Apendicite

A apendicite se trata da inflamação no apêndice; um órgão de fina espessura e comprido localizado no inicio do intestino grosso.

Uma vez inflamado, fica repleto de pus, o que leva a intensas dores no abdômen. A falta do tratamento devido influencia uma série de complicações, sendo o processo cirúrgico; nomeado apendicectomia, a sua forma ideal.

Essas complicações ocorrem como a ausência do tratamento com aparelho ortodôntico indicado, de forma gradual.

Na maioria dos casos, essa enfermidade se desenvolve como apendicite aguda, se desenvolvendo rapidamente e exigindo o tratamento devido o mais rápido possível.

Entretanto, há também a incidência da apendicite crônica, que ocorre quando essa problemática é continua. Saiba mais sobre as características da apendicite:

Sintomas de Apendicite

A dor abdominal é o principal sintoma da apendicite e a sua intensidade varia quanto a faixa etária e a posição da inflamação. Na maioria das vezes, o sinal inicial é uma dor próxima a região do umbigo e a sua força aumenta gradualmente.

Com o tempo, a inflamação no apêndice aumenta e varia de 12 a 18 horas, fazendo com que a dor se alterne para a região mais a baixo e à direita; denominada de McBurney. Uma das principais características da apendicite por esse processo é uma forte dor ao lado direito do abdômen.

Demais sintomas da apendicite são a incidência de vômitos, náuseas, febre baixa e apetite debilitado. Caso o apêndice se rompa, a dor é capaz de ser interrompida brevemente, trazendo uma repentina sensação de bem-estar.

Contudo, quando o revestimento da cavidade abdominal é atingido pela inflamação; peritonite, a intensidade da dor aumenta e os sintomas ficam ainda mais graves, sendo perceptíveis na locomoção e pela tosse.

Causas de Apendicite

As causas da apendicite em alguns casos não são identificadas claramente, porém, certas situações podem desencadear a inflamação do órgão, como demais infecções; a gastrointestinal por exemplo, e o acúmulo do apêndice por partículas de fezes ou gordura.

Nos dois casos, a bactéria natural do órgão se prolifera, o que leva a sua inflamação e o seu inchaço, incitando a produção de pus. Sem o tratamento, a apendicite leva ao rompimento do apêndice.

Riscos à Apendicite

Em ação preventiva a apendicite, é comum evitar ingerir legumes e frutas que possuem sementes ou caroços, por exemplo uva, tomate, azeitona, jabuticaba e pepino. Entretanto, não há comprovação científica do efeito negativo desses alimentos, já que a inflamação não é advinda de alguma forma desse consumo.

A inflamação no apêndice atinge qualquer faixa etária, de crianças a adultos, sendo mais comum entre os 10 a 30 anos. Logo, não há a incidência de alguma relação comportamental para com a inflamação.

Auxílio médico

Os sintomas da apendicite, uma vez percebidos, devem ser acompanhados com atenção. Se a dor abdominal continuar após 12 horas, busque por um médico especialista e ofereça informações como a localidade e a intensidade das dores.

Durante a consulta o médico poderá pedir mais informações, se houve alterações quanto a dor e se existem demais sintomas; como náuseas, diarreia e febre.

É comum que o profissional diagnostique a apendicite por meio da descrição dos sintomas e através do exame físico no hospital ou consultório. Para as mulheres, outros exames laboratoriais e testes complementares também podem ser reivindicados.

Como a dor varia com o tempo, o diagnóstico de apendicite pode ser difícil ser feito inicialmente, além de que as dores abdominais também são características de outras complicações. Tendo isso em vista, os exames adicionais confirmaram a incidência da inflamação.

Forma de tratamento

O tratamento da apendicite é realizado por meio de cirurgia, uma vez que a apêndice está inflamada, necessita ser removida. O processo cirúrgico, denominado apendicectomia, ocorre com a pessoa sob efeito anestésico e não se trata de uma substituição.

O apêndice é somente removido tendo em vista que a falta desse órgão em especifico não é capaz de trazer risco e dano a saúde do paciente, já que não possui uma responsabilidade característica para com o organismo.

Em caso de complicações, caso o diagnóstico tenha sido feito com o apêndice ainda inteiro, o cirurgião removerá o órgão logo após a inflamação ser percebida. Com isso, é importante que a apendicite seja detectada em seus primeiros momentos, fazendo com que danos ainda mais graves sejam evitados.

Recommended Posts

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *