Vitiligo: o que é, causas e tratamento

Vitiligo

O vitiligo se trata de uma doença cutânea que leva a perda da pigmentação da pele de forma gradativa, podendo atingir todo o corpo, o que não é capaz de ser previsto. Esse estado pode afetar até mesmo o interior dos olhos, da boca e da coloração dos fios de cabelo. Todos os tipos de pele são suscetíveis a doença, sendo ela mais perceptível em pele mais escura.

Não é contagiosa e a pessoa nessa condição não possui risco de vida, podendo ter a sua autoestima afetada, o que é um risco para complicações por doenças psicológicas, como a ansiedade e a depressão. Procedimentos estéticos, como a bichectomia, são vistos como saída para ajudar nesse fator, a pessoa busca outras formas de se sentir bem consigo mesma.

O tratamento do vitiligo é capaz de regular e retardar a doença, o que ajuda a harmonizar a pele da pessoa, tendo que obter uma boa aceitação do organismo ao procedimento utilizado. Essa condiçãopode ser advinda de uma série de fatores, como os genéticos e externos; é autoimune e é qualificada pelo surgimento de manchas brancas na pele. Leia mais sobre:

Tipos de vitiligo

Mesmo que não haja a identificação precisa do tipo de vitiligo, a doença pode ser dividida em duas divisões maiores, conheça elas:

Vitiligo localizado

O vitiligo localizado é caracterizado por se limitar atingindo ao menos três partes do corpo, tendo um desenvolvimento acelerado; semanas ou poucos meses, sucedida de um controle. Esse tipo da enfermidade é conhecido como focal, segmentar ou de mucosas. O tipo segmentar é percebido por manchas como faixas, sendo elas unilaterais; somente de um lado do corpo. A focal se trata da subdivisão em que há o aparecimento de manchas em apenas duas ou três partes do corpo, sendo geralmente pés, mãos, pálpebras e axilas, já a de mucosas, se limita apenas aos lábios e região genital. A mais comum dessas subdivisões é a focal.

Vitiligo generalizado

O vitiligo do tipo focal é capaz de se evoluir para o vitiligo generalizado, mesmo não se tratando de algo comum. As manchas que se formam são proporcionais, abordando os mesmos locais e nos dois lados do corpo. Essa divisão da doença pode se desenvolver rapidamente ou vagarosamente, podendo também ser controlada com o tempo.

O vitiligo generalizado possui quatro subdivisões, são elas: acrofacial, vulgar, misto e universal. O tipo vulgar é o mais comum e é caracterizado por manchas harmônicas que se incidem em várias regiões do corpo. O tipo misto é uma combinação dos tipos segmentar e vulgar, o vitiligo universal atinge mais de 70% do corpo e já o tipo acrofacial atinge somente as mãos, pés e a face.

Causas do vitiligo

A motivações do vitiligo são precisamente reconhecidas, a única informação confirmada é que a enfermidade se desenvolve quando as células sintetizadoras de melanina; os melanócitos, param de produzir, ou morrem. A melanina é o pigmento responsável por dá a cor do cabelo, dos olhos e da pele, e é por isso que ocorre a mudança.

Os médicos especialistas ainda não possuem a justificativa para que os melanócitos deixem de estabelecer a sua função, acreditando apenas que o vitiligo seja uma doença autoimune, em que o sistema imunológico ataca e extingue essas células. Estudos identificaram que o vitiligo possui relação com fatores externos; como produtos químicos, exposição frequente ao sol e ocasiões, e herança genética.

Tratamento de Vitiligo

A falta do conhecimento da causa especifica do vitiligo não impede o seu tratamento, são várias as metodologias utilizadas que buscam restabelecer a cor ou a tonalidade da pele. Contudo, as consequências não podem ser previstas e são variáveis. Deve-se ter cuidado quanto ao procedimento escolhido para tratar a doença, uma vez que alguns podem trazer certos efeitos colaterais. Fica a critério da avaliação médica qual o tipo de tratamento e o seu nível requerer.

