Conheça tudo a respeito da tendinite e como ela atua no corpo

Alguma vez na vida, é muito provável que você já tenha ouvido falar sobre a tendinite, não é mesmo?

Dessa forma, esse problema relativamente comum entre as pessoas, principalmente os praticantes de exercícios físicos intensos ou de forma errada.

No entanto, por mais que seja um problema comum, muitas pessoas, e talvez até você não conhece ao certo o que ela é, como é gerada, ou se possui tratamento.

Portanto, nesse artigo, citaremos tudo a respeito da tendinite, mostrando tudo a respeito, e como ela pode atuar no seu corpo.

O que é a tendinite?

A tendinite é caracterizada por uma inflamação no tecido que une músculos e ossos, conhecido na medicina por tendão.

Desse modo, essa inflamação no tendão causa inchaço e como consequência surge a dor e fraqueza muscular.

Essa dor da tendinite é sempre localizada, mas pode irradiar pela região em torno do tendão do foco da inflamação.

Por exemplo, um problema muito comum, é a tendinite no ombro, que consequentemente causa dor no ombro e pode afetar todo o movimento do braço.

Portanto, é um problema que acaba atingindo um certo grupo de pessoas, e que você pode presenciar, principalmente, ao praticar exercícios físicos intensos, ou de forma errada.

Sintomas de tendinite

Descobrir o problema de tendinite logo no início torna o processo de tratamento bem mais simples.

Sendo assim, quando você fica atento os sintomas, é possível evitar que a dor e inflamação aumente, e venha atrapalhar ainda mais o movimento do membro.

Portanto, para entender melhor os sintomas, confira alguns dos sinais que podem indicar um possível início desse problema:

  • Dor focal no ponto da inflamação, essa dor pode piorar com o movimento e com o toque na região;
  • Queimação que inicia no foco da dor e alastra pela região em volta;
  • Formigamento na região;
  • Fraqueza muscular;
  • Inchaço em torno do tendão inflamado;
  • Dificuldade de realizar movimentos mais simples.

Principais locais que pode ter tendinite

Como citamos anteriormente, essa inflamação, na maioria das vezes é localizada, onde partes especificas do corpo acabam resultando nesse problema.

Desse modo, para você entender melhor, confira os principais locais em que a tendinite pode atingir:

Ombro

É também conhecida como ombro de tenista, pois atinge grande parte dos atletas que praticam tênis, vôlei, golfe, natação e basquete.

O principal sintoma deste tipo de tendinite é uma dor no ombro intensa e que impossibilita a movimentação do braço.

Na maioria das vezes, pode ser necessário que você acabe procurado um médico especialista em ombro para resolver esses casos.

Pulso

A tendinite no pulso é caracterizada pelo formigamento, dor e rigidez do punho, impedindo, assim, a movimentação da mão.

Normalmente ela surge em pessoas que praticam atividades repetitivas, como pintar, escrever ou digitar durante todo o dia.

Polegar

Como o próprio nome já diz, essa tendinite afeta o tendão que liga o polegar ao pulso.

A dor começa no pulso e irradia por toda a mão e braço, impedindo os movimentos mais simples. Uma das principais causas é o esforço repetitivo.

Joelho

Essa tendinite também é chamada de tendinite patelar, pois atinge o tendão da patela.

Nesse sentido, normalmente ela atinge pessoas com sobrepeso e obesidade, justamente pelo excesso de peso que causa sobrecarga nos joelhos.

Além disso, em casos graves de inflamação pode ser necessário até realizar uma cirurgia.

Calcanhar

Essa tendinite afeta o tendão que liga a panturrilha ao calcanhar. Por isso também é conhecida como tendinite de Aquiles.

A dor pode ser sentida nos movimentos mais simples, como se levantar ou andar.

Diagnóstico da tendinite

O diagnóstico de tendinite acontece em duas fases, a primeira com a avaliação médica de todos os sintomas relatados.

O médico realiza exames físicos e testes para conhecer a gravidade do caso. Isso ocorre no próprio consultório médico.

A segunda etapa é com exames de imagem, como a ultrassonografia, por exemplo.

Desse modo, os exames de imagem não são imprescindíveis para o diagnóstico, eles são usados para visualizar a região afetada e o tamanho da inflamação.

Tratamento para tendinite

De acordo com o próprio Ministério da Saúde, o primeiro passo do tratamento da tendinite é o repouso do tendão inflamado.

