Clínicas, consultórios e centros médicos: saiba a diferença

Clínicas consultórios e centros médicos

Clínica, consultório, e centro médico são frequentemente utilizados como sinônimos, entretanto, não se rementem a um mesmo estilo de local.

Até mesmo para os jovens e experientes profissionais esse contraste não se mostra tão evidente. São muitos aqueles que desejam abrir um negócio no ramo da saúde, mas não sabe em qual tipo ele se compreende.

Seja no ramo da saúde geral ou da odontologia, com tratamentos como o aparelho ortodôntico, é importante saber essa diferença para dominar melhor o seu empreendimento e investimento. Veja como é realizada essa diferenciação e amplifique a sua visão de mercado:

Clínica

A principal característica de diferenciação das clínicas para o consultório é que esse local não possui enfoque somente na prestação de serviço. A estrutura desse tipo de estabelecimento é melhor e com a presença de equipamentos e materiais mais recentes e de melhor processamento, não excluindo o atendimento. Logo, a diferença está no maior leque funcional das clínicas para o consultório.

A clínica possui uma série de procedimentos e diferentes serviços oferecidos, exames de diferentes especialidades e complexidades, indo muito além do relacionamento entre paciente e especialista.

Uma definição acolhida de clínica é um grupo de consultórios, mesmo que não se trate de seu sentido completo, é aceitável. Outra diferença é que são estabelecimentos abertos por meio de um CNPJ, ao contrário dos consultórios.

Consultório

Os profissionais de saúde, quando trabalham em um consultório, devem em maior intensidade, se preocupar com a qualidade do atendimento a seus pacientes. Na maioria dos casos, existem outras variedades de procedimentos oferecidos, contudo, não se trata de algo regulamentado. O foco está nas consultas, como o próprio termo indica.

Mais de um profissional são capazes de compartilhar um consultório na prestação de seu serviço. Mesmo que estejam dividindo o mesmo compartimento, os profissionais podem ter atuações diferentes, possuindo sua própria secretária e carteira de pacientes.

Os custos em comum são divididos entre os usuários, menos os honorários. Para efetuar a abertura de consultórios deve se relacionar o local a uma pessoa física, um CPF.

Centro médico

Um centro médico abrange vários alojamentos que podem oferecer diversos tipos de prestações de serviços ligados a saúde. Ao contrário de uma clínica e de um consultório, o centro médico deve ser composto, obrigatoriamente, dessa variedade de serviços.

Logo, as clínicas possuem profissionais com apenas uma especialidade, e já os centros médicos oferecem diversos especialistas, com diversas ramificações da medicina, tendo a definição de se tratar de um grupo de clínicas, mesmo que não apresente sua total complexidade.

Sabendo disso, é importante enfatizar que os próprios estabelecimentos costumam trocar os nomes, se apresentando de forma errônea.

Se você é um profissional da saúde que deseja se posicionar no mercado ou abrir um negócio na área, é essencial que não se acomode como a concorrência e seja coerente quanto a definição do estabelecimento que pretende trabalhar ou abrir.

É sabendo distinguir esses termos que você compreende e aprende como se prostrar, como se distinguir e destacar diante a tantos outros profissionais qualificados.

Apendicite: sintomas, causas e tratamento

Apendicite

A apendicite se trata da inflamação no apêndice; um órgão de fina espessura e comprido localizado no inicio do intestino grosso.

Uma vez inflamado, fica repleto de pus, o que leva a intensas dores no abdômen. A falta do tratamento devido influencia uma série de complicações, sendo o processo cirúrgico; nomeado apendicectomia, a sua forma ideal.

Essas complicações ocorrem como a ausência do tratamento com aparelho ortodôntico indicado, de forma gradual.

Na maioria dos casos, essa enfermidade se desenvolve como apendicite aguda, se desenvolvendo rapidamente e exigindo o tratamento devido o mais rápido possível.

Entretanto, há também a incidência da apendicite crônica, que ocorre quando essa problemática é continua. Saiba mais sobre as características da apendicite:

Sintomas de Apendicite

A dor abdominal é o principal sintoma da apendicite e a sua intensidade varia quanto a faixa etária e a posição da inflamação. Na maioria das vezes, o sinal inicial é uma dor próxima a região do umbigo e a sua força aumenta gradualmente.

Com o tempo, a inflamação no apêndice aumenta e varia de 12 a 18 horas, fazendo com que a dor se alterne para a região mais a baixo e à direita; denominada de McBurney. Uma das principais características da apendicite por esse processo é uma forte dor ao lado direito do abdômen.

Demais sintomas da apendicite são a incidência de vômitos, náuseas, febre baixa e apetite debilitado. Caso o apêndice se rompa, a dor é capaz de ser interrompida brevemente, trazendo uma repentina sensação de bem-estar.

Contudo, quando o revestimento da cavidade abdominal é atingido pela inflamação; peritonite, a intensidade da dor aumenta e os sintomas ficam ainda mais graves, sendo perceptíveis na locomoção e pela tosse.

Causas de Apendicite

As causas da apendicite em alguns casos não são identificadas claramente, porém, certas situações podem desencadear a inflamação do órgão, como demais infecções; a gastrointestinal por exemplo, e o acúmulo do apêndice por partículas de fezes ou gordura.

Nos dois casos, a bactéria natural do órgão se prolifera, o que leva a sua inflamação e o seu inchaço, incitando a produção de pus. Sem o tratamento, a apendicite leva ao rompimento do apêndice.

Riscos à Apendicite

Em ação preventiva a apendicite, é comum evitar ingerir legumes e frutas que possuem sementes ou caroços, por exemplo uva, tomate, azeitona, jabuticaba e pepino. Entretanto, não há comprovação científica do efeito negativo desses alimentos, já que a inflamação não é advinda de alguma forma desse consumo.