O tratamento, se bem aceito pelo organismo, pode cessar a doença e até mesmo fazer com que ela regrida e o tom da pele volte ao natural. Além disso, alguns medicamentos colaboram com a melhora da aparência da pele e se utilizados no inicio do tratamento, também são capazes de fazer com que o tom da pele volte a ser como antes. Logo, é necessário seguir o procedimento corretamente e não se precipitar, dependendo do caso o resultado almejado pode demorar meses para ser percebido.

Como a higiene infantil pode ajudar na criação da consciência

higiene infantil

Assim como a alimentação, a hidratação, as noites de sono e a vida ativa, a higiene também é essencial para uma vida saudável. Com isso, os bons hábitos quanto a ela devem ser aderidos desde os primeiros anos de vida. O processo de aprendizado dos pequenos quanto a higiene pode ser bem cansativo, mas tornar essa caminhada algo divertido e atrativo pode ser a solução.

A higiene vai muito além dos cuidados quanto a saúde bucal, com procedimentos como limpeza, clareamento e lente de contato dental. E abrange não só os cuidados quanto ao corpo, mas também quanto ao ambiente em que vive.

Desse modo, selecionamos as seguintes dicas para que você não possua problemas em ensinar o seu filho ou filha como se cuidar devidamente. Veja a seguir:

Se torne um modelo a ser seguido

Os cuidados quanto a higiene e a saúde em si devem ser mantidos não só pelo fato de ser você a principal referência de seu filho, mas para o seu próprio bem-estar e qualidade de vida. No entanto, não se desleixe, no processo de aprendizado você deverá executar todos os processos de forma correta, afinal, não se quer que a criança aprenda de forma errada.

Começando por medidas básicas como lavar as mãos, o cabelo e a prática da higiene bucal, é fundamental que você der o exemplo e ajude a fixar esses cuidados no dia-a-dia de seu filho.

Lavar as mãos sempre

Tal como escovar os dentes sempre após as refeições, o hábito de lavar a mão logo após e antes de realizar alguma ação é de extrema importância. Logo, a frequência dessa ação deve ser enfatizada a criança, para que ela não se contamine por vermes, germes e demais microrganismos.

Seja após chegar da rua, depois de usar o banheiro, e antes de se alimentar, fale da importância dessa ação para no combate a doenças e infecções.

Para tornar essa prática algo divertido, a dica é usar da escolha do sabonete ao seu favor. Existem uma variedade de sabonetes, de diferentes cores e formatos, e até mesmo relacionados a personagens infantis. Escolha por um que você saiba que irá atrair a criança de alguma forma, sempre pedindo sua opinião para que ela tenha gosto ao usar o produto.

Aprendizado lúdico

É importante que ao introduzir um cuidado ao seu filho você tente o ensinar de forma lúdica. Existem várias músicas de cunho infantil que retratam medidas higiênicas de maneira divertida e clara. Logo, investir em músicas pode ser a solução para que o novo aprendizado tenha melhor aceitação. Cante com seu filho e faça com que ele aprende a cantiga, assim ele sempre terá o cuidado em sua cabeça

Atenção na hora do banho

A hora do banho é cheia de ensinamentos, e por ser uma ação mais demorada, pode ser algo ainda menos interessante a criança, que preferiria está brincando ou assistindo algum desenho. As músicas e os sabonetes também podem ser grandes aliados desses processos, entretanto, não substituem as suas orientações.

Quanto a higiene íntima, é importante que desde o início seja ensinada para que o seu filho mesmo a realize. A independência do banho é crucial, e até que ela seja criada, é essencial que você está sempre por perto a auxiliando.

Cuidados quanto a higiene bucal

A higiene bucal é tão importante quanto a corporal e também deve ser vista como uma de suas prioridades. É interessante que você sempre acompanhe a criança durante a escovação, a mostrando os movimentos certos a serem feitos. Músicas não só didáticas podem trazer diversão a esse momento.

