A importância da fisioterapia para gestantes

fisioterapia para gestantes

A fisioterapia é uma das práticas de atividade física mais recomendadas durante a gestação, uma vez que previne disfunções e ajuda a restituir a estabilidade do organismo da mulher. Em todas as gestantes, qualquer seja o exercício físico executado requer uma atenção e o acompanhamento devido de um especialista, pois alterações fisiológicas, anatômicas, biomecânicas acontecem ao longo do período. Com isso, deve-se conhecer melhor o seu corpo e as particularidades da gestação antes e durante a rotina atina.

A indicação médica para a iniciação da fisioterapia por gestantes se deve a prevenção de problemas de circulação advindos da compressão do útero acima dos vasos sanguíneos, dificultando o tráfego venoso. Caso agravado, esse problema pode influenciar a incidência de edemas e veias varicoses, e ainda o desenvolvimento da trombose. Além de saber quanto custa um implante dentário, conheça mais sobre esse serviço e seus benefícios a gestação:

A fisioterapia durante a gravidez

Como vimos, a fisioterapia é relevante para a ação preventiva de lesões e uma série de enfermidades, mas ela não se limita a somente esses exemplos. A prática de exercícios fisioterapêuticos no período de gestação previne a mulher de disfunções no assoalho pélvico, região do músculo que é responsável pelo sustento da base do abdômen, que é capaz de abaixar cerca de 2,5 na gravidez. Essa região abrange os órgãos do sistema digestivo, reprodutivo e as distinções urinárias.

Desse modo, para se evitar e tratar esses eventuais problemas são recomendados exercícios de fortalecimento, que envolvem técnicas uroginecológicas. Essa execução ajuda a manter o assoalho pélvico e prepara o corpo e o organismo para a hora do parto, evitando complicações como a episiotomia e a incontinência urinária.

Particularidades da saúde da mulher

No sexo feminino, o movimento dos hormônios leva a mudanças nos tendões e nos músculos, além de que o estado de gravidez leva a alterações em seu corpo, como a pelve maior e sobrecarga na região dos joelhos. Com essas mudanças, é necessário que a mulher se adapte às suas necessidades e limitações. A diversificação hormonal e biomecânica leva, por exemplo, a sobrecarga da coluna lombar e vértebras. Durante esse processo cada detalhe minucioso conta para que tudo ocorra de forma tranquila e saudável.

É por esse motivo que se deve requerer o acompanhamento de um fisioterapeuta para que ele avalie o seu estado de saúde e a condição de sua gravidez. A avaliação deve considerar sua coordenação motora, capacidade de se movimentar, as atividades cotidianas e se há força para realizá-las. Se preciso, esse profissional deve encaminhar a gestante para uma avaliação neurológica e funcional, identificando mais precisamente sua real situação.

Diminuição de riscos e suas soluções

Se a gestante apresentar uma saúde estável, atividades como a hidroginástica e a prática do pilates, que ajuda no alongamento do corpo, já lhe atendem. Exercícios de forte impacto ou que possuem a posição decúbito ventral, são contraindicados.

A fisioterapia, por ser altamente benéfica é indicada até mesmo em caso de gravidez de risco, uma vez que reduz os efeitos fisiológicos advindos do repouso intenso, estabiliza o fluxo de sangue no útero, e é capaz de diminuir o risco de trombose, como já evidenciado. Em caso de gravidez na adolescência a fisioterapia atua amenização de eventuais complicações, já que o corpo não está maduro o suficiente.

É essencial que o profissional responsável pelo acompanhamento mantenha uma relação atenciosa, respeitosa e de confiança com a paciente, uma vez que durante essa fase a mulher pode não conseguir realizar certos exercícios e precisar de apoio a todo momento. Além de que a paciência é uma virtude essencial para se relacionar com uma grávida que está passando por diversas vivências, inclusive estressantes.

A prática da fisioterapia também auxilia a controlar o estresse da gestação, além da incidência de inchaços, dores e incômodos localizados, trazendo relaxamento e renovação para o dia-a-dia.

Pós-parto

Nos últimos momentos, o fisioterapeuta motiva e orienta quanto a continuação da prática das atividades físicas após a gravidez e continua na manutenção do bom estado de saúde da gestante. Além disso, o especialista atua contra a depressão pós-parto.

Depois da gravidez, o corpo precisa de retornar à normalidade, voltando com sua postura e readequando o esqueleto e músculos. Logo, a retomada dos exercícios fisioterapêuticos deve iniciar assim que a mulher se sentir confortável e apta a voltar à ativa. Tenha noção da importância da fisioterapia na gravidez e conserve sua saúde mesmo diante das instabilidades da gravidez.

A prática de esporte para crianças e adolescentes

A prática de esporte para crianças e adolescentes

A prática de atividade física, como a do esporte, é recomendada para qualquer idade, já que é um dos pilares de uma vida saudável juntamente a uma boa alimentação. A prática do esporte como uma das opções proporciona uma série de benefícios ao nosso corpo, ajudando na manutenção do físico, promovendo uma sensação de bem-estar e atuando na melhora da produtividade e qualidade de vida do praticante. Além disso, atua diretamente na aparência, e permite uma melhor imagem juntamente a procedimentos estéticos, como a aplicação da lente de contato dental.

Com as crianças e jovens, não seria diferente. Para essa faixa etária os benefícios não se limitam a apenas os citados, abrangendo vários outros. Veja quais sãos esses benefícios diferenciados:

Melhor coordenação motora

A prática do esporte possui um papel importante na coordenação motora das crianças. A frequência das atividades esportivas na rotina, quanto maior, influencia mais em seu desempenho, e é por esse motivo que os profissionais da saúde recomendam essa prática desde os primeiros anos.

É essencial abordar uma variedade de atividades esportivas no cotidiano dos alunos, uma vez que durante essa fase eles possuem uma maior facilidade de aprendizado e para desenvolver novas habilidades. O resultado da prática equilibrada de exercícios físicos, sem exagerar, equivale a formação de adultos mais saudáveis e de melhor desempenho.