A inflamação no apêndice atinge qualquer faixa etária, de crianças a adultos, sendo mais comum entre os 10 a 30 anos. Logo, não há a incidência de alguma relação comportamental para com a inflamação.

Auxílio médico

Os sintomas da apendicite, uma vez percebidos, devem ser acompanhados com atenção. Se a dor abdominal continuar após 12 horas, busque por um médico especialista e ofereça informações como a localidade e a intensidade das dores.

Durante a consulta o médico poderá pedir mais informações, se houve alterações quanto a dor e se existem demais sintomas; como náuseas, diarreia e febre.

É comum que o profissional diagnostique a apendicite por meio da descrição dos sintomas e através do exame físico no hospital ou consultório. Para as mulheres, outros exames laboratoriais e testes complementares também podem ser reivindicados.

Como a dor varia com o tempo, o diagnóstico de apendicite pode ser difícil ser feito inicialmente, além de que as dores abdominais também são características de outras complicações. Tendo isso em vista, os exames adicionais confirmaram a incidência da inflamação.

Forma de tratamento

O tratamento da apendicite é realizado por meio de cirurgia, uma vez que a apêndice está inflamada, necessita ser removida. O processo cirúrgico, denominado apendicectomia, ocorre com a pessoa sob efeito anestésico e não se trata de uma substituição.

O apêndice é somente removido tendo em vista que a falta desse órgão em especifico não é capaz de trazer risco e dano a saúde do paciente, já que não possui uma responsabilidade característica para com o organismo.

Em caso de complicações, caso o diagnóstico tenha sido feito com o apêndice ainda inteiro, o cirurgião removerá o órgão logo após a inflamação ser percebida. Com isso, é importante que a apendicite seja detectada em seus primeiros momentos, fazendo com que danos ainda mais graves sejam evitados.

Em qual idade pode ser feita uma mamoplastia de aumento?

Em qual idade pode ser feita uma mamoplastia de aumento

A mamoplastia de aumento é a popular cirurgia plástica para inserção de silicone, aumentando o tamanho dos seios femininos. É o procedimento cirúrgico estético mais popular do Brasil e costuma trazer resultados muito satisfatórios para pacientes que antes não se sentiam confortáveis com o próprio corpo.

No entanto, anseios de mudanças positivas na própria aparência e melhoria de autoestima podem surgir independentemente da idade. De tal forma, acabam surgindo dúvidas referente à faixa etária que uma paciente deve ter quando opta por uma mamoplastia de aumento.

Mamoplastia de aumento: idade mínima e máxima

Em primeiro lugar, é necessário falar sobre a idade mínima possível para uma paciente poder fazer sua mamoplastia de aumento. Adolescentes costumam ter o desejo de melhorarem o que não consideram atraente em sua aparência, tanto quanto qualquer mulher adulta.

A orientação médica é que a paciente aguarde ao menos seis anos depois de sua primeira menstruação para fazer esse tipo de cirurgia plástica. Como a média do primeiro ciclo menstrual da mulher brasileira é aos 13 anos, uma idade mínima adequada seria a partir dos 18 anos, idade em que o desenvolvimento físico também pode se dar por completo.

Já a idade máxima não existe. Inclusive vem surgindo, nos últimos anos, um crescimento no número de pacientes acima de 65 anos que optam por fazer uma mamoplastia de aumento. Nesta faixa etária, pacientes costumam querer recuperar a aparência perdida pelo envelhecimento e pela amamentação, por exemplo.

Como a idade mais avançada traz consigo um grau maior de flacidez da cútis, pacientes mais velhas acabam, em alguns casos, optando pela mastopexia, que consiste na cirurgia de levantar as mamas e retirar o excesso de pele, fornecendo uma aparência mais jovem e firme. Neste caso, pode haver ou não a implementação de silicone em conjunto.

Cuidados antes da cirurgia

Todo o pré-operatório da mamoplastia exige algumas medidas e cuidados, como exames laboratoriais de sangue, de urina, radiografias e eletrocardiogramas. Ademais, a interrupção prévia de hábitos como tabagismo, consumo de bebidas alcoólicas e de determinados tipos de medicação também são indicados.

Alguns dos principais cuidados que devem ser adotados pela paciente na véspera da cirurgia são:

  • Uso de sabonete antisséptico durante o banho, higienizando bem a região torácica;
  • Realizar jejum de oito horas, com a inclusão de líquidos;
  • Depilar, delicadamente, a região da axila, de modo a evitar ferimentos;
  • Fazer uma última refeição leve antes da operação.

Estar calma e relaxada, bem como com os exames em mãos no hospital no dia da cirurgia plástica são o suficiente. Busque levar roupas confortáveis e largas para utilizar e não esqueça do seu sabonete antisséptico e do seu sutiã cirúrgico.

A cirurgia de mamoplastia de aumento deve ser cuidadosamente conversada previamente. O acordo entre a paciente e o médico responsável pelo caso deve ser unilateral, para que o profissional entenda as necessidades e expectativas da mulher, bem como trace seu perfil de modo a escolher uma prótese de silicone adequada e em consonância com o volume e o tipo de corpo que a paciente apresenta.

Qualidade do sono: saiba como dormir bem

Qualidade do sono

A qualidade do sono, assim como a boa alimentação e a prática de exercícios é essencial para nossa saúde. Com a agenda lotada e com o estresse cotidiano, o descanso é diretamente afetado, e assim, surgem distúrbios como a insônia e a apneia.

A importância de ter boas noites de sono também é refletida no bom humor e na motivação do dia-a-dia, que são resultados da reposição devida de energia.