É importante que não só a escovação, mas a passagem do fio dental e o uso do enxaguante bucal seja explorado, ensinando desde já a como ter uma escovação precisa e completa. O creme dental e a escova também podem ser explorados para fazer com que o momento da higiene bucal seja algo prazeroso.

Tenha os brinquedos como ajudantes

Por fim, os brinquedos podem sim ser os seus melhores amigos nesses momentos, leve eles sempre com você. Além de trazer um espírito de brincadeira, são os responsáveis por cativar ainda mais o seu filho para os ensinamentos. Outro detalhe importante é que os brinquedos geralmente são portadores de germes e leva-los ao momento do banho pode ser o momento certo para higieniza-los também.

Osteoporose: causas, sintomas e tratamento

Osteoporose

A osteoporose é um medo frequente quando o assunto é terceira idade. Se trata de uma doença metabólica sistêmica que atinge diretamente o esqueleto, o enfraquecendo e aumentando o risco de lesões. Isso está relacionado a perda gradual da densidade óssea e que é algo comum principalmente em mulheres acima dos 45 anos.

Levando em conta que o osso se assemelha a qualquer outro tecido do corpo, necessita assim de cuidados e das revisões médicas necessárias. Assim, as visitas relacionadas a saúde não devem se limitar a ida a uma franquia odontológica, mas também a uma clínica médica especializada.

Essa doença, por sua vez acontece quando o material ósseo não é renovado suficientemente pelo organismo ou pelo fato dos antigos componentes do esqueleto forem reabsorvidos pelo corpo, podendo ocorrer ambas as situações. O problema surge aí, e com a ausência da renovação dos ossos há a fraqueza e a tendência a fraturas. Saiba as demais particularidades da osteoporose:

Causas da osteoporose

Em nosso corpo há células que possuem como função principal a formação dos ossos e demais pela reabsorção desses tecidos. Gradativamente, o tecido ósseo envelhece e é extinto pelos osteoclastos. Logo em seguida, essas estruturas são recriadas pelas células de função reconstrutora, chamadas de osteoblastos.

A reabsorção óssea é justamente o processo de destruição das células, que entram em estado debilitado pela osteoporose. Isso se deve ao fato de o organismo começar a submergir mais osso do que os produzir. Dentre os problemas que podem comprometer o processo de formação dos ossos e causar a osteoporose podemos citar: envelhecimento, menopausa, deficiência de cálcio, doenças e o uso de certos medicamentos.

Deficiência de cálcio

A deficiência de cálcio é uma das principais causas da osteoporose. O corpo, por sua vez, utiliza desse mineral para formular o esqueleto durante a juventude. Ademais, deve-se levar em conta que o osso é a principal fonte do cálcio no organismo, e é essa estrutura que oferece esse mineral para que demais processos possam ser realizados no corpo, como é o caso do próprio funcionamento do coração.

Uma vez que o metabolismo do osso se encontra em equilíbrio, o corpo consegue administrar o recolhimento de parte do cálcio e restitui-la. Logo, é importante que desde cedo haja a preocupação quanto ao consumo adequado de cálcio.

Os cuidados quanto a alimentação pode se limitar a má absorção do nutriente pelo organismo e assim, levar a osteoporose. Portanto, consulte o médico regularmente para saber como está o controle de cálcio do seu organismo.

Sintomas da Osteoporose

Por se tratar de uma doença silenciosa, sua percepção pode ser bem difícil de ser feita no começo. A percepção só acontece quando há a incidência de fraturas ósseas e, em casos, de algum trauma. Essas fraturas comumente ocorrem na região do fêmur, do colo de fêmur, na coluna e no punho.

Dentre os sintomas que são capazes de surgir no decorrer da doença estão: diminuição da estatura, dor na lombar, dor no pescoço, sensibilidade óssea e má postura.

Diagnóstico e tratamento

A perda óssea é parcial é gradativa e é percebida com o passar dos anos. Geralmente, a pessoa tende a sofrer alguma fratura e depois detecta a osteoporose, permitindo que seu diagnóstico já seja em uma situação grave. O diagnóstico da osteoporose não pode ser clínico, já que não há sintomas iniciais, deve ser realizado radiografias e exame de densitometria óssea.