Fortalecimento físico

As atividades esportivas estão relacionadas ao nosso desenvolvimento físico. Muitas pessoas buscam por uma atividade que resulte no emagrecimento ou para começar uma vida mais ativa. Se tratando do público infanto-juvenil, além de prevenir futuros problemas de saúde, o esporte colabora com o fortalecimento do corpo, já que sua prática age no desenvolvimento da massa muscular da criança. Por esse motivo, alunos que praticam esportes desde pequenos possuem músculos e estruturas ósseas em melhor conservação.

Bom funcionamento do metabolismo

Outro fator positivo da prática de esportes é que nosso metabolismo possui um bom funcionamento na infância. O metabolismo é o encarregado pela produção de energia que permite uma maior atenção e um melhor condicionamento durante o percurso do dia e ajudando no desemprenho escolar. O funcionamento ideal do metabolismo é essencial para o controle de calorias.

Formação integral

Outro benefício da inclusão do esporte na infância e juventude é o desenvolvimento de competências técnicas e habilidades cognitivas e emocionais, colaborando assim para sua formação integral.

Os estudantes de qualquer idade desenvolvem um melhor relacionamento com os professores e demais colegas durante a prática esportiva grupal, além de oferecer iniciativa e melhorarem a capacidade de memorizar.

Aplique diferentes técnicas de escolha

Um fator importante para incentivar o contato da criança com o esporte é ajuda-lo durante o processo de escolha. É necessário ter nas mangas diversos métodos para que a decisão seja feita, visionando que seja tomada a melhor opção.

A criatividade na hora de abordar as modalidades é importante, uma vez que a criança ainda não possui uma noção e ainda não teve contato com a prática esportiva. Não se limite aos previsíveis como a televisão e o YouTube. O melhor a se fazer é trazer essa experiência no ambiente familiar, para que ao realmente praticar e vivenciar o esporte, a escolha venha certeira.

Com a tecnologia cada vez mais presente no nosso dia-a-dia, é fundamental que a criança veja o esporte um momento de lazer e de socializar. Além disso, as modalidades devem ser mostradas como uma solução a uma vida mais saudável e ativa, e ao combate ao sedentarismo. Leve em conta que o esporte para atrair uma criança deve ser abordado de forma lúdica e acolhedora.

Opções de esportes

São várias as opções de esportes disponíveis e todas elas podem ser praticadas na infância. A natação, por exemplo, é um dos mais escolhidos pelas crianças, na maioria das vezes pelo contato com a água ser algo bastante agradável e divertido ao público. O futebol e futsal, por serem a modalidade mais popular em nosso país, podem inspirar e no final influenciar na escolha. Outras opções são: vôlei, basquete, handebol, artes marciais e danças.

Portanto, não deixe de incentivar seu filho a prática de esportes, são vários os benefícios e resultados positivos a serem colhidos no futuro. A prática de atividade física é decisiva em casos de adoecimento por viroses e enfermidades, atuando no fortalecimento do corpo e na melhora de sua imunidade. Então, preocupe e zele pela saúde da criança, uma série de danos pode ser evitados, e nada melhor do que ver em primeira mão o seu bom crescimento e desenvolvimento.

A fisioterapia no combate a osteoporose

fisioterapia no combate a osteoporose

A luta contra a osteoporose é de grande importância para o alcance da proteção contra os efeitos e distúrbios, como as fraturas ósseas, e para uma melhor qualidade de vida na terceira idade. Logo, o idoso não deve se preocupar apenas quanto o implante dentário, mas quanto a saúde de seu esqueleto, músculo e de todo o físico.

Para lidar com isso, a prática de atividades físicas é uma das melhores alternativas e formas de tratamento, uma vez que se remete a uma maneira eficiente de prevenção e combate a osteoporose. Leia mais:

A importância da atividade física

A prática de esporte e exercícios físicos é uma grande aliada da fixação de cálcio nos ossos, e além de colaborar com a conservação dos movimentos e do equilíbrio do corpo, que são fatores essenciais para evitar quedas e consequentemente lesões. A fisioterapia é um dos exercícios mais recomendados nessa situação pelo leque de vantagens que oferece como na manutenção o bom desempenho físico, articular, cardiovascular e muscular da maneira correta.

Se tratando de uma medida de prevenção e de tratamento, a fisioterapia oferece uma maior força muscular e flexibilidade ao praticante, através de exercícios com resistência que favorecem a musculatura. Caso esse método não seja possível, consulte um educador físico para que ele possa analisar outras atividades que possam resultar nesses efeitos, e assim, na prevenção da osteoporose.

Fatores de risco da osteoporose

As principais causas da osteoporose são:

  • Influência genética;
  • Velhice;
  • Alimentação pobre em cálcio;
  • Sedentarismo;
  • Exagero de álcool;
  • Tabagismo;
  • Menopausa;
  • Vício em remédios à base de corticoides;
  • Diabetes;
  • Distúrbios na tireoide.

Formas de prevenção à osteoporose

A ingestão de cálcio é indispensável para a reiteração dos ossos. Especialistas indicam o consumo de cerca de 1000 miligramas por dia (quatro porções lácteas). A vitamina D também é essencial para esse processo, pois na sua carência a absorção do nutriente é prejudicada. É recomendado consumir diariamente de 400 a 600 miligramas diários de vitamina.

A pratica de atividade física precisa incita na produção de massa óssea, influenciando positivamente na força muscular, fundamental na ação preventiva de quedas.

As técnicas fisioterapêuticas mais eficientes

É indicado que os exercícios sejam realizados ao ar livre, não influenciando na diminuição do efeito da gravidade. A natação e a hidroginástica, por sua vez, não auxiliam no tratamento da doença, uma vez que a gravidade é a responsável pela maior deposição de cálcio nos ossos. Esses são exercícios que são mais recomendados na incidência de degaste nas articulações.

Além da regulagem desses exercícios, é necessário que haja o controle das enfermidades que influenciem no desenvolvimento da osteoporose, evitando o consumo exagerado de álcool, do cigarro e do café. Tomar bastante sol antes das 10h e após às 17h também é indicado, já que a vitamina D somente é ativada através dos raios ultravioletas, porém não peque no uso de protetor solar.

A fisioterapia é recomendada em situações em que a osteoporose já se desenvolveu, visando a prevenção de danos como deformidades e fraturas ósseas. O foco dos procedimentos fisioterapêuticos é atuar no fortalecimento dos músculos, articulações e ossos, dando ao paciente uma maior qualidade de vida. Buscar uma clinica de fisioterapia para um acompanhamento de perto e mais profissional é de extrema importância, assim como a pratica de exercícios ao ar livre.