Dormir com qualidade é a fórmula para se ter um bom rendimento e para levar a vida de forma mais leve, positiva e saudável. Assim como procedimentos estéticos, como o invisalign, dormir bem é a chave de uma boa autoestima:

A importância de uma boa noite de sono

A importância de um bom descanso se baseia principalmente na reposição de energia que necessitamos para realizar nossas atividades cotidianas. Uma vez que não vemos a qualidade de sono como uma de nossas prioridades, afetamos o nosso rendimento.

É durante o repouso que as secreções de hormônios são liberadas e as células restauradas, além de que é nesse tempo que as memórias feitas no dia se concretizam no cérebro. A renovação de energia noturna também tem como propriedade o fortalecimento do sistema imunológico, prevenindo a incidência de certas enfermidades.

O indicado é que o horário perdure de 6 a 8 horas para que os efeitos e benefícios do sono sejam percebidos. No entanto, para que essas horas sejam suficientes, deve-se haver também uma preocupação com alguns fatores externos.

Como ter um sono de qualidade?

Como dito, a qualidade do sono não depende apenas da duração, mas também do ambiente, das ações prévias e da alimentação. Conheça as principais observações:

Evitar contato com eletrodomésticos

Dentre as preocupações na hora de dormir estão o contato com eletrodomésticos, que por sua vez devem ser evitados momentos antes de se deitar. Os aparelhos eletrônicos devem ser desligados pelo menos 30 minutos antes.

Aparelhos luminosos e celulares também devem ser evitados, fazendo com que o corpo já relaxe para que haja um melhor descanso. Caso seja necessário, escutar uma música ambiente pode contar a agitação.

Conforto

Para que o corpo relaxe de vez é muito importante que a combinação do colchão, do travesseiro, da fronha e do cobertor resultem em um local confortável. A ausência de luz também colabora para um ambiente mais agradável e para um adormecer mais fácil.

Na avaliação do seu quarto, se preocupe na retirada de objetos que possam te distrair durante à noite.

Cuidados com a alimentação

Quanto à alimentação, deve-se evitar o consumo de comidas com alto teor calórico momentos antes de ir para a cama. Alimentos muito gordurosos devem ser substituídos por aqueles que contenham boa quantidade de triptofano, de magnésio ou vitamina B6, já que auxiliam a sintetização da serotonina e induzem ao adormecer.

Refeições noturnas, como o jantar, devem priorizar alimentos naturais e leves e que sejam de fácil digestão e metabolismo.

Atividades relaxantes

Práticas de atividades que visem o equilíbrio e a harmonia corporal são ótimas maneiras de preparar e recompor o seu corpo e mente. Exercícios de Yoga, Pilates e meditação são algumas das execuções que podem ser adotadas em horários noturnos.

Além disso, essas práticas relaxantes permitem que aflições, pensamentos e memórias estressantes que possam ocupar a mente nesse momento inoportuno sejam sanadas pela tranquilidade e a concentração que essas execuções exigem.

Atividades físicas

As atividades físicas, por sua vez, colaboram com a qualidade do descanso já que em sua prática gasta uma grande quantidade de energia. O cansaço resultante do esforço físico implica na vontade de dormir e de repor a energia perdida.

O indicado é que a prática de atividade física seja feita ao menos 30 minutos por dia, em um horário que preserve um bom horário de folga.

Manter o sono regulado

Para a boa qualidade do sono também é importante que se tenha uma rotina. Além da duração, dormir sempre no mesmo horário faz com que o seu corpo se acostume e comece a se sentir cansado perto da hora estipulada.

Existem aplicativos que organizam o sono e possuem funções que medem e realizam esse controle. Programar alarmes no horário de ir para cama, além do de se levantar, é uma opção ainda mais prática.

Logo, para dormir bem é necessário prezar por bons hábitos, são eles os fatores que regulam e estabelecem a nossa saúde geral. São esses pequenos cuidados e medidas cotidianas que tornam possível um repouso renovador e um envelhecimento saudável.

O esporte e o tratamento da depressão

O esporte e o tratamento da depressão

Ao contrário do que muitos pensam, a prática do esporte não ajuda apenas na obtenção e na manutenção da saúde física, mas também da saúde mental, fazendo parte do tratamento de doenças psicológicas como a depressão. A depressão possui medicamentos para o seu controle, entretanto não pode ser curada instantaneamente como ocorre com remédio para dor de dente.

Essa doença precisa de um tratamento situacional, e um de seus principais pilares é a prática esportiva. Existem pesquisas que evidenciam os benefícios do esporte na baixa da depressão, trazendo uma maior positividade na vida de quem prática. Conheça mais sobre esses benefícios:

 Os benefícios ao psicológico do esporte

A pratica esportiva regular é capaz de melhorar a autoestima, uma vez que você se exercita com frequência, seu corpo realiza a liberação de substâncias químicas denominadas endorfinas. Essas substâncias se relacionam com os receptores do cérebro, atuando como analgésicos e diminuindo a intensidade da dor.

Também atuam como sedativos, além de proporcionar uma sensação positiva no corpo. Atletas costumam definir o termino de um treino como eufórico e prazeroso, reforçando o bem-estar, a positividade e o fator energético das atividades físicas.

Auxílio no tratamento da depressão

Além dos benefícios citados, estudos indicam a prática de exercícios como um tratamento eficiente para a depressão, mesmo com que subutilizado por médicos especialistas. Os estudos no início relatavam que exercícios aeróbicos; como caminhada e natação, eram a melhor escolha, uma vez que liberavam endorfina em seu processo, porém, estudos mais atuais determinam que treinamentos que utilizam força, possuem efeitos benéficos similares.