Tendo em vista que a osteoporose possui um processo de cura complicado, seu tratamento pode ser iniciado desde a primeira fratura ou tendo em vista uma ação preventiva a futuras incidências.

O tratamento visa controlar a doença, evitando com que o seu estágio avance. Dentre os demais objetivos com o tratamento é amenizar a dor e fazer com que a perda óssea se adie ou estagne, variando de caso em caso.

Como uma cobertura apropriada pode te livrar de doenças de pele?

cobertura apropriada pode te livrar de doenças de pele

As altas temperaturas estão aí e quem esquece de se proteger da ação do solar pode sofrer com os seus impactos tanto de forma imediata quanto com o passar dos anos. Por esse motivo, é mais do que necessário cuidar do sol e recorrer a tudo que pode te ajudar a ficar livre de doenças de pele.

De fato, o verão é a estação do ano que exige maior atenção com os cuidados da pele, porque a exposição ao sol é mais frequente. Por esse motivo, uma maneira muito eficaz de se proteger é usar muito protetor e mais do que isso, recorrer aos toldos que protegem.

Se você está na rua, por exemplo, é fundamental procurar caminhar embaixo de uma proteção ou cobertura, porque tal barreira vai impedir que os raios solares incidam diretamente sobre o seu rosto e demais partes do corpo.

Toldos que protegem são capazes de resguardar as pessoas da ação dos raios solares

Em casa, a aposta em coberturas e toldos que protegem também é uma forma de se resguardar do sol. Como? Você sabia que o toldo é uma barreira muito eficaz diante da ação dos raios ultravioletas? É fato que esses raios são essenciais para que a vida no planeta terra exista, porém eles também podem causar problemas como câncer de pele, queimadura ocular chamada de foto ceratite e catarata.

Por esse motivo, quem tem um espaço aberto em casa deve apostar na cobertura, pois assim será possível evitar que as pessoas sofram com insolação, queimaduras e outros problemas causados pelo sol como rugas, envelhecimento precoce e manchas na pele. Seja uma área de lazer ou de churrasqueira, os toldos que protegem devem ser instalados.

Apostar em uma cobertura em janelas também é uma maneira efetiva, pois assim os raios solares terão uma barreira e não incidirão da mesma forma em um quarto, por exemplo, assim quem dorme naquele ambiente além de ter uma temperatura local mais agradável também estará mais protegido e os móveis do quarto também estarão.

Nenhum tipo de pele está imune as ações dos raios solares. Use filtro solar!

É comum, as pessoas acharem que os negros estão imunes a ação solar e, por esse motivo, podem andar livremente sem a necessidade de fazer uso de qualquer tipo de proteção. No entanto, isso é errado!

Eles não estão imunes a queimadura de forma completa. De fato, eles têm mais melanina na pele que é o pigmento responsável por tornar a pele escura, porém eles devem sim fazer uso de protetor solar.

Mesmo recorrendo aos toldos que protegem, o filtro solar deve ser considerado como o melhor amigo de todas as pessoas. Mesmo filtro solar fator 30 deve ser usado a cada quatro horas por pessoas que não apresentam problemas como: doenças de pele, lesões pré-câncer, manchas e problemas com queimadura.

No entanto, se ficarem muito suadas ou forem tomar banho, o filtro solar deve ser reaplicado, pois na água os protetores só duram até 40 minutos.

O esporte e o tratamento da depressão

O esporte e o tratamento da depressão

Ao contrário do que muitos pensam, a prática do esporte não ajuda apenas na obtenção e na manutenção da saúde física, mas também da saúde mental, fazendo parte do tratamento de doenças psicológicas como a depressão. A depressão possui medicamentos para o seu controle, entretanto não pode ser curada instantaneamente como ocorre com remédio para dor de dente.