Além disso, imobilizar a região pode ser uma excelente opção e pode ajudar a reduzir a dor e inchaço, sem contar que colabora para o tratamento ser mais rápido.

Por conseguinte, a fisioterapia também ajuda não apenas a aliviar a dor, mas também fortalece o músculo e melhora a mobilidade da articulação.

Sem contar também, que em todos os casos o uso de anti-inflamatórios é indicado para controlar a inflamação do tendão e assim aliviar a dor.

Portanto, o principal tratamento vai depender do seu caso, mas na maioria das vezes são indicadas essas opções.

Considerações finais

Infelizmente, a tendinite é um problema que pode atingir qualquer pessoa a qualquer momento.

Desse modo, só aumenta ainda mais a importância de sempre estar acompanhado de um profissional, principalmente em atividades físicas, para evitar que você venha a ter esse tipo de problema.

Cuide-se!

Osteoporose: causas, sintomas e tratamento

Osteoporose

A osteoporose é um medo frequente quando o assunto é terceira idade. Se trata de uma doença metabólica sistêmica que atinge diretamente o esqueleto, o enfraquecendo e aumentando o risco de lesões. Isso está relacionado a perda gradual da densidade óssea e que é algo comum principalmente em mulheres acima dos 45 anos.

Levando em conta que o osso se assemelha a qualquer outro tecido do corpo, necessita assim de cuidados e das revisões médicas necessárias. Assim, as visitas relacionadas a saúde não devem se limitar a ida a uma franquia odontológica, mas também a uma clínica médica especializada.

Essa doença, por sua vez acontece quando o material ósseo não é renovado suficientemente pelo organismo ou pelo fato dos antigos componentes do esqueleto forem reabsorvidos pelo corpo, podendo ocorrer ambas as situações. O problema surge aí, e com a ausência da renovação dos ossos há a fraqueza e a tendência a fraturas. Saiba as demais particularidades da osteoporose:

Causas da osteoporose

Em nosso corpo há células que possuem como função principal a formação dos ossos e demais pela reabsorção desses tecidos. Gradativamente, o tecido ósseo envelhece e é extinto pelos osteoclastos. Logo em seguida, essas estruturas são recriadas pelas células de função reconstrutora, chamadas de osteoblastos.

A reabsorção óssea é justamente o processo de destruição das células, que entram em estado debilitado pela osteoporose. Isso se deve ao fato de o organismo começar a submergir mais osso do que os produzir. Dentre os problemas que podem comprometer o processo de formação dos ossos e causar a osteoporose podemos citar: envelhecimento, menopausa, deficiência de cálcio, doenças e o uso de certos medicamentos.

Deficiência de cálcio

A deficiência de cálcio é uma das principais causas da osteoporose. O corpo, por sua vez, utiliza desse mineral para formular o esqueleto durante a juventude. Ademais, deve-se levar em conta que o osso é a principal fonte do cálcio no organismo, e é essa estrutura que oferece esse mineral para que demais processos possam ser realizados no corpo, como é o caso do próprio funcionamento do coração.

Uma vez que o metabolismo do osso se encontra em equilíbrio, o corpo consegue administrar o recolhimento de parte do cálcio e restitui-la. Logo, é importante que desde cedo haja a preocupação quanto ao consumo adequado de cálcio.

Os cuidados quanto a alimentação pode se limitar a má absorção do nutriente pelo organismo e assim, levar a osteoporose. Portanto, consulte o médico regularmente para saber como está o controle de cálcio do seu organismo.

Sintomas da Osteoporose

Por se tratar de uma doença silenciosa, sua percepção pode ser bem difícil de ser feita no começo. A percepção só acontece quando há a incidência de fraturas ósseas e, em casos, de algum trauma. Essas fraturas comumente ocorrem na região do fêmur, do colo de fêmur, na coluna e no punho.

Dentre os sintomas que são capazes de surgir no decorrer da doença estão: diminuição da estatura, dor na lombar, dor no pescoço, sensibilidade óssea e má postura.

Diagnóstico e tratamento

A perda óssea é parcial é gradativa e é percebida com o passar dos anos. Geralmente, a pessoa tende a sofrer alguma fratura e depois detecta a osteoporose, permitindo que seu diagnóstico já seja em uma situação grave. O diagnóstico da osteoporose não pode ser clínico, já que não há sintomas iniciais, deve ser realizado radiografias e exame de densitometria óssea.