Exercícios posturais

Os exercícios de postura ajudam a melhorar o alinhamento da coluna vertebral, a dando força e maior flexibilidade. Além desses benefícios, há a melhora da coordenação motora, do equilíbrio e o desenvolvimento de habilidades que atuam na precaução a quedas e eventuais fraturas.

Exercícios de alongamento

Os alongamentos auxiliam na maior amplitude dos movimentos, seja dos músculos do pescoço, das costas e pernas, dando ênfase na importância da manutenção do equilíbrio corporal.

Exercícios de fortalecimento muscular

São exercícios comumente realizados com as pernas e os braços, tendo como objetivo a maior força muscular, e por isso, podem necessitar do uso de pesos de cargas variantes.

Exercícios de cinesioterapia

A cinesioterapia também é eficiente quanto ao fortalecimento dos músculos, principalmente em casos em que haja dores intensas e a dificuldade de locomoção. Essa vertente trabalha exercícios ativos, ativos resistidos e passivos, que se resultam na mais resistência, coordenação e força muscular, flexibilidade e na melhor mobilidade articular.

Portanto, para evitar futuros problemas nos ossos como a osteoporose, é importante manter uma rotina ativa. A fisioterapia, por ser uma especialidade leve e que transmite uma experiência de menor estresse e esforço físico, pode ser a melhor opção para pessoas de idade avançada prevenirem e tratarem esses danos. Consulte com um fisioterapeuta para realizar a avaliação e a seleção dos exercícios que melhor te atendem.

Autocuidado: a importância de cuidar do corpo e da mente

Autocuidado

Simplificando o autocuidado, se trata, justamente do cuidado próprio, seja do próprio físico ou emocional. Nessa era da produtividade, muito se fala sobre a importância da saúde metal e estar sempre atento a seu estado e complicações, tendo um melhor olhar sob si mesmo. Uma das justificativas para essa preocupação é a maior incidência de situações de estresse e casos de ansiedade e depressão.

Desse modo, temos a confirmação de um estilo de vida que impacta fortemente em nosso físico e emocional. A rotina excessiva de trabalho, a preocupação intensa e constante, a pressão e a alta competividade do mercado profissional e acadêmico contribui para esse cansaço geral.

A vida passa tão rapidamente para certas pessoas que elas não conseguem parar e realizar os cuidados que seu corpo necessita, seja cuidados pessoais, por tratamentos médicos ou procedimentos odontológicos como a prótese dentária. Muitos são ensinados a não demonstrar sofrimento e preocupações, se sufocando em seus próprios sentimentos. Então procure sempre entender seu corpo, seus sentimentos e emoções.

Por uma vida mais harmônica

Mesmo que manter a harmonia entre todas as áreas de nossa vida seja impossível, o desequilíbrio em que algumas se encontram é momentâneo. A vida proporciona altos e baixos e sempre haverá situações de incômodo e desconforto.

Portanto, busque sempre o equilíbrio emocional para melhor lidar com essas situações do cotidiano. Cuidar de si mesmo pode aparentar ser bem complicado mais, mesmo sendo, se trata de algo que busca te proporcionar uma melhor qualidade de vida e bem-estar.

O autocuidado é talvez o que falta para conseguimos alcançar uma saúde e um estado de felicidade estável. Os cuidados consigo mesmo devem ser mantidos e melhorados ao longo da vida, gradualmente, conforme a fase da vida na qual estamos. Cultivar a harmonia entre as áreas da sua vida também é um dos autocuidados.

Áreas que requerem um maior autocuidado

Físico: se trata da saúde do corpo movida pela prática de atividades físicas e de uma alimentação saudável.

Emocional: Tão importante quanto a física, a manter uma boa saúde mental evita transtornos mentais como a depressão e a ansiedade, que afetam diretamente sua relação com o mundo e as pessoas a sua volta, e o seu relacionamento com você. Além disso, situações estressantes, noticiais ruins, intrigas e costumes tóxicos afetam diretamente o seu emocional.

Profissional: O ambiente profissional é geralmente o ambiente que proporciona as maiores incidências de situações estressantes. A busca por um grande cargo, pela carreira inspiradora e principalmente de uma boa condição financeira são metas que nunca possuem fim, já que sempre almejamos mais.

Social: Os laços que cultivamos, independente com que interesse, são extremamente relevantes para obtermos mais prazer e felicidade. Quando nos vermos na carência de relações sociais nos sentirmos sozinhos e desanimados.

Pessoal: A nossa vida pessoal se trata do conjunto de nossos sonhos e desejos mais íntimos e que muitas vezes não são compartilhados. A autossabotagem por exemplo é um dos principais obstáculos que enfrentamos ao correr atrás de nossos sonhos.

Familiar: A família pode ser uma das principais fontes alegria, ao mesmo tempo que pode ser a fonte principal de irritação e sofrimento, podendo afetar diretamente em todos os demais âmbitos.

Relacionamento: O relacionamento amoroso também é capaz de proporcionar uma série de momentos felizes, ao mesmo tempo que de desconforto e tristeza. Portanto, requer um emocional blindado e inteligente.

Não procrastine com o autocuidado

Desejos como o de obter amizades mais verdadeiras, trabalhos que nos agradem, fazer sempre as decisões corretas, podem se tornar realidade a partir das decisões mais simples. Quando priorizamos o nosso bem-estar, garantimos uma vida mais saudável e feliz.

Contudo, o desempenho que se origina dessa escolha auxilia também na criação de iniciativas beneficentes ao próximo, já que só podemos oferecer aquilo que já desfrutamos. Portanto, não ignore as suas próprias necessidades e adote atitudes que te faça crescer com uma saúde mental em dia.

Se alimentar de maneira saudável, se exercitar regularmente, se livrar de ressentimentos, fazer o que gosta e reservar um tempo para você e com quem você ama são algumas das atividades que podem te auxiliar no processo de autocuidado. Faça o que te faz sorrir e busque coletar o máximo de bons momentos possíveis, de forma que mesmo com a incidência dos momentos ruins, haja sempre uma fonte de motivação.