Com a revisão dessa pesquisa se provou que exercícios que exploram a força, como flexões e musculação com uso de aparelhos, auxiliam, expressivamente na redução de sintomas da depressão. Isso pode ser em parte justificado pela influencia desses tipos de exercícios no funcionamento do cérebro, liberando substâncias neuroquímicas que favorecem o humor. O fator social da prática esportiva também é relevante.

Como decidir o tipo de atividade física?

Antes de começar a pratica exercícios deliberadamente, tenha em vista as atividades físicas que mais te atraem, suas condições físicas e os objetivos que tem em mente. A preferência entre praticar uma atividade física em grupo ou individual também pode entrar em jogo, entretanto, deve se levar em conta que o fator social pode ser extremamente benéfico.

Depois de analisar esses fatores, você é capaz de selecionar a melhor opção, sendo aquela que você se sente mais confortável praticando. Após ser efetuada a escolha você já pode começar a organizar a sua rotina e a levar a sério sua execução, podendo variar a prática de exercícios constantemente.

O indicado é que a prática do esporte seja de 20 a 30 minutos no mínimo, e realizada ao menos três vezes na semana. Pesquisas mostram que o exercício de quatro ou cinco vezes por semana otimiza ainda mais os efeitos positivos, sendo uma frequência que deve ser almejada. No começo, não exagere, comece com 20 minutos e vá aumentando o tempo gradualmente.

Exercícios não curam a depressão

Assim como afirma os médicos psiquiátricas, os exercícios físicos não curam a depressão, mas sim fazem parte de seu tratamento e na diminuição de seus sintomas. Essa doença psicológica traz consigo a diminuição de energia, distúrbios no sono, mudanças quanto ao apetite e intensificação de dores corporais. Infelizmente, se trata de um ciclo complicado de ser rompido, e é por esse motivo, que todo o cuidado quanto ao tratamento é importante, assim como a vida ativa.

Profissionais da saúde também afirmam que esse tratamento é a longo prazo e possui necessita de cuidados em diversas áreas. A terapia é essencial para que haja a recuperação do paciente, então não exclua as demais medidas necessárias. O uso de medicamentos também pode ser acoplado, caso indicado pelos médicos.

Lembre-se de levar em conta o fortalecimento de seus relacionamentos sociais, e estudos também conformam esse efeito mostrando que a prática de exercícios sozinho não é tão eficiente para o tratamento.

Desse modo, é essencial que na vivência de sintomas da depressão, o indivíduo procure pelo acompanhamento psicológico e veja o esporte como um fortalecimento da prescrição feita pelo psicólogo. Aderir uma vida mais saudável em todos os sentidos, evitando situações que não te fazem bem e uma boa alimentação também são cuidados adicionais eficazes.

UMIDIFICADOR DE AR BARATO

UMIDIFICADOR DE AR BARATO

Neste artigo vamos mostrar alguns modelos de umidificador de ar barato que você pode comprar na Internet com mais vantagens do que nas lojas já que nos meses mais secos do ano os umidificadores de ambiente costumam faltar e ficam mais caros.

Isso ocorre porque as vendas de umidificadores no Brasil chegam a aumentar 60% em relação ao ano passado. Com isso fica cada vez mais difícil encontrar os modelos de umidificadores mais baratos. Os modelos mais simples e populares são os primeiros a acabar nas lojas e com isto a solução é comprar pela Internet.

Todo investimento feito para a compra de um bom umidificador de ar vale a pena. O dinheiro que você vai tentar economizar não comprando o umidificador vai acabar gastando depois com consultas médicas e remédios principalmente se você tem crianças e idosos morando na sua casa.

Os preços dos umidificadores variam muito, podem custar R$ 130 ou até R$ 600. O fato é que com R$ 200,00 você já tem condições de comprar um ótimo umidificador. A vantagem do umidificador das lojas em relação aos umidificadores caseiros é que rapidamente eles conseguem produzir uma coluna de vapor d’agua que eleva a umidade do ar em até 40% ou mais. Automaticamente você já vai sentir um conforto respiratório.

Os umidificadores ultra sônicos quebram a molécula de água por um processo vibratório gerando grande quantidade de vapor de água. O ruim dos modelos mais baratos e mais simples é que normalmente não possuem nenhum recurso adicional, apenas possuem o botão de ligar e desligar. O ideal é procurar um umidificador barato mas que possua um bom controle de umidade. Veja se o umidificador que você pretende comprar tem capacidade de umidificar sem precisar colocar mais água por no mínimo a mesma quantidade de horas que tem a duração do seu sono.

Pela Internet é possível comprar umidificadores de ar mais baratos que na maioria das lojas do Brasil. É justamente nos meses onde a umidade relativa do ar está mais baixa nos principais estados do país que começa a faltar umidificadores nas lojas especializadas. O problema é que muitas vezes o comerciante acaba elevando os preços para aproveitar a falta do produto.

Com isto comprar umidificador de ar na Internet acaba sendo mais barato mesmo quando temos que pagar os custos do frete. Quem tem algum tempo para pesquisar pode aproveitar algumas promoções que sempre são lançadas pelas principais lojas de eletroeletrônicos da Internet onde são oferecidos FRETE GRÁTIS para todo Brasil. Como o preço médio de um bom umidificador de ambientes fica em torno de R$ 150,00 é fácil encontrar lojas que oferecem frete grátis para compras acima de R$ 99,00.