Tendo em vista que a osteoporose possui um processo de cura complicado, seu tratamento pode ser iniciado desde a primeira fratura ou tendo em vista uma ação preventiva a futuras incidências.

O tratamento visa controlar a doença, evitando com que o seu estágio avance. Dentre os demais objetivos com o tratamento é amenizar a dor e fazer com que a perda óssea se adie ou estagne, variando de caso em caso.

08 benefícios que a fisioterapia pode trazer

fisioterapia

Ao contrário do que muitos pensam, a prática da fisioterapia não se limita apenas a recuperação de lesões, indo do curativo ao preventivo. Os exercícios ditados pelo fisioterapeuta abrangem também a preparação física devida. Contudo, a análise e o diagnóstico de um profissional são indispensáveis, assim como os exames e as intervenções solicitadas. As sessões de fisioterapia são estabelecidas de acordo com as metas estabelecidas pelo fisioterapeuta, que dependem da ação conjunta do profissional e do paciente. Veja agora os 08 benefícios que os exercícios fisioterapêuticos podem trazer para o nosso corpo.

1. Melhora da postura corporal

As sessões de fisioterapia são capazes de alterar erros na postura levando em conta a maioria dos casos. A coluna vertebral possui a tendência de moldar o corpo de acordo com a forma que a pessoa realiza as suas atividades rotineiras. Para quem possui maus hábitos relacionados a eletrodomésticos, a fisioterapia pode atuar na prevenção de danos maiores, como distorções musculares, e no retorno da posição ideal.

As correções da postura são alcançadas gradualmente, com o auxilio do fisioterapeuta, e analisadas novamente para que haja um acompanhamento e se evite dores na região lombar ou cervical da coluna. O profissional fisioterapeuta é o mais recomendado para o tratamento da postura corporal, já que atua na execução de posições que forcem músculos e ossos, levando a uma sensação de bem-estar e a prevenção de lesões.

2. Redução de dores osteomusculares

Certas pessoas desenvolvem dores crônicas que se originam nas articulações ou por disfunções, se originando de quedas e de acidentes de maior gravidade. As sessões de fisioterapia são fundamentais para o prognóstico favorável. As dores crônicas levam uma inflamação as inflamações nos músculos, logo, apenas analgésicos e anti-inflamatórios são insuficientes para reverter o estado clínico.

A fisioterapia traumato-ortopédica levara a redução da dor e da eliminação do processo inflamatório, além de que otimiza a força dos músculos e auxilia em sua recuperação gradativa, ajudando na volta da pessoa a ativa.

3. Melhora do condicionamento físico

Através da fisioterapia esportiva, os especialistas realizam a avaliação paciente quanto à capacidade de estabelecer intervenções para a prevenção, recapacitação ou melhoria do condicionamento físico.

A prevenção de lesões tem em vista atletas de alto rendimento que precisam de cuidados particulares e cumprir a agenda e rotina física constituída por seus preparadores, a recapacitação recupera a normalidade do desempenho físico perdido por algum incidente, já a melhoria do condicionamento físico tem em vista o relaxamento do corpo em intervalos de treinos e competições.

4. Perda de peso e redução de gordura localizada

A fisioterapia também pode ajudar no processo de emagrecimento. A fisioterapia dermato-funcional, possui como o objetivo reduzir as medidas do corpo, as gorduras localizadas, melhorar a estética da pele e assim, o corpo que o paciente almeja.

Desse modo, as interferências podem ser a injeção da toxina botulínica para que possa ser alcançada também a diminuição das rugas, além de massagens no rosto para diminuir a elasticidade, entre outras metodologias. Aparelhos que reduzem a percepção das celulites, eliminam gordura por congelamento também são usados. Antes de optar pela fisioterapia na intenção de perder peso, procure por uma avaliação médica, a prática de exercícios físicos, juntamente com uma alimentação mais saudável pode ser a melhor escolha.

5. Ajuda no tratamento de transtornos respiratórios

Outra vertente da fisioterapia é a fisioterapia respiratória, que é essencial para que o paciente tenha a recuperação de seu estado clínico. São realizadas operações não invasivas que ajudam na remoção de secreções que atrapalham a respiração.