Os benefícios da dança para a sua saúde

benefícios da dança

Você conhece os benefícios da dança para a sua saúde? A dança é uma arte cênica que faz com que o corpo se movimente expressivamente acompanhando um movimento ritmado, como a música. Essa arte dos movimentos também pode compor a classificação das atividades físicas, e, juntamente a uma dieta saudável e a hidratação, pode influenciar positivamente no funcionamento do organismo. Além da saúde física, através justamente da liberdade de expressão que ela nos causa, a dança é capaz de melhorar não só a nossa saúde física, mas também a nossa saúde mental.

A dança pode ser a solução ideal para quem não se encaixa nos exercícios da academia e ainda almeja ter uma vida mais saudável. Seja acompanhada de um samba, forró, funk ou zumba, os efeitos podem ser bem satisfatórios e contemplam muito mais do que apenas os que apenas as demais atividades físicas proporcionam. É uma prática indicada a todas as idades, inclusive aos idosos que não precisam se preocupar apenas com procedimentos como o prótese dentária, mas com tratamentos capazes de curar além do corpo a alma. Conheça mais as vantagens de começar essa prática mais divertida e intensa:

Os benefícios da dança para seu corpo 

Se você almeja sentir a sensação de alívio após uma atividade física, queimar calorias, a dança pode ser o uma das opções. A capacidade da dança de fazer você alcançar essas metas depende da prática regular e duradoura, assim como a modalidade escolhida.

Um exemplo disso é a estimativa de uma aula de zumba ser capaz de queimar até mil calorias e ser capaz de te ensinar as coreografias das músicas que estão em alta no momento, enquanto a dança de salão queima cerca de 300 calorias e todo mundo vai querer te acompanhar nos movimentos.

Portanto, há modalidade varia em seus resultados, não tirando o fato de que qualquer uma delas pode influenciar na melhora do funcionamento de seu organismo.

Fortalecimento muscular 

As danças costumam a possuir repetições de movimentos, seja saltos, piruetas, movimentos rápidos, com a presença daqueles que se tornam bem característicos da modalidade. Essas repetições são capazes de fortalecerem os músculos e fazer com que diversos grupos musculares trabalhem ao mesmo tempo.

Cada uma das modalidades possuem um foco diferente, por exemplo. Enquanto o streetdance, o zumba e o ballet trabalham todo o corpo, a dança do ventre trabalha muito o movimento de pernas, cintura, costas e quadris. Caso você já exerça alguma modalidade com frequência, já deve ter percebido as alterações em seu corpo. Uma musculatura forte previne a incidência de fraturas e lesões.

Maior potência para o coração e pulmões

Com a prática de 30 minutos ao menos 3 vezes por semana, a dança pode fazer uma diferença em sua saúde. Essa regularidade faz com que a frequência cardíaca e respiratória aumente, o que significa auxiliar o seu coração a bombear maior quantidade de sangue para os músculos e para o corpo, e fazer com que haja a sensação de maior motivação. O melhor desempenho do sistema cardiovascular é retratado na melhor circulação do sangue, e reflete que está tudo funcionando corretamente.

Melhor postura 

A dança também é a responsável por trazer maior flexibilidade ao corpo, ajudando diretamente na melhora da postura. A execução do fortalecimento muscular, principalmente na região das costas, é também uma colaboração para essa vantagem. Músculos fortes te ajudam a obter um maior auxílio para mante a coluna vertebral ereta.

A postura também possui uma melhora por causa da percepção corporal, sendo comum que as aulas de dança sejam realizadas na frente de um espelho. Essa ocorrência objetiva que você olhe sempre para frente e que você desenvolva assim, uma maior noção do seu corpo e ganhe mais autoconfiança.

Benefícios da dança para a saúde mental

Como dito, a dança também pode trazer uma série de benefícios a sua saúde mental. Autoestima, aprendizado, humor, todos esses fatores são intensificados. As atividades físicas liberam neurotransmissores que levam ao prazer, podendo energizar o seu corpo e fazer com que você goste e sinta cada vez mais vontade de dançar.

Além da liberação da endorfina, há também a de serotonina e dopamina, outros hormônios responsáveis pelo deleite e felicidade. Esses hormônios se sobrepõem ao cortisol, o hormônio do estresse, o que favorece e potencializa ainda mais esses efeitos. 5 minutos de aula já são o bastante para te trazerem mais paz e bom humor. Logo, se você se concentra na coordenação dos movimentos, as preocupações não podem te incomodar.

 Como vimos, os benefícios da dança na nossa saúde geral são vários, o que só nos confirma como essa arte e atividade física pode revigorar o nosso bem-estar e qualidade de vida. Não hesite em começar se está é uma boa opção para você, mas caso não seja, não deixe de praticar algum exercício físico, existe uma variedade de opções para te fazer se mexer.

Alergia, intolerância e sensibilidade alimentar: saiba os efeitos de cada um

sensibilidade alimentar

A alergia, a intolerância e a sensibilidade alimentar são complicações alimentares que podem ser difíceis de serem identificados e diferenciados entre si. A alergia alimentar se trata de uma resposta imunológica que se desenvolve aleatoriamente e, comumente, é causada por proteínas. É o caso onde se tem uma tolerância xero a determinado alimento.

A intolerância alimentar é uma reação adversa não imunológica que ocorre quando um determinado nutriente não é totalmente digerido por causa da ausência de enzimas digestivas ou a demasia do nutriente no trato gastrointestinal. A sensibilidade alimentar é a rejeição do organismo a certo organismo, apresenta sintomas como os gastrointestinais, dor de cabeça, distensão abdominal, alteração no humor, pele e a incidência de afta na boca.

A identificação dessas complicações é realizada somente pela exclusão dos alimentos, pois, cada indivíduo possui suas preferências, resposta imunológica, comportamento alimentar, simbologia, comportamento alimentar e história clínica, ou seja, sua identidade alimentar. Leia mais:

Alergia e intolerância alimentar

Pessoas com pré-disposição à alergia dever estar sempre atentas quanto ao consumo de alimentos com potencial alergênico. Alguns alimentos que possuem potencial alergênico são: clara de ovo, soja, amêndoas, crustáceos, cereais compostos por glúten, leite de vaca, castanhas, amendoim e carne de peixe. Esses alimentos influenciam em 90% das alergias alimentares. As demais alergias alimentares que compõem os 10% estão ligadas à presença de corantes, pesticidas e conservantes.

