua vegetais e outros alimentos à base de plantas

Mamãe estava certa. Coma seus vegetais. Todo especialista respeitável recomenda que vegetais e outros alimentos à base de plantas sejam uma grande parte de sua dieta.

Isso não significa que você precise ser vegetariano (não sou), mas o simples ato de colocar alimentos baseados no planeta na maioria das refeições pode fazer maravilhas para a saúde do coração.

5. O tamanho da porção ainda conta

Mesmo que seja comida saudável, comer demais ainda é, bem, demais.

Abrandar, comer conscientemente e servir suas refeições em pratos menores são estratégias comprovadas para diminuir a quantidade que você come sem sentir que está passando fome.

6. Coma em casa

Quem tem tempo para cozinhar mais? Cozinhar em casa pode ser mais rápido do que sair, e os benefícios são indiscutíveis. Alimentos de melhor qualidade, menor custo, uma conexão mais forte com os entes queridos e um peso mais saudável são apenas alguns dos benefícios das refeições caseiras.

Você não precisa ser um chef de cozinha para colocar alimentos nutritivos e de boa qualidade em sua mesa. Comece com uma ou duas refeições que você gosta e pode se preparar rapidamente. Ou você pode tentar um dos muitos serviços de entrega de refeições disponíveis.Comer um coração saudável não é um tamanho único nem está escrito em pedra. Para a maioria de nós, é um processo constante de experimentar coisas novas e julgar a resposta. Para facilitar as coisas, você pode começar com uma das principais dietas (por exemplo, mediterrânea, DASH, vegana, Paleo etc.) e adaptá-la aos seus gostos e necessidades, ou pode começar com sua própria criação.Contundo, siga essas 6 dicas, você poderá ter uma alimentação saudável!
Fonte: www.webmd.com