Essa doença precisa de um tratamento situacional, e um de seus principais pilares é a prática esportiva. Existem pesquisas que evidenciam os benefícios do esporte na baixa da depressão, trazendo uma maior positividade na vida de quem prática. Conheça mais sobre esses benefícios:

 Os benefícios ao psicológico do esporte

A pratica esportiva regular é capaz de melhorar a autoestima, uma vez que você se exercita com frequência, seu corpo realiza a liberação de substâncias químicas denominadas endorfinas. Essas substâncias se relacionam com os receptores do cérebro, atuando como analgésicos e diminuindo a intensidade da dor.

Também atuam como sedativos, além de proporcionar uma sensação positiva no corpo. Atletas costumam definir o termino de um treino como eufórico e prazeroso, reforçando o bem-estar, a positividade e o fator energético das atividades físicas.

Auxílio no tratamento da depressão

Além dos benefícios citados, estudos indicam a prática de exercícios como um tratamento eficiente para a depressão, mesmo com que subutilizado por médicos especialistas. Os estudos no início relatavam que exercícios aeróbicos; como caminhada e natação, eram a melhor escolha, uma vez que liberavam endorfina em seu processo, porém, estudos mais atuais determinam que treinamentos que utilizam força, possuem efeitos benéficos similares.

Com a revisão dessa pesquisa se provou que exercícios que exploram a força, como flexões e musculação com uso de aparelhos, auxiliam, expressivamente na redução de sintomas da depressão. Isso pode ser em parte justificado pela influencia desses tipos de exercícios no funcionamento do cérebro, liberando substâncias neuroquímicas que favorecem o humor. O fator social da prática esportiva também é relevante.

Como decidir o tipo de atividade física?

Antes de começar a pratica exercícios deliberadamente, tenha em vista as atividades físicas que mais te atraem, suas condições físicas e os objetivos que tem em mente. A preferência entre praticar uma atividade física em grupo ou individual também pode entrar em jogo, entretanto, deve se levar em conta que o fator social pode ser extremamente benéfico.

Depois de analisar esses fatores, você é capaz de selecionar a melhor opção, sendo aquela que você se sente mais confortável praticando. Após ser efetuada a escolha você já pode começar a organizar a sua rotina e a levar a sério sua execução, podendo variar a prática de exercícios constantemente.

O indicado é que a prática do esporte seja de 20 a 30 minutos no mínimo, e realizada ao menos três vezes na semana. Pesquisas mostram que o exercício de quatro ou cinco vezes por semana otimiza ainda mais os efeitos positivos, sendo uma frequência que deve ser almejada. No começo, não exagere, comece com 20 minutos e vá aumentando o tempo gradualmente.

Exercícios não curam a depressão

Assim como afirma os médicos psiquiátricas, os exercícios físicos não curam a depressão, mas sim fazem parte de seu tratamento e na diminuição de seus sintomas. Essa doença psicológica traz consigo a diminuição de energia, distúrbios no sono, mudanças quanto ao apetite e intensificação de dores corporais. Infelizmente, se trata de um ciclo complicado de ser rompido, e é por esse motivo, que todo o cuidado quanto ao tratamento é importante, assim como a vida ativa.

Profissionais da saúde também afirmam que esse tratamento é a longo prazo e possui necessita de cuidados em diversas áreas. A terapia é essencial para que haja a recuperação do paciente, então não exclua as demais medidas necessárias. O uso de medicamentos também pode ser acoplado, caso indicado pelos médicos.

Lembre-se de levar em conta o fortalecimento de seus relacionamentos sociais, e estudos também conformam esse efeito mostrando que a prática de exercícios sozinho não é tão eficiente para o tratamento.

Desse modo, é essencial que na vivência de sintomas da depressão, o indivíduo procure pelo acompanhamento psicológico e veja o esporte como um fortalecimento da prescrição feita pelo psicólogo. Aderir uma vida mais saudável em todos os sentidos, evitando situações que não te fazem bem e uma boa alimentação também são cuidados adicionais eficazes.