O consumo em excesso de determinado alimento pode induzir a sensibilidade alimentar. Tenha atenção quanto as dietas do momento que são muito regradas e promovem a restrição de determinados grupos de alimentos, elas podem trazer efeitos negativos em vez de benéficos.

A alergia alimentar possui uma reação imune que age instantaneamente e pode resultar na compressão da garganta, inchaço, manchas avermelhadas, dor abdominal, diarreia, vômito, urticária e anafilaxia. Até mesmo uma pequena quantidade pode influenciar esses sintomas. Já a intolerância alimentar é comum ser retratada como uma reação demorada que pode gerar problemas intestinais ou demais sintomas.

Ambas implicações podem ter relação com a grande quantidade de conservantes que ingerimos e do constante crescimento do setor industrial alimentício. Com isso, há no momento uma série de pesquisas sendo realizadas abordando nosso sistema imunológico e demais mecanismos biológicos.

Glúten e lactose

É muito comum ouvimos falar que a retirada de glúten e lactose da nossa alimentação leva ao emagrecimento, o que ainda não foi comprovado cientificamente. O ato de emagrecer se trata da matemática do que consumimos e do que queimamos, fazendo com que necessitamos de diminuir o consumo calórico dos alimentos e/ou praticar exercícios físicos mais frequentemente (gasto energético), contribuindo assim para a carga negativa do equilíbrio energético.

Só se deve se preocupar quanto a substituição de alimentos que possuem lactose ou glúten quando for o caso de incidência de alergias e intolerâncias alimentares diagnosticadas, buscando amenizar os sintomas. O valor calórico dos alimentos que podem substituir o trigo, a aveia, o centeio e a cevada não é menor e é até mesmo semelhante, logo, não colaboram para a redução das calorias.

Como minimizar os riscos de sensibilidade e intolerância alimentar?

A diversidade alimentar é essencial para a garantia do consumo equilibrado de macro e micronutrientes, menor presença de um mesmo alimento, prevenindo assim as sensibilidades, proporcionando um maior prazer e a menor restrição de alimentos que possui uma menor correlação com compulsão alimentar.

Outras medidas a serem tomadas é evitar a monotonia alimentar, procurando variar os pratos consumidos, se preocupar quanto a leitura de rótulos, procurar sempre por alimentos orgânicos e optar por cozinhar do que comprar alimentos prontos.

O tratamento da intolerância alimentar

O tratamento para a intolerância alimentar não existe. O indicado é a renovação da dieta, retirando por completo o alimento causador da intolerância. Para que o processo seja realizado da forma correta, é necessário o acompanhamento de um nutricionista, já que ao mudar a alimentação é importante saber quais são as melhores combinações e substituições para não haja a perda de nutrientes.

Em caso da incidência de alguma dessas complicações é importante ter o costume de anotar o que consome e sente para uma melhor análise do profissional. O uso de medicamentos com enzimas auxiliadoras na digestão dos causadores da intolerância pode complementar o tratamento. Lembre-se que a alimentação deve ser sempre saudável e sustentável, não caia na tentação de modismos estruturados.

Conheça os efeitos de remédios tarja preta

remédios tarja preta

Os remédios apresentam a tarja preta quando oferecem um maior risco a saúde do consumidor. Possuem em sua embalagem a frase “Venda sob prescrição médica, o abuso deste medicamento pode causar dependência” que remete justamente a necessidade da receita médica de cor azul, que permanece na farmácia. Além disso, os remédios que apresentam a tarja preta podem levar ao vício citado e a danos como o escurecimento dos dentes, fazendo necessário procedimentos como o clareamento dental.

Esse tipo de remédio também é controlado pelo Ministério da Saúde, já que apresentam diversos efeitos colaterais e contraindicações em comparação aos de tarja vermelha ou sem tarja. Possuem uma ação sedativa ou instigante sobre o sistema nervoso central, fazendo com que a pessoa seja suscetível a uma série de perigos e precise seguir rigorosamente a recomendação do médico. Veja quais são esses riscos à saúde e os demais efeitos desses medicamentos:

Quais são os remédios de tarja preta?

Os medicamentos de tarja preta são qualificados como sendo psicotrópicos, também reconhecidos como remédios psicoativos. Se tratam de um conjunto de substâncias ativas que agem no sistema nervoso central e alternam os processos mentais, as emoções e os comportamentos, levando ao ciclo vicioso.

Geralmente, os medicamentos psicotrópicos são receitados para enfermidades do sistema nervoso como a insônia, o estresse, a ansiedade, depressão, entre outras. Caso utilizados incorretamente, podem influenciar o aumento da frequência cardíaca, alucinações, a dificuldade para manter o foco, o desequilíbrio emocional, alternações em comportamentos relacionados ao apetite e peso, etc.

Diferenças entre tarja preta e tarja vermelha

Os medicamentos de tarja vermelha também necessitam da receita do médico para serem levados para casa, contudo, essa receita não precisa ser especial. Apesar disso, os efeitos colaterais, as contraindicações e a probabilidade de dependência não possuem a gravidade dos de tarja preta.

Já os medicamentos que não possuem tarja de cor alguma não precisam da receita médica para ser efetuada a compra, pois possuem um menor risco de incidência de efeitos colaterais ou de possuir contraindicações.

Consequências do uso ininterrupto de remédios tarja preta

Pelo fato de serem medicamentos capazes de atingir o desempenho do organismo, é imaginável que influenciem efeitos colaterais. Outras consequências desse medicamento, além da dependência citada, são:

Sono frequente

A ingestão de remédios tarja preta pode fazer com que a pessoa sinta mais sono, não apenas no horário de adormecer. Ainda que tenha tido uma noite agradável de descanso, o sono persiste ao longo de todo o dia, fazendo com que a pessoa fique menos produtiva. Esse efeito pode interferir negativamente tanto na vida pessoal quanto na profissional, já que o sono diminui o foco e permite a impercepção de erros.

Ganho de peso

Os medicamentos tarja preta são os motivos que implicam na conservação de líquido no organismo, além de ajudar nas mutações do metabolismo e no aumento do apetite. No momento que esses efeitos atingem o corpo em conjunto, eles danificam completamente o seu equilíbrio.

Desse modo, o desejo de comer agrupado com uma atividade metabólica demorada colabora com que o indivíduo consuma uma menor quantidade de energia e ingira uma maior de alimentos, ganhando peso.

Tratamentos recomendados para suportar a ausência de remédios tarja preta

Após compreender as consequências do uso frequente e sem final delimitado dos remédios de tarja preta, você percebeu suas consideráveis implicações. Veja as principais formas de se livrar de vez da dependência desse medicamento:

Busque por auxílio psicológico

O primeiro da listagem e uma das ações mais importantes é buscar ajuda psicológica, o psicólogo é um forte apoio a quem precisa se livrar de um vício. Nas consultas com esse especialista você vai aprender a raiz de seu problema e a como superá-la, e através de algumas indicações, superar gradualmente a dependência. Cada caso apresenta sua particularidade e são analisados e prosseguidos de maneira singular pelo profissional.

Contate uma clínica de recuperação

Se você perceber que apenas o apoio de um psicólogo não apresentará resultados, contate uma clínica de recuperação. É nessas clínicas que você estará imerso a sua recuperação, juntamente com um grupo de especialistas em auxiliar pessoas dependentes nesse processo.

Conte com seus familiares e amigos

O processo de superação de um vício é um dilema muito complicado e é justamente por isso que necessitamos do apoio e motivação das pessoas que nos cercam diariamente. Conte com o apoio de quem você ama, toda motivação e suporte é acolhida e pode colaborar e muito para um processo tranquilo e com o rápido sucesso do tratamento.

Tenha em mente que esses medicamentos se tratam de substâncias fortes e que auxiliam na ação química do cérebro, implicando em graves complicações. Se o uso for realmente necessário, deve ser feito de forma controlada e sob o acompanhamento médico, sempre seguindo suas prescrições e orientações. No primeiro momento, o uso desses remédios pode trazer resultados, porém, deve se levar em conta seus diversos prejuízos futuros.

Saúde dos olhos: saiba como cuidar de sua visão

Saúde dos olhos

Cuidar da saúde dos olhos é importantíssimo. A visão é um dos sentidos mais importantes e um dos mais sensíveis. Apesar de sua relevância, muitas das vezes é negligenciada e não possui a atenção e os cuidados que merece, só os recebendo quando é perceptível algum sintoma ou alguma perda. Ao contrário de perdas como a do dente, que possui a solução do implante dentário, a perda, uma vez total, da visão não possui reposição.

Pela saúde da visão, os cuidados mais simples fazem grande diferença, seja em período curto ou a longo prazo. Algumas medidas devem ser realizadas diariamente para prevenir demais problemas e assegurar que os que já existam não sejam agravados.

A saúde dos olhos depende diretamente dos seus hábitos, uma vez danosos, podem causar sérias consequências. Então fique atento quanto aos cuidados a seguir:

Exames oftalmológicos em dia

Já que se trata de um dano irrecuperável, o principal cuidado é a prevenção. Manter a periodicidade dos exames oftalmológicos, na frequência indicada pelo profissional especialista é capaz de barrar e diminuir o impacto de diversos danos.

Certas doenças oculares crônicas, tais como a glaucoma, a retinopatia diabética e a degeneração macular são comumente impossíveis de serem detectadas em suas fases iniciais, já que não possuem sintomas perceptíveis, reforçando a importância dos exames preventivos.

Invista em hábitos saudáveis

Uma dieta saudável e controlada é um dos pilares da melhor qualidade de vida e da saúde geral. Com isso, o olho não é uma exceção e a boa alimentação reflete diretamente e positivamente na saúde do olhar.

Caso você esteja protegido contra doenças sistêmicas, capazes de atingir diversos órgãos do organismo, como o diabetes e a hipertensão, está livre de futuros danos oculares e relacionados a eles, tais como a retinopatia hipertensiva e a diabética. A melhor opção de precaução a doenças como essas é a uma dieta pobre em açúcares, carboidratos e gordura, mas rica em nutrientes e vitaminas.

Quem se alimenta de forma equilibrada, mantém demais hábitos saudáveis com facilidade, tal como o uso do protetor solar e evitar a exposição desnecessária a luz do sol. A alimentação saudável também previne a Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI), uma das principais causas da cegueira em pessoas com mais de 50 anos.

Uso dos óculos de sol

O uso dos óculos de sol não são apenas algo referente a estilo ou a preferência, mas se refere a uma das mais eficientes proteções ao nosso olhar. Se escolhidos de forma correta, protegem a retina das radiações solares e de vários danos e problemas quanto a visão, como a catarata.

Quando for comprar seus óculos tenha atenção, certifique de que o modelo escolhido apresenta um selo de qualidade que garanta a proteção a visão contra os raios ultravioletas pelas lentes. Não realize a compra daqueles sem garantia, mesmo se o modelo te agradar, eles podem te trazer mais danos do que benefícios.

Assim como o protetor solar, o uso dos óculos de sol não é necessário apenas nos dias quentes de verão, mas em todos os dias, sejam em chuvosos ou no inverno, já que ainda há a exposição aos raios ultravioletas e a possível incidência de prejuízos.

Conheça sua genética

Procure saber se parentes próximos já desenvolveram problemas oculares e se sim, quais foram, doenças oculares costumam ser passadas geneticamente, mas não é algo garantido. A presença da análise do histórico familiar ajuda o oftalmologista a personalizar o seu tratamento, se baseando nas referências coletadas e nos sintomas apresentados. Dessa forma, se sabe quais medidas preventivas tomar e na obtenção de um diagnóstico precoce.

Uso controlado de eletrônicos

Se você passa muito tempo na frente da tela do celular e do computador, tende a manter os olhos mais abertos e piscar menos vezes. Essa atitude permite que a lubrificação natural do globo ocular, fundamental para a saúde dos olhos, seja reduzida.

Procure piscar mais vezes, fazendo pausas de 20 segundos a cada 20 minutos que olhar a tela, essa prática evita os problemas oftalmológicos. É importante manter uma distância de 50 centímetros do monitor e, se indicado pelo médico especialista, usar um colírio. Ainda, se preocupe em ajustar as configurações da tela do aparelho, diminuindo o brilho quando a incidência de luz for muito alta.

