A acessibilidade na estética

0
25
acessibilidade na estética

A acessibilidade na estética | A estética pode ser vista como uma extensão da saúde por tratar de partes do corpo humano. Procedimentos estéticos ajudam na correção de falhas e na elevação da autoestima das pessoas, atuando assim em sua saúde mental e no bem-estar consigo mesmo. Todos precisamos de nos sentir bem e satisfeitos com nossa aparência e temos o direito de conseguir ter acesso a jovialidade que a estética proporciona.

Pessoas com deficiência ou com alguma dificuldade financeira/geográfica devem ter acesso a esses recursos, respostas de perguntas como: quanto custa um implante dentário? podem ser agradáveis a todos os ouvidos. Assim como na saúde, a acessibilidade na estética é de estrema importância, veja os motivos:

Diversidade do público

O público do setor de estética é amplo e atinge, mesmo com exceções de perfis, toda a população. O público que frequentam clínicas e consultórios estéticos é diverso, fortalecendo ainda mais a ideia de acessibilidade na área.

A diversidade seja de gênero, idade, raça, classe social ou condição física e metal; não interfere na ampla ideia de que todos nós nos preocupamos com nosso exterior tanto quanto nosso interior. Não se trata somente de vaidade, mas na autoconfiança que interfere diretamente no posicionamento social e nas relações interpessoais.

Influência das mídias

A grande mídia e a as redes sociais hoje em dia atingem grande parte da população. O impacto em que atingem as pessoas é tão forte e de influência tão poderosa que fazem ações e pensamentos virarem tendências dentro e fora da internet. Com a valorização estética, padrões de belezas foram estabelecidos e muitos que não se encaixavam em algum deles recorreram a ajuda profissional.

Acessibilidade financeira

É muito importante, que assim como procedimentos na saúde, os de fins estéticos não possuam valores exorbitantes. Tratamentos como o clareamento dental e o aparelho ortodôntico devem possuir uma maior acessibilidade, já que os problemas que solucionam, se agravados, podem resultar em problemas de saúde que poderiam ser evitados.

Existem projetos sociais que oferecem certos serviços estéticos para a população mais carente, e quando associados a uma marca, tomam grandes proporções e afetam positivamente a vida das pessoas.

Deficiência no Brasil

Segundo dados do IBGE, estipula-se que cerca de 23,9% da população brasileira possui alguma deficiência seja motora ou intelectual. Essas estimativas só evidenciam a importância de integrar toda a população a todos os tipos de serviço, e fortalecer ainda mais a igualdade em todos os setores, essa que não sai do papel na maioria dos países democráticos.

A parcela de idosos e gestantes também apresentou um aumento nos últimos anos, até mesmo a de pessoas que apresentam alguma insuficiência temporária.

Normativa Brasileira e a acessibilidade na estética

A NBR 9050 informa que todas as localidades construídas ou planejadas, devem possuir acessibilidade a todos. Há regido nas normas de acessibilidade que espaços públicos devem ser idealizados e estabelecidos respeitando os limites e requerimentos do desenho universal. Com esse modelo, se atende todas as ramas da população através das características sensoriais e antropométricas.

Com segurança, conforto e permitindo que qualquer um consiga ser autônomo, a acessibilidade é alcançada e assim uma distribuição de serviços mais justa. Segue ações simples que podem fazer com que os espaços de estética se tornem ambientes mais democráticos:

Planejamento – Sempre busque a opinião profissional de um arquiteto quando for realizar o planejamento do espaço, evidenciando a sua preocupação quanto à acessibilidade e funcionalidade.

Vão de acesso –O vão de acesso recomendado deve possuir uma largura mínima de 80 cm, tendo todas as portas dos banheiros uma largura mínima de 90 cm.

Rampas e elevadores – Para se ter um ambiente acessível as escadas estão fora de cogitação. As rampas devem ser suaves e possuir uma inclinação máxima de 12,5%, já os elevadores devem ser bem posicionados e espaçosos.

Mobiliário – O mobiliário também deve ser adequado e confortável, prestando atenção na distância entre eles para que o ambiente tenha um bom fluxo.

Livre circulação –O chão do local deve ser liso e sem elementos que possam contribuir para uma queda. Itens aveludados, como os tapetes, podem ser usados em lugares de espaço maior de modo que não cubra todo o espaço de locomoção.

Portanto, a acessibilidade vai muito além do arquitetônico e da mobilidade, ela abrange até mesmo o contextual e a comunicação. Sempre idealize sua clínica e consultório buscando acolher a todos e providenciar um espaço acolhedor a seu cliente e a sociedade. Ao realizar um papel social você está também agregando valor a seu negócio.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here