As técnicas usadas na sessão de fisioterapia são capazes de auxiliar pacientes de todas as idades no tratamento de transtornos respiratórios, melhorando o funcionamento do pulmão e controlando a troca de oxigênio. A atuação dos fisioterapeutas nessa divisão visa a remoção das secreções brônquicas aglomeradas, otimizando o desempenho físico e na redução do período de internação.

6. Ação preventiva a lesões advindas do envelhecimento

Por meio do envelhecimento, a força óssea se perde; influenciada pela disfunção hormonal e pela falta de mobilidade. Os pacientes, com o avançar da idade, diminuem sua vida ativa e os músculos vão perdendo suas funções.

Nesse caso, fisioterapeutas geriátricos ajudam na retomada da prática de atividade física dos idosos, dependo de seu condicionamento clínico. As sessões dessa modalidade podem ser realizadas nas clínicas ou em casa, havendo a locomoção do profissional.

As principais atuações possuem envolvimento com a volta da postura correta, o fortalecimento muscular, redução de sintomas de cansaço e dores localizadas, assim como abrange a melhora das funções neurológicas e da coordenação motora.

7. Recuperação neurológica de pacientes

Pacientes que sofreram traumatismos cranianos, estão em estado de cama ou possuem alguma doença neurodegenerativa são capazes de acolher benefícios a sua saúde neurológica através de exercícios fisioterapêuticos.

A fisioterapia neuro-funcional procura tratar e recuperar a situação neurológica do paciente. Os danos cerebrais podem acarretar problemas na locomoção, problemas quanto ao equilíbrio do corpo e mudanças nos processos realizados nas articulações. Dependendo do estado em que o paciente se encontra, deve se haver a colaboração entre o fisioterapeuta e o neurologista.

8. Nova inserção do paciente oncológico

Os remédios quimioterápicos possuem fortes reações no organismo, podendo levar a fraqueza, perda de peso, de massa magra, e dores intensas nas articulações. Depois do câncer ser controlado, e levando em consideração o estado do paciente, a adesão de exercícios fisioterapêuticos é de grande relevância para que os movimentos possam ser conservados, desenvolvidos ou renovados. O processo da prática da fisioterapia objetiva a volta do paciente as atividades do dia-a-dia, proporcionando também uma melhor qualidade de vida em meio a tantas consultas e cuidados médicos.

Os benefícios da fisioterapia vão muito além dos citados, uma vez que essa área de atuação possui varias especialidades, fazendo com que suas regalias sejam difíceis de serem generalizadas. Logo, a busca por um fisioterapeuta é recomendada em casos gerais, uma vez que as sessões são capazes de focarem em várias regiões do corpo. As sessões de fisioterapia só promovem vantagens a nossa saúde e ajuda na estabilização de um melhor estilo de vida. Caso esteja em dúvida quando a adesão da prática, consulte um fisioterapeuta e esclareça suas dúvidas.

A importância da fisioterapia para gestantes

fisioterapia para gestantes

A fisioterapia é uma das práticas de atividade física mais recomendadas durante a gestação, uma vez que previne disfunções e ajuda a restituir a estabilidade do organismo da mulher. Em todas as gestantes, qualquer seja o exercício físico executado requer uma atenção e o acompanhamento devido de um especialista, pois alterações fisiológicas, anatômicas, biomecânicas acontecem ao longo do período. Com isso, deve-se conhecer melhor o seu corpo e as particularidades da gestação antes e durante a rotina atina.

A indicação médica para a iniciação da fisioterapia por gestantes se deve a prevenção de problemas de circulação advindos da compressão do útero acima dos vasos sanguíneos, dificultando o tráfego venoso. Caso agravado, esse problema pode influenciar a incidência de edemas e veias varicoses, e ainda o desenvolvimento da trombose. Além de saber quanto custa um implante dentário, conheça mais sobre esse serviço e seus benefícios a gestação:

A fisioterapia durante a gravidez

Como vimos, a fisioterapia é relevante para a ação preventiva de lesões e uma série de enfermidades, mas ela não se limita a somente esses exemplos. A prática de exercícios fisioterapêuticos no período de gestação previne a mulher de disfunções no assoalho pélvico, região do músculo que é responsável pelo sustento da base do abdômen, que é capaz de abaixar cerca de 2,5 na gravidez. Essa região abrange os órgãos do sistema digestivo, reprodutivo e as distinções urinárias.

Desse modo, para se evitar e tratar esses eventuais problemas são recomendados exercícios de fortalecimento, que envolvem técnicas uroginecológicas. Essa execução ajuda a manter o assoalho pélvico e prepara o corpo e o organismo para a hora do parto, evitando complicações como a episiotomia e a incontinência urinária.

Particularidades da saúde da mulher

No sexo feminino, o movimento dos hormônios leva a mudanças nos tendões e nos músculos, além de que o estado de gravidez leva a alterações em seu corpo, como a pelve maior e sobrecarga na região dos joelhos. Com essas mudanças, é necessário que a mulher se adapte às suas necessidades e limitações. A diversificação hormonal e biomecânica leva, por exemplo, a sobrecarga da coluna lombar e vértebras. Durante esse processo cada detalhe minucioso conta para que tudo ocorra de forma tranquila e saudável.

É por esse motivo que se deve requerer o acompanhamento de um fisioterapeuta para que ele avalie o seu estado de saúde e a condição de sua gravidez. A avaliação deve considerar sua coordenação motora, capacidade de se movimentar, as atividades cotidianas e se há força para realizá-las. Se preciso, esse profissional deve encaminhar a gestante para uma avaliação neurológica e funcional, identificando mais precisamente sua real situação.

Diminuição de riscos e suas soluções

Se a gestante apresentar uma saúde estável, atividades como a hidroginástica e a prática do pilates, que ajuda no alongamento do corpo, já lhe atendem. Exercícios de forte impacto ou que possuem a posição decúbito ventral, são contraindicados.

A fisioterapia, por ser altamente benéfica é indicada até mesmo em caso de gravidez de risco, uma vez que reduz os efeitos fisiológicos advindos do repouso intenso, estabiliza o fluxo de sangue no útero, e é capaz de diminuir o risco de trombose, como já evidenciado. Em caso de gravidez na adolescência a fisioterapia atua amenização de eventuais complicações, já que o corpo não está maduro o suficiente.

É essencial que o profissional responsável pelo acompanhamento mantenha uma relação atenciosa, respeitosa e de confiança com a paciente, uma vez que durante essa fase a mulher pode não conseguir realizar certos exercícios e precisar de apoio a todo momento. Além de que a paciência é uma virtude essencial para se relacionar com uma grávida que está passando por diversas vivências, inclusive estressantes.

A prática da fisioterapia também auxilia a controlar o estresse da gestação, além da incidência de inchaços, dores e incômodos localizados, trazendo relaxamento e renovação para o dia-a-dia.

Pós-parto

Nos últimos momentos, o fisioterapeuta motiva e orienta quanto a continuação da prática das atividades físicas após a gravidez e continua na manutenção do bom estado de saúde da gestante. Além disso, o especialista atua contra a depressão pós-parto.

Depois da gravidez, o corpo precisa de retornar à normalidade, voltando com sua postura e readequando o esqueleto e músculos. Logo, a retomada dos exercícios fisioterapêuticos deve iniciar assim que a mulher se sentir confortável e apta a voltar à ativa. Tenha noção da importância da fisioterapia na gravidez e conserve sua saúde mesmo diante das instabilidades da gravidez.

A fisioterapia no combate a osteoporose

fisioterapia no combate a osteoporose

A luta contra a osteoporose é de grande importância para o alcance da proteção contra os efeitos e distúrbios, como as fraturas ósseas, e para uma melhor qualidade de vida na terceira idade. Logo, o idoso não deve se preocupar apenas quanto o implante dentário, mas quanto a saúde de seu esqueleto, músculo e de todo o físico.

Para lidar com isso, a prática de atividades físicas é uma das melhores alternativas e formas de tratamento, uma vez que se remete a uma maneira eficiente de prevenção e combate a osteoporose. Leia mais:

A importância da atividade física

A prática de esporte e exercícios físicos é uma grande aliada da fixação de cálcio nos ossos, e além de colaborar com a conservação dos movimentos e do equilíbrio do corpo, que são fatores essenciais para evitar quedas e consequentemente lesões. A fisioterapia é um dos exercícios mais recomendados nessa situação pelo leque de vantagens que oferece como na manutenção o bom desempenho físico, articular, cardiovascular e muscular da maneira correta.