Outra grande vantagem de se comprar o umidificador pela Internet é a facilidade de pagamento. Hoje em dia quase todas as lojas oferecem parcelamento em 3 vezes sem juros ou até mais que isto, dependendo do valor da sua compra. Minha sugestão é que você  informe para seus familiares que vai comprar um umidificador de ar pela Internet. Com isto você pode juntar outros amigos e parentes para fazer a compra ao mesmo tempo. Isso será vantajoso porque o frete será rateado e ficará mais barato. O valor da compra será maior e com isso você terá mais possibilidade de encontrar lojas que oferecem frete grátis. Um valor maior também permite uma quantidade maior de parcelas sem juros.

Normalmente um umidificador só é suficiente para umidificar um único ambiente da sua casa. Estes umidificadores de pequeno porte e portáteis não conseguem umidificar o ar de toda casa. Por isto, para cada cômodo é importante comprar um umidificador de ambiente exclusivo.

Saúde dos olhos: saiba como cuidar de sua visão

Saúde dos olhos

Cuidar da saúde dos olhos é importantíssimo. A visão é um dos sentidos mais importantes e um dos mais sensíveis. Apesar de sua relevância, muitas das vezes é negligenciada e não possui a atenção e os cuidados que merece, só os recebendo quando é perceptível algum sintoma ou alguma perda. Ao contrário de perdas como a do dente, que possui a solução do implante dentário, a perda, uma vez total, da visão não possui reposição.

Pela saúde da visão, os cuidados mais simples fazem grande diferença, seja em período curto ou a longo prazo. Algumas medidas devem ser realizadas diariamente para prevenir demais problemas e assegurar que os que já existam não sejam agravados.

A saúde dos olhos depende diretamente dos seus hábitos, uma vez danosos, podem causar sérias consequências. Então fique atento quanto aos cuidados a seguir:

Exames oftalmológicos em dia

Já que se trata de um dano irrecuperável, o principal cuidado é a prevenção. Manter a periodicidade dos exames oftalmológicos, na frequência indicada pelo profissional especialista é capaz de barrar e diminuir o impacto de diversos danos.

Certas doenças oculares crônicas, tais como a glaucoma, a retinopatia diabética e a degeneração macular são comumente impossíveis de serem detectadas em suas fases iniciais, já que não possuem sintomas perceptíveis, reforçando a importância dos exames preventivos.

Invista em hábitos saudáveis

Uma dieta saudável e controlada é um dos pilares da melhor qualidade de vida e da saúde geral. Com isso, o olho não é uma exceção e a boa alimentação reflete diretamente e positivamente na saúde do olhar.

Caso você esteja protegido contra doenças sistêmicas, capazes de atingir diversos órgãos do organismo, como o diabetes e a hipertensão, está livre de futuros danos oculares e relacionados a eles, tais como a retinopatia hipertensiva e a diabética. A melhor opção de precaução a doenças como essas é a uma dieta pobre em açúcares, carboidratos e gordura, mas rica em nutrientes e vitaminas.

Quem se alimenta de forma equilibrada, mantém demais hábitos saudáveis com facilidade, tal como o uso do protetor solar e evitar a exposição desnecessária a luz do sol. A alimentação saudável também previne a Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI), uma das principais causas da cegueira em pessoas com mais de 50 anos.

Uso dos óculos de sol

O uso dos óculos de sol não são apenas algo referente a estilo ou a preferência, mas se refere a uma das mais eficientes proteções ao nosso olhar. Se escolhidos de forma correta, protegem a retina das radiações solares e de vários danos e problemas quanto a visão, como a catarata.

Quando for comprar seus óculos tenha atenção, certifique de que o modelo escolhido apresenta um selo de qualidade que garanta a proteção a visão contra os raios ultravioletas pelas lentes. Não realize a compra daqueles sem garantia, mesmo se o modelo te agradar, eles podem te trazer mais danos do que benefícios.

Assim como o protetor solar, o uso dos óculos de sol não é necessário apenas nos dias quentes de verão, mas em todos os dias, sejam em chuvosos ou no inverno, já que ainda há a exposição aos raios ultravioletas e a possível incidência de prejuízos.

Conheça sua genética

Procure saber se parentes próximos já desenvolveram problemas oculares e se sim, quais foram, doenças oculares costumam ser passadas geneticamente, mas não é algo garantido. A presença da análise do histórico familiar ajuda o oftalmologista a personalizar o seu tratamento, se baseando nas referências coletadas e nos sintomas apresentados. Dessa forma, se sabe quais medidas preventivas tomar e na obtenção de um diagnóstico precoce.

Uso controlado de eletrônicos

Se você passa muito tempo na frente da tela do celular e do computador, tende a manter os olhos mais abertos e piscar menos vezes. Essa atitude permite que a lubrificação natural do globo ocular, fundamental para a saúde dos olhos, seja reduzida.

Procure piscar mais vezes, fazendo pausas de 20 segundos a cada 20 minutos que olhar a tela, essa prática evita os problemas oftalmológicos. É importante manter uma distância de 50 centímetros do monitor e, se indicado pelo médico especialista, usar um colírio. Ainda, se preocupe em ajustar as configurações da tela do aparelho, diminuindo o brilho quando a incidência de luz for muito alta.

Não usar colírio sem indicação

Só faça o uso do colírio se indicado pelo seu oftalmologista. O uso desse produto sem indicação médica pode trazer uma série de complicações para a sua visão. O colírio é uma espécie medicamento, somente sendo receitado se a situação especifica exigir. Não se automedique e evite problemas futuros.

Evite coçar os olhos

Mesmo com o desconforto e incômodo que a coceira nos olhos causa, o ato de coçar pode ser extremamente danoso e precisa ser contido. A pressão em cima do globo ocular pode influenciar diversos problemas como o astigmatismo, ceratocone, o deslocamento da retina, entre outros.