Não usar colírio sem indicação

Só faça o uso do colírio se indicado pelo seu oftalmologista. O uso desse produto sem indicação médica pode trazer uma série de complicações para a sua visão. O colírio é uma espécie medicamento, somente sendo receitado se a situação especifica exigir. Não se automedique e evite problemas futuros.

Evite coçar os olhos

Mesmo com o desconforto e incômodo que a coceira nos olhos causa, o ato de coçar pode ser extremamente danoso e precisa ser contido. A pressão em cima do globo ocular pode influenciar diversos problemas como o astigmatismo, ceratocone, o deslocamento da retina, entre outros.

Outro fator a ser evidenciado é o de nossas mãos transportarem sujeiras e vários microrganismos, o que pode fazer com que desencadeie doenças, ainda mais em uma região tão sensível como os olhos. Em casos de coceira, pisque os olhos várias vezes para aliviá-la e, se ela não passar, lave-os com água para que a partícula intrusa seja retirada.

Tenha seu tempo de descanso

É importante fazer pausas quando estiver passando um tempo considerável na frente do computador ou celular. Com esse tempo seus olhos se hidratam da maneira correta e descansam da luz intensa.

Respeite também o seu tempo de sono, todo o organismo merece esse momento para que suas energias sejam recuperadas. Assim, um sono regulado e com horas suficientes para que a recuperação seja completa, influencia na saúde dos olhos, evitando problemas como a fadiga ocular.

Outros cuidados como a abstinência do tabaco, prática de atividades físicas e o corte do consumo de açúcares também se ligam diretamente a saúde dos olhos, já que para uma visão saudável é preciso manter o organismo saudável. Siga esses cuidados no dia-a-dia, mantenha contato com o oftalmologista e garanta a proteção de sua visão.

Os benefícios e as desvantagens do café

café

Existem muitas dúvidas e toda uma polêmica em volta do consumo do café. Uns defendem que uma xícara pela manhã ajuda o corpo despertar, assim como ficar em alerta e vigiante. Outros defendem que a sua ingestão ajuda na incidência de doenças crônicas e o vício. Contudo, muitas pessoas não conseguem nem imaginar começar o dia sem o café.

A cafeína é a substância psicoativa mais consumida no mundo, e o componente mais conhecido do café, para muitos o único. Enquanto alguns estudos apontam que o café descafeinado e com cafeína podem afetar igualmente a saúde, outros relatam que a cafeína não é a responsável pela maioria dos benefícios à saúde relacionados.

O café já foi o culpado da impotência e insanidade, ao mesmo tempo que foi considerado a cura da preguiça. Foi culpado como a causa do amarelamento dos dentes e o maior inimigo, e motivação da aplicação da lente de contato dental. Porém, afinal de contas quais são as suposições que foram comprovadas nos dias de hoje? Leia sobre a seguir:

Os benefícios do café à saúde

Aumento do desempenho físico 

Para uma maior disposição no treino, uma xícara de café preto uma hora antes de realizá-lo é capaz de o melhorar cerca de 11 a 12%. A cafeína é responsável pelo aumento da taxa de adrenalina no sangue, substância do hormônio de “combate ou desistência” do corpo, que ajuda no preparo para o esforço físico.

Ajuda na perder peso

O café possui magnésio e potássio como componentes, o que auxilia na utilização da insulina, que regula os níveis de açúcar no sangue e reduz a vontade de lanches ricos em açúcar e doce.

Ajuda na queima de gordura

A cafeína auxilia as células adiposas na decomposição da gordura corporal e no seu uso como motivador para o treinamento.

Ajuda na concentração e a ficar alerta 

O consumo moderado da cafeína, no máximo seis xícaras por dia, é capaz de auxiliar na concentração e na melhora da atenção mental.

Reduz o risco de morte

Pesquisas indicam que o risco de ir ao óbito prematuro de quem consome café é 25% menor do que aqueles que não são favoráveis.

Reduz o risco de câncer

Segundo um estudo, o café consegue amenizar o risco da incidência de câncer de próstata em homens e a de câncer endométrio em mulheres em 25%. As pessoas que estavam sob o estudo ingeriam cerca de quatro xícaras de café por dia. A cafeína também é capaz de barrar o desenvolvimento do tipo mais comum de câncer de pele, o carcinoma basocelular.

Reduz o risco de derrame

O consumo aceitável de café, entre duas a quatro xícaras por dia, está relacionado a uma menor probabilidade de derrame.

Reduz o risco de doença de Parkinson

Pesquisadores descobriram que a ingestão regular de café diminui a chance de desenvolver a doença de Parkinson em cerca de 25%. Há evidências de que o café leve ao funcionamento na região do cérebro atingida pela doença.

Proteção do corpo

O café apresenta uma grande quantidade de antioxidantes, que atuam como defensores e nos protegem contra os invasores nocivos presentes no organismo.

Diminui o risco de diabetes tipo II

A cafeína faz com que a vulnerabilidade do corpo a insulina caia, assim como a tolerância à glicose, amenizando a possibilidade de incidência de diabetes tipo 2.

Protege seu cérebro

A grande quantidade de cafeína no sangue diminui o risco de adquirir a doença de Alzheimer, assim como o risco de demência.

Melhora do humor

A cafeína incentiva o sistema nervoso central e influencia no crescimento da produção de neurotransmissores como a serotonina, a noradrenalina e a dopamina, responsáveis pela elevação do humor. Assim, ingerir duas xícaras de café por dia pode atuar no combate a depressão e reduzir o risco de suicídio em 50%.

Desvantagens do café e possíveis danos

Café de má qualidade pode ser nocivo

O café quando está em mal estado pode abranger várias impurezas, que podem levar a doenças, mal estar e dores de cabeça. Isso acontece principalmente em casos que o café é preparado por grãos que foram despedaçados e destroçados, mas se você investe em um café especial de alta qualidade não precisa se preocupar.

Pode levar ao óbito

Em caso de exagero no consumo, e se há a ingestão de cerca de oitenta a cem xícaras (23 litros) em um período curto. Tomar essa dosagem de café em um período curto é letal. Sintomas como ânsia de vômito são sentidos, já que o líquido está em excesso em seu organismo.  Até mesmo beber 23 litros de água é capaz de levar a pessoa a morte.