Se tratando de uma medida de prevenção e de tratamento, a fisioterapia oferece uma maior força muscular e flexibilidade ao praticante, através de exercícios com resistência que favorecem a musculatura. Caso esse método não seja possível, consulte um educador físico para que ele possa analisar outras atividades que possam resultar nesses efeitos, e assim, na prevenção da osteoporose.

Fatores de risco da osteoporose

As principais causas da osteoporose são:

  • Influência genética;
  • Velhice;
  • Alimentação pobre em cálcio;
  • Sedentarismo;
  • Exagero de álcool;
  • Tabagismo;
  • Menopausa;
  • Vício em remédios à base de corticoides;
  • Diabetes;
  • Distúrbios na tireoide.

Formas de prevenção à osteoporose

A ingestão de cálcio é indispensável para a reiteração dos ossos. Especialistas indicam o consumo de cerca de 1000 miligramas por dia (quatro porções lácteas). A vitamina D também é essencial para esse processo, pois na sua carência a absorção do nutriente é prejudicada. É recomendado consumir diariamente de 400 a 600 miligramas diários de vitamina.

A pratica de atividade física precisa incita na produção de massa óssea, influenciando positivamente na força muscular, fundamental na ação preventiva de quedas.

As técnicas fisioterapêuticas mais eficientes

É indicado que os exercícios sejam realizados ao ar livre, não influenciando na diminuição do efeito da gravidade. A natação e a hidroginástica, por sua vez, não auxiliam no tratamento da doença, uma vez que a gravidade é a responsável pela maior deposição de cálcio nos ossos. Esses são exercícios que são mais recomendados na incidência de degaste nas articulações.

Além da regulagem desses exercícios, é necessário que haja o controle das enfermidades que influenciem no desenvolvimento da osteoporose, evitando o consumo exagerado de álcool, do cigarro e do café. Tomar bastante sol antes das 10h e após às 17h também é indicado, já que a vitamina D somente é ativada através dos raios ultravioletas, porém não peque no uso de protetor solar.

A fisioterapia é recomendada em situações em que a osteoporose já se desenvolveu, visando a prevenção de danos como deformidades e fraturas ósseas. O foco dos procedimentos fisioterapêuticos é atuar no fortalecimento dos músculos, articulações e ossos, dando ao paciente uma maior qualidade de vida. Buscar uma clinica de fisioterapia para um acompanhamento de perto e mais profissional é de extrema importância, assim como a pratica de exercícios ao ar livre.

Exercícios posturais

Os exercícios de postura ajudam a melhorar o alinhamento da coluna vertebral, a dando força e maior flexibilidade. Além desses benefícios, há a melhora da coordenação motora, do equilíbrio e o desenvolvimento de habilidades que atuam na precaução a quedas e eventuais fraturas.

Exercícios de alongamento

Os alongamentos auxiliam na maior amplitude dos movimentos, seja dos músculos do pescoço, das costas e pernas, dando ênfase na importância da manutenção do equilíbrio corporal.

Exercícios de fortalecimento muscular

São exercícios comumente realizados com as pernas e os braços, tendo como objetivo a maior força muscular, e por isso, podem necessitar do uso de pesos de cargas variantes.

Exercícios de cinesioterapia

A cinesioterapia também é eficiente quanto ao fortalecimento dos músculos, principalmente em casos em que haja dores intensas e a dificuldade de locomoção. Essa vertente trabalha exercícios ativos, ativos resistidos e passivos, que se resultam na mais resistência, coordenação e força muscular, flexibilidade e na melhor mobilidade articular.

Portanto, para evitar futuros problemas nos ossos como a osteoporose, é importante manter uma rotina ativa. A fisioterapia, por ser uma especialidade leve e que transmite uma experiência de menor estresse e esforço físico, pode ser a melhor opção para pessoas de idade avançada prevenirem e tratarem esses danos. Consulte com um fisioterapeuta para realizar a avaliação e a seleção dos exercícios que melhor te atendem.

Os benefícios da dança para a sua saúde

benefícios da dança

Você conhece os benefícios da dança para a sua saúde? A dança é uma arte cênica que faz com que o corpo se movimente expressivamente acompanhando um movimento ritmado, como a música. Essa arte dos movimentos também pode compor a classificação das atividades físicas, e, juntamente a uma dieta saudável e a hidratação, pode influenciar positivamente no funcionamento do organismo. Além da saúde física, através justamente da liberdade de expressão que ela nos causa, a dança é capaz de melhorar não só a nossa saúde física, mas também a nossa saúde mental.