Outro fator a ser evidenciado é o de nossas mãos transportarem sujeiras e vários microrganismos, o que pode fazer com que desencadeie doenças, ainda mais em uma região tão sensível como os olhos. Em casos de coceira, pisque os olhos várias vezes para aliviá-la e, se ela não passar, lave-os com água para que a partícula intrusa seja retirada.

Tenha seu tempo de descanso

É importante fazer pausas quando estiver passando um tempo considerável na frente do computador ou celular. Com esse tempo seus olhos se hidratam da maneira correta e descansam da luz intensa.

Respeite também o seu tempo de sono, todo o organismo merece esse momento para que suas energias sejam recuperadas. Assim, um sono regulado e com horas suficientes para que a recuperação seja completa, influencia na saúde dos olhos, evitando problemas como a fadiga ocular.

Outros cuidados como a abstinência do tabaco, prática de atividades físicas e o corte do consumo de açúcares também se ligam diretamente a saúde dos olhos, já que para uma visão saudável é preciso manter o organismo saudável. Siga esses cuidados no dia-a-dia, mantenha contato com o oftalmologista e garanta a proteção de sua visão.

Profissões na área da saúde: 6 carreiras para você escolher!

profissões na área da saúde

Há muitas profissões na área da saúde diferente. O estudante que pretende seguir nessa linha, pode ter algumas dificuldades em qual escolher, já que são várias carreiras distintas. 

E para te ajudar, confira uma lista de carreiras diferentes. Vamos falar sobre quais cursos deve fazer primeiro, salários de cada uma, e ainda como ingressar no mercado de trabalho. Confira!

Saiba mais sobre a faculdade de enfermagem.

Profissões na área da saúde

As profissões na área da saúde têm um dos mercados mais crescentes do país. Isso porque, a atuação deles envolve a população em todas as fases da vida, ainda mais com o aumento da expectativa de vida. Além da medicina, também inclui os cursos de enfermagem, farmácia, nutrição, psicologia, veterinária, etc.

Medicina

Essa é uma das profissões na área da saúde mais conhecida. A graduação é composta por 12 semestres, no mínimo. Ao final, o profissional poderá decidir qual especialização fazer, sendo mais 2 anos de residência médica.

O estudante de medicina deve realizar um estágio de regime internado, sendo 30% dentro do SUS, na atenção básica e no serviço de urgência e emergência. Os outros 70% divide entre clínica médica, cirurgia, ginecologia, obstetrícia, pediatria, saúde coletiva e saúde mental.

O profissional será capaz de diagnosticar doenças, prescrever medicamentos, acompanhar tratamentos e atuar na prevenção de enfermidades. Podendo atuar em postos de saúde, hospitais, clínicas, realizando exames, cirurgias e diagnósticos.

É uma das profissões mais disputadas nos vestibulares. O salário médio no Brasil ultrapassa os R$10 mil. Isso porque é uma profissão que possui uma enorme responsabilidade (de salvar vidas), e está sujeito a muito estresse e a ação de materiais tóxicos.

Enfermagem

Essa é uma das mais tradicionais profissões na área da saúde. O enfermeiro é aquele que está em contato direto com o paciente, cuidando e ministrando os remédios e tratamentos. Atua tanto no atendimento, quanto na recuperação das pessoas em hospitais, postos de saúde e serviços de atendimento a domicílio.

São necessários, no mínimo, 8 semestres de graduação. Formando profissionais atuantes na prevenção, promoção, proteção e restabelecimento da saúde de pacientes. Os tipos de formação pode ser bacharelado, tecnólogo, pós-graduando e técnico.

Nos semestres finais, o estudante também passa por um estágio obrigatório supervisionado em hospitais, ambulatórios, clínicas, rede básica de serviços de saúde e comunidades. O salário médio no Brasil passa de R$3 mil.

Para o mercado de trabalho, o profissional precisa estar inscrito no Conselho Regional de Enfermagem. Também é possível buscar uma especialização após a graduação. O estudante precisa ter paixão em cuidar de pessoas, saber se relacionar com empatia para exercer bem a função.

Farmácia

Os profissionais na área da saúde que escolhem farmácia fazem, em média, 10 semestres de graduação. O farmacêutico é responsável pelo controle da venda de medicamentos, diagnósticos laboratoriais e ajuda no desenvolvimento de novos remédios. Além de atuar com alimentos, cosméticos e reagentes químicos.

O salário médio no país passa dos R$3 mil, e para trabalhar na área é preciso ter um diploma de uma das instituições reconhecidas pelo MEC, e fazer o registro no Conselho Regional de Farmácia.

O profissional deve ser curioso e analítico. Além de observador e detalhista, para identificar padrões de comportamentos e desenvolver soluções.

Nutrição

Uma das profissões na área da saúde mais buscada é o curso de nutrição. O profissional é responsável por prescrever programas alimentares, ajudando na saúde e/ou a atingir um desejo, como emagrecer. Além de auxiliar na preparação de alimentos, focando nos nutrientes que o paciente precisa.

Pode atuar nas áreas de saúde pública, hospitais, escolas, clínicas, spas, empresas e administração de serviços de alimentação. São em média 4 anos de graduação, e o salário médio é de quase R$ 3 mil.

Para ingressar no mercado, além do diploma é necessário estar cadastrado no Conselho Regional de Nutrição.

Psicologia

A psicologia também é uma das profissões na área da saúde. O curso tem em média 5 anos de duração, e forma os estudantes para serem capazes de diagnosticar, prevenir e tratar doenças mentais, emocionais e de personalidade.

Analisando as atitudes, sentimentos e mecanismos mentais do paciente, o profissional é qualificado para ajudá-lo a identificar a causa desses problemas e tratá-los. Além de atuar em consultórios, podem trabalhar em empresas no setor de RH, em instituições de saúde e de assistência social.