Pode causar insônia e agitação

Outro efeito da cafeína é a insônia e inquietação extrema. A quantidade máxima de cafeína indicada é 400 miligramas, aproximadamente 4 xícaras de café. Contudo, a quantidade ideal de consumo vária para cada pessoa, já que há organismos mais adaptáveis ao consumo e outros mais vulneráveis.

Beber apenas um copo por dia em gravidez

Pesquisas sobre as reações do café no feto estão em processo, mas caso você estiver grávida, a cafeína entrará em contato com o embrião que é altamente sensível a substância. Então não arrisque, se você tem o costume de consumir grande quantidade de café e acha que não conseguirá conter o vício, reduza para apenas uma xícara por dia.

Portanto, faça uma análise de consumo e perceba como o seu organismo reage a essa bebida. A ingestão pode ser favorável, mas tudo em excesso é capaz de causar um grande dano ao nosso corpo, nossa saúde e qualidade de vida. Seja consciente e faça um consumo controlado.

Sono e saúde: a importância de dormir bem

Sono e saúde

Como o sono afeta nossa saúde? Depois de um dia exaustivo e durante intervalos de um dia cansativo, o sono é uma de nossas fontes de energia. A necessidade de descansar é algo comum e necessário a todo ser humano, não somos máquinas e necessitamos nos recompor diariamente, assim como na alimentação e assim como precisamos dos procedimentos médicos e odontológicos aparelho ortodôntico, por exemplo, para nos manter. O sono possui diversos fatores de importância e não possui apenas a finalidade de relaxamento.

É muito comum ouvimos que o ideal é dormir 8 horas por dia, e essa informação não é inventada. O sono, além de nos descansar é o que mantém o equilíbrio do nosso sistema imunológico, do neurológico, endócrino e de várias outras funções. Veja os demais motivos que fazem o sono ser tão importante para nossa saúde:

Dormir muito é benéfico?

De acordo com dados do Instituto do sono, a insônia atinge por volta de 40% dos brasileiros. A insônia é um dos mais comuns distúrbios do sono, porém se trata apenas de um sintoma e não de uma doença; mostrando que há um desequilíbrio no organismo. Fatores externos como os biológicos, sociais, psicológicos, cognitivos, comportamentais e genéricos, também podem estimular a insônia.

O tempo de sono ideal é de sete a nove horas por dia, um tempo menor ou maior do que o estipulado pode desencadear danos, tanto para a saúde física quanto à mental. Em situações onde há demasia de sono, pode se remeter a doenças do sistema nervoso, como a narcolepsia e hipersonia diurna. Demais patologias clínicas como hipotireoidismo, doenças autoimunes, insuficiência dos rins ou fígado e a depressão, podem ter como introdução o excesso de horas de sono.

Como obter a qualidade do sono?

A qualidade do sono exige alguns cuidados como: manter uma dieta balanceada; com alimentos leves antes de se deitar, evitar contato ou aproximação com fontes luminosas e de ruídos sonoros; antes e durante o sono, ingerir fontes energéticas apenas de 4 a 6 horas antes de dormir, manter uma rotina de horários e vestir roupas confortáveis.

Há demais restrições para se garantir um sono de qualidade; um hábito de atividade física até com o avanço da idade pode impedir com que haja despertares várias vezes durante a noite, dormir 30 minutos durante à tarde pode influenciar na melhora do humor e do condicionamento, além de que tomar um banho morno prestes a se deitar pode relaxar o corpo e ajudar no processo.

O que um sono regulado pode evitar?

Obesidade

É justamente durante o sono que o organismo produz o hormônio chamado leptina, que possui a finalidade de transmitir a sensação de saciedade. Portadores de apneia do sono e insônia tendem a se sentir mais fome por meio de sua falta, fazendo com que sintam vontade de comer, mas sem estarem realmente com fome. Também é durante o sono que nosso corpo queima calorias e dormir menos de oito horas por dia pode reduzir 55% dessa função.

Diabetes

Noites mal dormidas podem fazer com que o corpo fique mais resistente à insulina. Segundo uma pesquisa realizada em Northwestern University, dos Estados Unidos, em 82% dos pacientes diabéticos que não conseguiam dormir direito e tiveram o seu sono supervisionado, se foi possível ser identificado a resistência à insulina.

Hipertensão

O sono desregulado leva ao estresse e faz com que a pressão sanguínea cresça, ocasionando a hipertensão a médio prazo. Pesquisadores da Universidade de Montreal, no Canadá, descobriram que a hipertensão causada pela insônia atinge até mesmo os pacientes sem inclinação à doença.

Memória

Quem apresenta um sono regulado acumula melhor as informações que são lhe dadas no cotidiano. De acordo com pesquisadores da Universidade de Lubeck, na Alemanha, a produção de proteínas de conexões neurais também acontece nas horas de sono, sendo elas essenciais para o conhecimento e recordação.

Depressão

Indivíduos que apresentam um sono de menos de seis horas tendem a desenvolver a depressão. Essa afirmação faz parte do estudo realizado pela Cleveland Clinic Sleep Disorders Center, localizada nos Estados Unidos, que detectou que pessoas que dormem de seis a nove horas possuem mais entusiasmo e são mais saudáveis.

Doenças cardiovasculares

Segundo pesquisadores da Warwick Medical School, dos Estados Unidos, a falta do sono em longo prazo ou despertar muitas vezes durante o sono, pode estar ligado a acidentes vasculares cerebrais, doenças cardiovasculares e ataques cardíacos. Esses pesquisadores investigaram por 25 anos cerca de 470 mil pessoas em oito países, como Estados Unidos, Reino Unido, Suécia e Japão.

Os resultados indicaram que dormir pouco leva ao descontrole na produção dos hormônios, que pode encaminhar para o colesterol alto, derrames cerebrais e doenças cardiovasculares. Dormir por volta de sete horas por dia diminui a chance de desenvolver doenças crônicas e faz com que você se proteja de danos futuros.

Para adquirir os benefícios que uma boa noite de sono pode oferecer e garantir uma melhor qualidade de vida, consulte um médico especialista. Não lute sozinho contra o cansaço e recupere a sua saúde e motivação de cada dia.