A dança pode ser a solução ideal para quem não se encaixa nos exercícios da academia e ainda almeja ter uma vida mais saudável. Seja acompanhada de um samba, forró, funk ou zumba, os efeitos podem ser bem satisfatórios e contemplam muito mais do que apenas os que apenas as demais atividades físicas proporcionam. É uma prática indicada a todas as idades, inclusive aos idosos que não precisam se preocupar apenas com procedimentos como o prótese dentária, mas com tratamentos capazes de curar além do corpo a alma. Conheça mais as vantagens de começar essa prática mais divertida e intensa:

Os benefícios da dança para seu corpo 

Se você almeja sentir a sensação de alívio após uma atividade física, queimar calorias, a dança pode ser o uma das opções. A capacidade da dança de fazer você alcançar essas metas depende da prática regular e duradoura, assim como a modalidade escolhida.

Um exemplo disso é a estimativa de uma aula de zumba ser capaz de queimar até mil calorias e ser capaz de te ensinar as coreografias das músicas que estão em alta no momento, enquanto a dança de salão queima cerca de 300 calorias e todo mundo vai querer te acompanhar nos movimentos.

Portanto, há modalidade varia em seus resultados, não tirando o fato de que qualquer uma delas pode influenciar na melhora do funcionamento de seu organismo.

Fortalecimento muscular 

As danças costumam a possuir repetições de movimentos, seja saltos, piruetas, movimentos rápidos, com a presença daqueles que se tornam bem característicos da modalidade. Essas repetições são capazes de fortalecerem os músculos e fazer com que diversos grupos musculares trabalhem ao mesmo tempo.

Cada uma das modalidades possuem um foco diferente, por exemplo. Enquanto o streetdance, o zumba e o ballet trabalham todo o corpo, a dança do ventre trabalha muito o movimento de pernas, cintura, costas e quadris. Caso você já exerça alguma modalidade com frequência, já deve ter percebido as alterações em seu corpo. Uma musculatura forte previne a incidência de fraturas e lesões.

Maior potência para o coração e pulmões

Com a prática de 30 minutos ao menos 3 vezes por semana, a dança pode fazer uma diferença em sua saúde. Essa regularidade faz com que a frequência cardíaca e respiratória aumente, o que significa auxiliar o seu coração a bombear maior quantidade de sangue para os músculos e para o corpo, e fazer com que haja a sensação de maior motivação. O melhor desempenho do sistema cardiovascular é retratado na melhor circulação do sangue, e reflete que está tudo funcionando corretamente.

Melhor postura 

A dança também é a responsável por trazer maior flexibilidade ao corpo, ajudando diretamente na melhora da postura. A execução do fortalecimento muscular, principalmente na região das costas, é também uma colaboração para essa vantagem. Músculos fortes te ajudam a obter um maior auxílio para mante a coluna vertebral ereta.

A postura também possui uma melhora por causa da percepção corporal, sendo comum que as aulas de dança sejam realizadas na frente de um espelho. Essa ocorrência objetiva que você olhe sempre para frente e que você desenvolva assim, uma maior noção do seu corpo e ganhe mais autoconfiança.

Benefícios da dança para a saúde mental

Como dito, a dança também pode trazer uma série de benefícios a sua saúde mental. Autoestima, aprendizado, humor, todos esses fatores são intensificados. As atividades físicas liberam neurotransmissores que levam ao prazer, podendo energizar o seu corpo e fazer com que você goste e sinta cada vez mais vontade de dançar.

Além da liberação da endorfina, há também a de serotonina e dopamina, outros hormônios responsáveis pelo deleite e felicidade. Esses hormônios se sobrepõem ao cortisol, o hormônio do estresse, o que favorece e potencializa ainda mais esses efeitos. 5 minutos de aula já são o bastante para te trazerem mais paz e bom humor. Logo, se você se concentra na coordenação dos movimentos, as preocupações não podem te incomodar.

 Como vimos, os benefícios da dança na nossa saúde geral são vários, o que só nos confirma como essa arte e atividade física pode revigorar o nosso bem-estar e qualidade de vida. Não hesite em começar se está é uma boa opção para você, mas caso não seja, não deixe de praticar algum exercício físico, existe uma variedade de opções para te fazer se mexer.