O salário médio no Brasil é de R$2,8 mil. E para atuar no mercado de trabalho é preciso diploma e ser inscrito no Conselho Regional de Psicologia. 

Medicina Veterinária

Parte da medicina voltada para o tratamento de doenças em animais. Então, para ser um dos profissionais nessa carreira, é necessário amar os bichinhos. Para atuar nessa profissão, é preciso ter 12 semestres da graduação.

Assim como na medicina de seres humanos, essa é uma das profissões na área da saúde capaz de intervir em todos os assuntos relacionados à saúde animal. Também pode atuar na inspeção de produtos de origem animal, e em organizações de ensino e pesquisa.

O profissional graduado pode oferecer assistência clínica e cirúrgica em animais domésticos e silvestres, além de cuidar da alimentação e reprodução dos mesmos. Pode trabalhar em pet shops, lojas especializadas, indústrias de produtos de origem animal ou de medicamentos e produtos veterinários.

O salário médio atinge quase os R$3,5 mil. E também é preciso estar inscrito no Conselho Regional de Medicina Veterinária.

Essas são as principais profissões na área da saúde. Todas exigem uma certa aptidão para cuidar de outras pessoas (ou animais), além de terem inscrição nos Conselhos Regionais.

Continue acompanhando o blog para mais dicas!

Medição de lucro: saiba como medir o retorno de sua clínica

Medição de lucro

Abrir um consultório ou uma clínica é o sonho de muitos estudantes de medicina e odontologia e saber sobre medição de lucro de sua clínica é essencial. Para que esse objetivo possa ser alcançado é necessário que além da idealização haja um planejamento detalhado e certeiro. A situação de um consultório médico e de um dentista em Ipatinga não é diferente.

O planejamento tende a ir além dos papeis, já que se preparar psicologicamente e financeiramente também é essencial. Sem o planejamento prévio devido, a quantidade de dinheiro investido e gasto, fará com que fique difícil saber se o negócio está bem posicionado e tendo um bom retorno.

Com isso, é importante realizar a análise do lucro esperado, pois além do capital de giro. Responsável pelo financiamento dos materiais que mantém a clínica, também se mostra importante avaliar os custos. Todos esses dados são utilizados para se conseguir a margem do lucro.

Aprenda o que significa o ROI e como essa técnica de finanças pode te beneficiar na hora de calcular o seu valor potencial de lucro:

O que é o ROI?

A sigla ROI vem da expressão em inglês “Return On Investment” (retorno do investimento) e se trata de uma métrica que auxilia a compreensão dos pormenores do processo financeiro, se o negócio está lucrando ou não. Esse cálculo mostra os valores que entraram e saíram do caixa do consultório em relação ao valor investido.

O ROI se mostra uma estratégia essencial para o gerenciamento das clínicas e consultórios. O investimento só deve ser feito após o planejamento ser traçado e assim, estimados os retornos prévios de cada quantia investida no orçamento.

Esse método de finanças é capaz de determinar qual será o lucro que vai cair através de cada ação e quais delas estão trazendo mais ganhos do que perdas. É bem simples e eficiente, com um cálculo periódico podem ser analisadas campanhas de marketing ou a instalação de um software.

Como calcular sua margem de lucro?

Para adquirir o ROI de sua clínica é necessário realizar a seguinte fórmula:

ROI = (lucros apreendidos — valor inicial investido) / valor inicial investido

Subtraia o valor total ganho pelo valor total investido e divida pelo valor encontrado e pelo número respectivo do investimento inicial. Assim, o investimento inicial irá consistir todo o valor aplicado no negócio, e a quantia arrecadada será correspondente ao lucro. Os valores apresentados no ROI devem ser os mais precisos e reais possíveis.

Dessa forma, a frequência com que esse cálculo será feito deve ser estabelecida, pois a periodicidade interfere nos resultados e influencia diretamente nos objetivos estipulados e no planejamento. Ao saber qual o lucro referente ao dinheiro injetado, se descomplica a sua visão geral de atuação.

Qual a importância de se calcular o ROI?

O ROI é um método de extrema importância para se facilitar o processo de gestão e a obtenção de sucesso do consultório. É através dos resultados gerados por ele que consegue se ter uma noção de como está sendo o desempenho das ações executadas. Nesse mesmo sentido, essa métrica contribui para que erros e problemas que possam negativar o orçamento sejam evitados.

O indicado é que esse cálculo seja realizado periodicamente, seja de semana em semana, de mês em mês, em um período trimestral, atendendo qual for a sua necessidade e a estratégia a ser tomada.

Portanto, por esse motivo se é relevante sempre retratar todas as operações das finanças para dados mais fiéis e informações mais completas. Os dados devem ser recolhidos, separados cronologicamente e guardados em um só lugar para uma maior acessibilidade e um maior controle sobre o movimento do caixa.

Requeira aos seus sócios e funcionários que arquivem notas fiscais, folhas de pagamento, recibos, boletos e todos os documentos que identifiquem a saída de capital, tanto em pequenas quantidades quanto em maiores.

Quais são as vantagens do ROI?

O cálculo do ROI é capaz de trazer diversas vantagens para o seu negócio como: projetos mais lucrativos, uma perspectiva geral mais abrangente e sistemática, facilidade na identificação de dados, e decisões mais simples e assertivas.

A margem de lucro do investimento é um método que ajuda a conhecer melhor a sua clínica/consultório e o seu empreendimento. Para que possa ser realizada de forma mais eficiente use um bom software especializado na obtenção do ROI de negócio. Essa automatização ajuda na medição e na execução do cálculo, e assim, a pureza dos valores e na melhor segurança das atitudes a serem tomadas.