Saúde da coluna: saiba como manter a boa postura

Saúde da coluna

Manter uma boa postura está bem além de ser um fator estético como um clareamento dental, está relacionada a saúde geral do seu corpo, influenciando tanto o físico como o psicológico. Quando ocorre um acidente e há o envolvimento da coluna, é a condição das vértebras que determinam a gravidade das sequelas, mostrando como o seu bom estado é importante.

Caso haja uma lesão na região, as implicações podem ir de dores dorsais, lombares e cervicais. Uma das principais razões de consultas médicas no mundo, à perda de movimento de membros como braços e pernas, podendo até mesmo causar problemas respiratórios, renais e cardiovasculares, e assim impedindo a funcionalidade dos órgãos.

Portanto, cuidar da coluna e prezar por uma boa postura é precaver que todo o corpo esteja em boa condição. Leia mais sobre a importância da coluna para o nosso bem-estar:

Qual a função da coluna vertebral?

A coluna vertebral participa do nosso sistema nervoso. É formada por 33 vértebras alternadas com discos intervertebrais que se associam para que o tronco tenha mobilidade. Cada vértebra é unida a uma costela e assim formam uma grande proteção contra choques mecânicos que envolvem os pulmões e o coração. O esqueleto da coluna reverte também os nervos espinhais e a medula espinhal, além de apresentar um papel importante na mobilidade das pernas e braços.

O sistema nervoso é um extenso complexo de comunicação entre todas as células do corpo e o cérebro, apresentando uma rede e distribuindo informações a todo momento e para todo o organismo. Quando alguma das vértebras pertencentes a coluna perde o seu posicionamento devido, começa a influenciar nos impulsos desse sistema.

Os desacertos e danos nas vértebras que levar a essas intervenções são chamadas pela quiropraxia de subluxação vertebral. As subluxações prejudicam a comunicação do sistema nervoso e barram a capacidade de funcionamento do corpo e sua inteligência conata.

Problemas causados pela má postura

A falta de atenção quanto a saúde da coluna pode levar a uma série de inadequações nas articulações e vértebras, e assim levar a uma série de problemas a saúde física e psicológica, intervindo negativamente na qualidade de vida.

Alguns dos problemas que podem se desenvolver através de problemas na coluna são: doenças físicas como dores no pescoço, lombar e dorso, além de danos na circulação e problemas respiratórios e doenças psíquicas como o estresse, a ansiedade e a depressão. A perda da qualidade de vida causada pelos problemas na estrutura vertebral pode ser relacionada ao cansaço, fadiga, bipolaridade de humor, baixa produtividade, insônia e má qualidade do sono.

Precauções a saúde da coluna

O bom funcionamento do nosso organismo é dependente da saúde da estrutura da coluna, por esse motivo, é essencial que criemos o hábito de zelar por ela e não apenas em momentos de dor ou quando os problemas já estiverem sido desenvolvidos.

Um estilo de vida mais saudável com a prática de exercícios físicos, uma alimentação mais regrada, e com uma rotina de terapias como a quiropraxia. Especializada em subluxações da coluna, é a melhor alternativa para precaver de futuros problemas ao nosso físico e mente.

Há uma série de atitudes que se podem ser aderidas para se prevenir os danos causados pelas interferências da comunicação do organismo, como:

Evitar dormir de bruços;

Flexionar as pernas ao levantar um objeto;

Aderir preferencialmente um colchão ortopédico ou semi-ortopédico;

Não carregar sacolas ou mochilas somente de um lado;

Exercer atividades com o tronco inclinado;

Contrair os músculos da barriga e das nádegas ao ficar em pé.

No trabalho pelo computador, mantenha a coluna reta e apoiada no encosto da cadeira, mantendo as pernas abaixo da mesa sem se cruzarem. Na hora de dormir, outros cuidados como posicionar o travesseiro entre a cabeça e o ombro, e entre as pernas ao dormir de lado, e embaixo dos joelhos e cabeça ao dormir de barriga para cima são indicados. O colchão deve ser da altura entre o ombro e a cabeça.

Procure um especialista para saber como está a situação de sua estrutura vertebral. Quando se tem uma coluna reta e em boas condições, nosso corpo agradece com um bom rendimento e uma recuperação rápida. Desse modo, nossa qualidade de vida é potencializada assim como sua longevidade.