Como manter a saúde física e mental em dia?

saúde física e mental

Como manter a saúde física e mental em dia? | Muito se fala do corpo escultural, da prática regular de esportes, das visitas frequentes aos consultórios médicos, do valor da estética e procedimentos como harmonização facial, e muito pouco sobre algo que também afeta nossa vida e é tão importante quanto: a saúde mental. A saúde mental é tão importante quanto a saúde física, já que além de se tratar da saúde de nosso cérebro, é justamente o órgão que controla todos os outros e é capaz de controlar todo o nosso corpo e seu rendimento. Veja mais sobre:

O impacto da saúde mental

A saúde mental pode influenciar diretamente em nosso humor, emocional, rendimento, em nossos sentimentos, na nossa motivação e percepção, atingindo todas as áreas de nossa vida. Sendo assim, manter um cuidado e uma atenção voltada ao nosso psicológico é muito importante para nosso sucesso em atividades presentes e futuras. Um psicólogo e psicoterapeuta pode ajudar e muito na recuperação de nossa confiança, autoestima e assim, em nossos resultados.

Como qualquer mudança em nossa vida requer um certo período de tempo para se acomodar, uma mudança relativa quanto a qualidade de nossa saúde mental também é assim. É gradualmente, mudando certos hábitos do dia-a-dia, que transformamos nossos pensamentos e nossa forma de olhar o mundo e a nós mesmos.

Assim, como a saúde física depende da mental, a saúde mental também está interligada com a saúde física. Escolhas como permanecer positivo, ativo e saudável afetam uniformemente o seu bem-estar e boa forma, sua qualidade de vida depende de ambas as vertentes.

Comece aos poucos e, com atitudes vigorosas e responsáveis consigo mesmo, tenha um retorno positivo como: o total controle de si próprio e satisfação com suas ações e escolhas, ganho de energia e do sentimento de estar em seu melhor estado, positivismo e maior prazer em suas atividades, ser referência para os outros e para você, além da melhora da saúde física.

Saúde física e a boa alimentação

O bom rendimento físico e uma alimentação saudável e regrada são a chave do bom posicionamento físico. É através de uma boa alimentação, colorida e cheia de nutrientes, que se adquire um melhor condicionamento e rendimento na pratica de exercícios.

Para começar uma dieta saudável, como por exemplo a dieta do ovo, é preciso listar o seu cardápio cotidiano e compreender os seus hábitos alimentares. Ter o total entendimento sobre o que costuma comer, ajuda a organizar a sua nova dieta e perceber no que está pecando. Evitar alimentos processados e grandes porções de comida são um dos pilares da dieta ideal. Consuma majoritariamente alimentos naturais e comer na medida certa, buscando ficar satisfeito. Caso se encontre confuso, consulte um nutricionista para guia-lo em seu processo de adaptação.

Hábitos alimentares não saudáveis influenciam diretamente no ganho de peso e, em alguns casos, faz as pessoas se dirigirem a tendências de dietas que prometem uma perda de peso em pouco tempo. Essas dietas regram a sua alimentação e na maioria das vezes, não são adequadas para você.

Acompanhando a boa alimentação, a prática de atividade física colabora para uma vida mais saudável e longa. Seja atividades domésticas, uma caminhada, um exercício ou a prática de algum esporte, qualquer iniciativa de movimento conta para a prevenção de problemas graves e doenças.

Dietas alimentares e reeducação alimentar

O mercado das dietas é bastante concorrido, profissionais vendem técnicas “milagrosas” e nunca há aquela considerada correta. O segredo não é tão secreto assim, cada organismo reage de uma forma o que é ingerido, trazendo assim diferentes resultados, seja bom ou ruim. Então, você pode até testar uma dieta que te chame a atenção, mas observe a resposta de seu organismo a ela e a adapte de acordo. Não se restrinja dos alimentos saudáveis que você gosta, monte sua dieta de acordo com seus gostos e necessidades.

No início, pode ser uma boa ideia trocar a quantidade de alimentos industrializados por naturais, sentindo assim o primeiro impacto. À medida que o tempo passar e você se sentir confortável, vá diminuindo as proporções dos alimentos prejudiciais e repondo com aqueles com maior carga de nutrientes.

Para uma melhor alimentação há dicas como: procurar comer sempre comidas caseiras, não pule as principais refeições, não exagere e tenha controle, coma alimentos variados e reeduque também as pessoas em sua volta; assim você terá apoio e uma maior motivação para persistir.

Positivismo e saúde

Ter pensamentos e atitudes positivas podem auxiliar em uma melhor qualidade de vida. Além disso, o positivismo pode tornar mais fáceis decisões como aquelas que mantém uma alimentação mais saudável e uma rotina mais ativa. Tratar de problemas psicológicos ajuda bastante a deixar a vida mais leve, assim como hábitos como: Fazer o que gosta, se divertir, relaxar, manter-se ativo, ler, estudar, e acima de tudo, procurar se conhecer e reconhecer o seu valor.

Além de se reerguer positivamente, trazer consigo parentes e amigos facilita o processo, quanto mais pessoas alegres e contagiantes na sua vida, mais rápida é a superação de problemas e perdas.

O estresse cotidiano pode ser o seu maior inimigo ao longo do processo, mas a melhor solução é sempre reagir e se autocontrolar, praticando medidas relaxantes como guiar a respiração, meditação e práticas de yoga.

Deste modo, procure sempre olhar para você e não deixar com que os problemas do dia-a-dia, seja no trabalho ou dentro de casa, atinjam a sua saúde mental e física. Tenha sempre em mente que você é sua prioridade e pratique atos que te faça feliz. Em casos de doenças psicológicas procure um especialista, iniciar um tratamento também é um ato de cuidado.